Aula Ascaris med
26 pág.

Aula Ascaris med


DisciplinaParasitologia Humana F50 materiais1.240 seguidores
Pré-visualização1 página
Nematódeos Parasitos Humanos
\uf075 Filo Nematoda
\u2013 Classe Adenophorea
\uf075Ordem Stichosomida
\u2013 Familia Trichinellida Gênero Trichinella
\u2013 Família Trichuridae Gêneros Trichuris e Capillaria
\u2013 Classe Secernentea
\uf075Ordem Rhabiditida
\u2013 Família Strongyloidida Gênero Strongyloides
\uf075Ordem Strongylida
\u2013 Família Ancylostomidae Gêneros Ancylostoma e Necator
\u2013 Famílias Trichostrongylidae; Angiostrongylidae
\uf075Ordem Ascaridida
\u2013 Família Ascarididae Gêneros Ascaris e Toxocara
\uf075Ordem Oxyurida
\u2013 Família Oxyuridae Genero Enterobius
\uf075Ordem Spirurida
\u2013 Família Onchocercidae Gêneros Onchocerca, Brugia, 
Wuchereria, Loa, Dirofilaria
Ascaridíase 16% - 41%
Tricuríase 11% - 40%
Giardíase 6% - 44%
Amebíase 4% - 23% 
Ancilostomíase 2% - 17%
Estrongiloidíase 1% - 9%
Enterobíase 2% - 4%
Teníase 0,04% - 1,2%
Plano Nacional de Vigilância e Controle das 
Enteroparasitoses, Ministério da Saúde, 2005
EPIDEMIOLOGIA - BRASIL
Ascaris lumbricoides
\u2022 Vermes alongados 
cilíndricos e grandes
\u2022 Apresentam 3 lábios 
proeminentes na região 
anterior
\u2022 Fêmeas medem de 20-30 
cm e machos de 15-20 
cm de comprimento
\u2022 São cosmopolitas
Ciclo de Ascaris lumbricoides
Desenvolvimento no ambiente: resistencia 
do ovo e altas prevalencias
Resumo Biologia
Características Observações
Período de vida do verme adulto 1-2 anos
Tamanho do adulto
Macho
Fêmea
150-300mm comprimento; 2-4mm largura
200-350mm comprimento;3-6mm largura
Dimensão do ovo 60-70\uf06dm/40-50 \uf06dm
Amadurecimento do ovo 10-14 di 30 ºC 45-55 di 17 ºC
Fecundidade 134,462-358,759 ovos/fêmea/dia
Migração pelos tecidos
ID para fígado
Fígado para pulmões
Pulmões para ID
2-8 dpi
7-14 dpi
14 \u201320 dpi
Localização do verme adulto Jejuno e íleo
PP 67-76 dpi; 67 crianças < 4 anos
Meio ambiente clima adequadoFalta de medidas preventivas, medicamento
Água tratada e saneamento básico
Helmintos transmitidos pelo solo Esquistossomose Malaria 
Malabsorção de Perda crônica Anorexia Inflamação Hemólise
Nutrientes sangue
Deficiência protéico Deficiência de vit A Anemia
Energética Micronutrientes 
Suscetível
Co-infecção 
Patologia 
dos órgãos
Crianças
Retardo crescimento
Diminuição da capacidade física
Diminuição da capacidade cognitiva
Adultos
Diminuição da capacidade física e
Capacidade de trabalho
Aumento morbidade fetal e maternal
Criança de baixo peso
Anemia maternoMortalidade
Pullan and Brooker ., 2008
Patogenia: migração sistêmica
Alterações sistêmicas: febre 
Alterações pulmonares
Patogenia: consequências da 
presença do verme no intestino
Maioria assintomático, entretanto, 
dependendo da carga parasitária e do 
estado nutricional pode levar a casos de 
desnutrição graves, devido a competição 
por nutrientes;
Apesar da mortalidade associada ser 
relativamente baixa, estima-se que cerca de 
20 000 óbitos anuais sejam consequentes de 
complicações da ascaridióse 
Patogenia: obstrução intestinal
Obstrução intestinal
Patogenia: localizações ectópicas
Trichuris trichiura
\uf075 Vermes cilindricos e 
alongados, dioicos
\uf075 Apresentam esôfago 
bastante afilado ocupando 
2/3 do corpo, contendo 
glandulas unicelulares -
esticócitos
\uf075 Fêmeas maiores que 
machos podem atingir 4-5 
cm de comprimento
\uf075 Vivem no 
Desenvolvimento T. trichiura
L1 sae do ovo, penetra 
na mucosa intestinal
Mudas ocorrem no 
intestino
Adultos habitam intestino 
grosso \u2013 ceco e cólon 
Macho e fêmea acasalam 
Iniciam ovipostura 60-70 dias de infecção, produzem 
2000 \u2013 30000 ovos/dia
Ovos são expelidos 
nas fezes
Ovos embrionam 
no meio ambiente 
(10-15 dias )
Ingestão de ovos embrionários
Patogenia: alterações intestinais
Verme adulto penetra mucosa intestino 
grosso induz inflamação - apatia
Interfere na absorção líquido e ions 
Aspecto microscópico mucosa 
intestinal
Diagnóstico
Ascaris e Trichuris
Exame Parasitológico de fezes
Sedimentação espontânea
Medidas de Controle
\uf075 Diagnóstico e Tratamento dos 
infectados
\uf075 Saneamento básico
\uf075 Informação : educação sanitária
\u2013Higiene pessoal
\u2013Cuidados com alimentos
Enterobius vermiculares
Desenvolvimento E. vermicularis
Ovos são ingeridos
Larvas eclodem e 
sofrem duas 
mudas no trajeto 
intestinal até o 
ceco
No ceco 
transformam em 
vermes adultos
PP: 1 a 2 meses
As fêmeas cheias de ovos se 
desprendem do ceco e migram para o 
ânus 
As fêmeas cheias 
de ovos são 
rompidas por 
traumatismo ou 
dessecamento
Patogenia
Irritação região perianal
Formas de Infecção:
\uf075 Heteroinfecção: quando os ovos presentes 
no meio ambiente atingem um novo 
hospedeiro, através na manipulação de 
roupas contaminadas, alimentos, ou 
mesmo ambiente. Possibilidade de infecção 
por inalação
\uf075 Autoinfecção Externa: Hospedeiro se re-
infecta ao levar os ovos da região perianal 
à boca (Cronicidade da infecção). 
\uf075 Retro-infecção: relatado na literatura mas 
não se conhece a relevancia.
Diagnóstico
Metodo da fita gomada ou
Técnica de Graham
Medidas Profiláticas Especificas
\uf075 Orientar a população em hábitos de higiene pessoal, 
particularmente o de lavar as mãos antes das refeições, após o uso 
do sanitário, após o ato de se coçar e quando for manipular 
alimentos
\uf075 Manter as unhas aparadas rente ao dedo para evitar acúmulo de 
material contaminado
\uf075 Evitar coçar a região anal desnuda e evitar levar as mãos à boca
Eliminar as fontes de infecção através do tratamento do paciente e 
de todos os membros da família
\uf075 Troca de roupas de cama, de roupa interna e toalhas de banho, 
diariamente, para evitar a aquisição de novas infecções pelos ovos 
depositados nos tecidos. 
\uf075 Limpeza do ambiente deve ser realizada com aspirador de pó ou pano 
umido para evitar que os ovos do parasito espalhem pelo ambiente com 
varreção