Redes - Cabeamento Estruturado
67 pág.

Redes - Cabeamento Estruturado

Disciplina:REDES DE COMPUTADORES4.725 materiais121.523 seguidores
Pré-visualização38 páginas
elétrons fluirão da fonte positiva do outro fio. Se os doisfios estiverem próximos, seus campos eletromagnéticos serão o oposto um do outro. Isso fará com queeles se cancelem e anulem também campos externos. Os engenheiros melhoraram esse efeito decancelamento trançando os fios. O cancelamento é um meio eficiente de oferecer autoblindagem para ospares de fios contidos em um cabo.Todos os cabos de rede utilizam a técnica de blindagem, a de cancelamento ou as duas para protegerseus dados. Por outro lado, os cabos variam de tamanho e custo, causando dificuldade de instalaçãoprincipalmente por causa das diferenças entre as técnicas de blindagem e cancelamento que utilizam.

DICAPode haver problemas em instalações de rede se a blindagem ou a proteção por cancelamento do cabo nãopassar por conectores, painéis de derivação ou por equipamentos de interconexão. A utilização de técnicasinadequadas e a seleção de equipamentos de má qualidade podem tornar inútil a blindagem ou ocancelamento utilizado no cabo.Descreveremos rapidamente a resistência e a reatância, mas você irá ouvir falar da palavra impedânciacom mais freqüência. A impedância é uma característica elétrica complexa que envolve a resistência e areatância e que só pode ser medida com equipamentos sofisticados. Os cabos devem ter umaimpedância específica para que possam funcionar com os componentes elétricos das placas de interface.Em princípio, uma impedância alta ou baixa não causa qualquer problema, mas um cabo deve ter umaimpedância correta para evitar a perda do sinal e interferências. A distância entre dois condutores, otipo de isolamento e outros fatores especificam uma determinada impedância elétrica para cada tipo decabo. A impedância é medida em unidades chamadas de ohms, o que confunde algumas pessoas, pois aresistência, uma característic elétrica menos complexa e que pode ser medida com equipamentos menossofisticados, também é medida em ohms. Não confunda a resistência de uma conexão ou circuito com aimpedância de um cabo. A resistência é apenas um fator que determina a impedância. Os fatores têmuma correlação estreita, mas não são iguais, apesar de serm expressos em ohms.DICAVocê não pode medir a impedância de um cabo com um medidor de ohms. Os equipamentos comuns para amedição de ohms medem apenas a resistência elétrica. Tenha cuidado com instaladores que não sabem dessadiferença.Outra expressão aparentemente menos técnica e que também usaremos é cobertura do cabo. Acobertura é o revestimento externo do cabo - geralmente formado por um tipo de plástico, Teflon oumaterial composto. O conceito é simples, mas como descreveremos no Capítulo 3, a cobertura de todosos cabos está sujeita ao controle de inúmeros códigos e normas. Os cabos apresentam diferenças aindamais sutis que seu tamanho, peso e custo. A composição química dos materiais do cabo, seuespaçamento e outros fatores têm impacto sobre seu desempenho.CABO COAXIALNo Capítulo 1, associamos a arquitetura das redes Ethernet aos cabos coaxiais. Um cabo coaxial consisteem um condutor de cobre central (um fio sólido ou torcido, sendo que sólido é a melhor opção para redes),uma camada de isolamento flexível, uma blindagem com uma malha ou trança metálica e uma coberturaexterna. O termo "coaxial" surgiu porque a malha de blindagem e o condutor central têm o mesmo eixo.A malha externa do cabo coaxial forma metade do circuito elétrico, além de funcionar como umablindagem para o condutor interno. Portanto, ela deve estabelecer uma sólida conexão elétrica em ambasas extremidades do cabo. Uma conexão com blindagem de má qualidade é a principal fonte de problemasem uma instalação de cabo coaxial. (Posteriormente, descreveremos outros tipos de fio blindado nos quaisa blindagem não faz parte do circuito.) A cobertura do cabo inclui mais uma camada de isolamento e derevestimento de proteção e completa e conjunto.A Figura 2.2 mostra com detalhes os componentes de um cabo coaxial. O cabo coaxial usado nas redesEthernet e ARCnet finas tem um diâmetro externo de aproximadamente 0,18 polegada ou 4,7 mm. Umdiâmetro maior é especificado para cabos Ethernet centrais. Esse cabo, que contém blindagem e umacobertura amarela, é com freqüência chamado de "mangueira amarela de jardim". O cabo centralEthernet tem um diâmetro externo de aproximadamente 0,4 polegada ou 9,8 mm.Alguns esquemas de sinalização de rede local, como Ethernet e ARCnet, dependem de cabos coaxiais comimpedâncias específicas que não podem ser alteradas. O esquema Ethernet fino utiliza um cabooriginalmente descrito como RG-58, que tem uma impedância de 52 ohms. Atualmente, alguns fabricantesvendem, para esquemas Ethernet, um cabo descrito como 802.3, que obedece aos padrões estabelecidospelo comitê 802.3 do IEEE. O esquema ARCnet foi originalmente projetado para ser usado com caboscoaxiais RG-62, que têm uma impedância de 93 ohms. Esse cabo também é usado em instalações demainframes IBM para ligar terminais IBM 3270 a suas controladoras. Em geral, os cabos RG-58 e RG-62são muito parecidos. Às vezes, a única maneira de diferenciá-los é ler a identificação na parte externa.Você encontrará cabos coaxiais RG-59, que têm 75 ohms e são muito usados em fiações de televisão demuitos prédios. No entanto, esses cabos não são apropriados para conexões de rede modernas.O cabo coaxial tem uma importante função nas arquiteturas de rede ARCnet e Ethernet, mas não éutilizado em redes token-ring. Originalmente, o esquema ARCnet especificava que os cabos coaxiaisdeveriam ser instalados em uma configuração em estrela - cada nó tinha um cabo coaxial separado que ia

até um hub de fiação central. Essa configuração reduz chances de um segmento de cabo defeituosointerromper toda a operação da rede. Posteriormente, algumas empresas lançaram placas adaptadoras derede que permitiam diferentes configurações, mas os cabos coaxiais em estrela e os hubs continuaramsendo o layout mais utilizado.Originalmente, o esquema Ethernet adotava um plano denominado "Ethernet fino" que utilizava o cabodo tipo RG-58 organizado em um esquema "nó a nó" ou "em margarida". Nessa configuração, uma falhano cabo ou um conector defeituoso poderia interromper o funcionamento de toda a rede. Atualmente, osfabricantes de hubs de fiação produzem conectores para cabos coaxiais que permitem a configuração deum cabo Ethernet fino em uma disposição em estrela, havendo partes de cabo coaxial entre cada nó e ohub de fiação. Essa organização é especialmente útil quando há ruídos elétricos. Um cabo Ethernet finocom uma configuração em estrela combina as excelentes capacidades de blindagem do coaxial com agrande confiabilidade do esquema em estrela.Apesar de seus benefícios, o setor de redes está abandonando o cabo coaxial. No entanto, ainda orecomendamos por sua confiabilidade, especialmente em uma configuração em estrela. Os novosdesenvolvimentos e padrões estão caminhando em direção ao fio de par trançado sem blindagem.
PAR TRANÇADO SEM BLINDAGEM (UTP)Como o nome indica, o cabo de par trançado é composto por pares de fios, sendo que cada par é isoladodo outro e todos são trançados juntos dentro de uma cobertura externa. Não há uma blindagem física nacabo UTP; ele obtém sua proteção do efeito de cancelameno mútuo reduz a pares de fios trançados. Oefeito de cancelamento mútuo reduz a diafonia entre os pares de fios e diminui o nível de interferênciaeletromagnética / de radiofreqüência. Os projetistas de rede variam o número de tranças nos fios contidosem cada cabo, a fim de reduzir o acoplamento elétrico e a diafonia entre os pares. O cabo UTP se baseiaunicamente no efeito de cancelamento para reduzir a absorção e a radiação de energia elétrica.O cabo de par trançado sem blindagem projetado para redes, mostrado na Figura 2.3, contém quatropares de fios de cobre sólidos modelo 22 ou 24. O cabo tem uma impedância de 100 ohms - um fatorimportante que o diferencia dos outros tipos de fios de telefone e de par trançado. O cabo de rede UTPtem um diâmetro externo de 1,17 polegada ou 4,3 mm. Esse