A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
MEDULA ESPINHAL

Pré-visualização | Página 1 de 3

Medula significa “meio”. 
É o órgão mais simples que tem no sistema nervoso central (origem 
embriológica). Quando falamos de origem embriológica, temos a formação do 
tubo neural, e na parte proximal ocorre as dilatações para as vesículas neurais. 
Já na parte caudal, ela não se modifica, somente cresce e se desenvolve. 
Funcionalmente a medula espinhal tem duas funções: 
♦ Função básica: conectar a região encefálica com região periférica, 
através dos nervos espinhais. 
♦ Funções específicas: exclusivamente reflexa. 
É uma estrutura cilindroide alongada. A base de origem dela é o forame magno 
no crânio, em direção as vértebras, projetando-se entre a L1 e L2, e o final da 
medula chama-se cone medular (adulto), ou seja, entre a primeira e segunda 
vértebra lombar. No feto, até em torno do sétimo mês gestacional, a medula 
espinhal tem o mesmo tamanho da coluna, vai até a região coccígea, nesse 
período a coluna passa a ter um crescimento muito grande, e a medula não é 
capaz de acompanhar. Por isso, quando o bebe nasce sua medula espinhal já 
está se aproximando da L2. 
No homem, a medula chega bem próxima da L2. Na mulher, ela termina na L1. 
A medula espinhal não é do tamanho da coluna vertebral, exceto no período gestacional!! 
 
 
 
 
 
 
As raízes espinhais formarão os nervos espinhais: 
→ Plexo cervical; 
→ Plexo braquial; 
→ Nervos intercostais; 
→ Plexo lombar e sacral. 
 
o Existem 31 segmentos de raízes espinhais de cada 
lado. 
o Ela começa na parte cervical larga, se estreita na 
região torácica, depois se estreita e em seguida se 
alarga novamente pra se estreitar abruptamente, 
formando o cone. 
o Dilatação cervical e dilatação lombar. Essas 
dilatações são chamadas de intumescências, devido 
aos grossos nervos e raízes que chegam do membro superior e inferior, onde temos a formarão do pelo 
braquial e do plexo lombo-sacral. 
o Poucos nervos fazem os intercostais. 
o Quanto menos nervos, menos neurônios na medula. 
o Na parte anterior, tem um sulco mediano posterior. E na parte anterior, 
tem uma fissura mediana anterior. Na lateral, tem as origens das raízes. 
Em cada segmento, tem duas raízes originando, uma anterior e outra 
posterior. 
o Ela é dividida em 5 segmentos: segmento cervical, segmento torácico, 
segmento lombar, segmento sacral e segmento coccígeo. Esses 
segmentos originam as raízes. 
o Depois da L2, não tem mais medula espinhal, somente as projeções 
dos nervos (cauda equina). 
o Forame vertebral: por onde saem as raízes. 
o A cauda equina é formada pelas raízes lombar, sacral e coccígea. 
o A medula é revestida pela dura-máter e aracnoide, e o revestimento 
intimo da medula é a pia-máter, que se fecha no cone medular, mas 
ela acompanha a dura-máter por meio da projeção de um filamento 
único, filamento terminal. 
o Dentro da medula, não existem terminações nervosas, apenas a pia-
máter, que se junta com a dura-máter na parte terminal e se fixa no 
cóccix. 
o A raiz cervical, do jeito que ela origina, já sai no espaço entre a coluna. Quanto mais baixo é na medula, a 
origem da raiz vai ficando cada vez mais inferior. Pois a raiz tem sua origem e suas projeções. 
Ligamento coccígeo: junção das meninges no cóccix, formando um ligamento para segurar a parte inferior à 
medula espinhal. 
o As raízes que se origem na frente, parte anterior: raízes ventrais. A raiz ventral é formada por várias 
radículas ventrais (filamentos). 
o Essas radículas ventrais que forma a raiz ventral se originam na parte anterior da medula e passam 
exclusivamente fibras eferentes, motoras. 
o Na raiz ventral, tem os corpos de neurônios dentro da medula, que já forma os neurônios 
periféricos, que vai até o musculo estriado esquelético. 
 
 
 
 
o Pela raiz ventral passa o sistema nervoso periférico autônomo, fibras pré-glanglionares simpáticas. 
Ou seja, vai para os músculos de órgãos e vísceras. 
o Raízes que se originam atrás, na parte posterior; raízes dorsais. Formado por várias radículas dorsais. 
o As radículas dorsais tem origem na parte posterior da medula e por ela passam fibras aferentes, que 
levam estímulos ao Sistema nervoso, ou seja, fibras sensitivas. 
o Os corpos de neurônio dessa parte ficam situados para fora da medula. 
o A raiz dorsal forma um gânglio espinhal, um conjunto de corpos de neurônios, e a partir dele tem o 
neurônio periférico. 
o Na raiz dorsal tem a passagem do sistema autônomo sensitivo. 
RELAÇÃO ENTRE A MEDULA E A COLUNA: 
→ C1 a C4: A medula está na mesma altura da vértebra; 
→ C5 a C10: Temos a diferença de dois corpos vertebrais (soma 2). Ou seja, se pegar a vertebra C6, o nível 
dessa vertebra internamente é C8. Se pegar a T4, o nível da medula é T6. 
→ T11 e T2: Tem os 5 segmentos lombares. 
→ L1: 5 segmentos sacrais. 
→ L2: segmento coccígeo. 
 
VÉRTEBRAS: 
• Cervicais: 7 vértebras; 8 segmentos; 
• Torácica: 12 vértebras; 12 segmentos; 
• Lombar: 5 vértebras; 5 segmentos; 
• Sacral: 5 vértebras fundidas; 5 segmentos; 
• Coccígea: 4 vértebras; 1 segmento. 
 
 
 
 
Na região cervical, a medula cervical do feto vai até o nível do sétimo segmento vertebral. E a raiz medular começa 
na base do crânio, que é antes da C1. O oitavo segmento cervical sai por baixo da sétima vértebra, e antes da T1. Ou 
seja, os segmentos vão saindo por cima, até a sétima vértebra. O segmento C1 sai por cima da vértebra C1, o 
segmento C2 sai por cima da vértebra C2, até a C7. A partir da C7, o sétimo segmento sai por cima, mas tem um 
oitavo segmento que sai por baixo da C7. Consequentemente, a partir daí, os segmentos vão começar a sair por 
baixo. O primeiro segmento da T1 sai por baixo da T1, o da T2, sai por baixo da T2, e assim por diante. 
No sacro, existe os forames sacrais, por onde saem as raízes, e esses forames ficam debaixo das vertebras. Já o 
cóccix ele não tem mais forame, é apenas um conjunto ósseo, a última abertura que tem é no hiato sacral, que abre 
em direção ao cóccix. Por isso não tem 4 segmentos coccígeos, tem só uma abertura por onde sai um único 
filamento que é o CX1. Por isso que a nossa medula só tem uma raiz coccígea, pois não há forames coccígeos, só há 
uma abertura entre o sacro e o cóccix. 
Em relação a raiz: 
→ OBS::: Se saíssem 4, 5 segmentos da parte inferior, qualquer pequena fratura de cóccix resultaria em uma 
lesão grave na medula espinhal e consequentemente, ter alteração sensitiva e motora. 
→ OBS.2::: Suponhamos que exista uma hérnia entre a L4 e L5, que irá comprimir uma raiz que está abaixo da 
L4 (raiz L4). A L4 inerva a frente do joelho, onde se testa o reflexo patelar, então se houver uma hérnia ali, 
não haverá reflexo patelar. Outro exemplo é a C8, que inerva uma região lateral da mão, então se houver 
uma alteração sensitiva na região lateral da mão e essa alteração tiver origem na coluna vertebral, sabemos 
que a compressão se encontra abaixo da C7, que é o segmento C8. 
Então, é possível avaliar onde está a lesão na coluna através da compressão de raízes. 
Em relação ao canal medular: 
• C1 a C4: no mesmo nível; 
• C5 a T10: soma 2; 
• T11 e T12: Lombar; 
• L1: Sacral; 
• L2: coccígea. 
Exemplo: Levou um tiro na região da coluna de T11, então esse tiro atravessou a região coluna e atingiu a medula, a 
lesão medular dele será a medula lombar. Quando há lesão, há inflamação, e dá a impressão que a lesão medular é 
mais alta. Quando vai desinflamando, o nível medular desce até onde realmente aconteceu a lesão. 
Lembrando:: Se houve lesão entre a T5 e T6, lesou a raiz T5, pois ela sai por baixo!! 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ANATOMIA INTERNA 
 
C5: cervical baixa T2: Torácica alta T8: torácica baixa L1: lombar alta L2: lombar média S2: sacral alta S3: sacral 
média 
→ Internamente a medula é formada por neurônios e células gliais. 
→ Estrutura funcional: neurônios. 
→ Os neurônios se dispõem da seguinte forma: os corpos

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.