cultura
4 pág.

cultura

Disciplina:Cultura Brasileira702 materiais19.009 seguidores
Pré-visualização1 página
Leonardo Guarany Vieira

CULTURA BRASILEIRA

Universidade Estácio de Sá

Letras - noite

Cultura Brasileira – Temas e Situações
No Brasil, falar de cultura é antes de mais nada falar de uma civilização que sofreu grande influência de vários povos e etnias que formaram o povo brasileiro.
“Da cultura brasileira já houve quem a julgasse ou a quisesse unitária, coesa, cabalmente definida por esta ou aquela qualidade mestra. E há quem pretenda extrair dessa hipotética unidade a expressão de uma identidade nacional”.

Com o processo de colonização, o Brasil passa a ter uma influência do negro, do branco e do índio que formarão à heterogeneidade existente na formação da sociedade brasileira, através dos valores culturais de cada um.
O processo civilizador foi só o começo de tantos outros de imposição cultural. Se para muitos, a invasão européia fez crescer e dar nome ao nosso Brasil, para outros, através dela a realidade cultural brasileira recebeu danos irreparáveis para a formação da identidade brasileira.

Em meio a tantas definições, o termo cultura foi denominado como um comportamento que se aprende objetos materiais e objetos imateriais e idéias e abstrações.

Alguns traços culturais são simples objetos, ou seja, cadeira, mesa, brinco, colar, machado, vestido, carro, habitação etc. Os traços culturais não materiais compreendem atitudes, comunicação, habilidades. Exemplo: aperto de mão, beijo, oração, poesia, festa, técnica artesanal etc.
Dessa forma, os padrões estabelecidos pela própria sociedade, no qual o indivíduo faz parte, desenvolve padrões que se diferenciam de acordo com o pensar de cada região, comunidade, país. A repetição de fatores culturais apresentados de forma espontânea, por cada ser humano, aos poucos vão sendo considerados como um modelo cultural do meio social.

A cultura é compreendida como um fator dinâmico, que tem a capacidade de estar se renovando de acordo com o contato com outros grupos. Pode haver momentos que a cultura permaneça de forma singular, sem haver nenhum processo de avanço cultural, como também há momentos que a cultura está em constante movimento.

O contato com outra cultura pode proporcionar mudanças grandes ou não, depende da aceitação entre as pessoas. O próprio fator migratório, as inovações tecnológicas, epidemias, fome, guerras contribuem para que haja uma alteração de comportamentos dentro do ambiente social.

O imigrante perde a sua raiz, a roça, as águas, as matas, a caça, a lenha, os animais, a casa, os vizinhos, as festas, a sua maneira de vestir. Suas múltiplas raízes se partem. Na cidade, a sua fala é chamada "código restrito" pelos lingüistas; seu jeito de viver, "carência cultural"; sua religião, crendice ou folclore. Seria mais justo pensar a cultura de um povo migrante em termos de desenraizamento.

O processo colonizador brasileiro contribuiu para que a cultura brasileira representasse um repertório pluralizado de manifestações populares que refletem em nosso cotidiano. Certamente, há quem julgue ou julgasse que fazemos parte de uma cultura única, com qualidades específicas para representar uma identidade nacional.

Dentro do processo histórico estabelecido, a própria cultura brasileira é considerada heterogenia, compreendida por um caráter de diversidades culturais que se manifestam de forma latente, dentro do universo étnico que o Brasil reconhece. Assim, esse movimento cultural vem distribuído de diversos costumes que se entrelaçam nas configurações simbólicas, formando um conjunto de práticas culturais.

As diversas influências sofridas dentro de um determinado espaço implicam consideravelmente para que uma determinada cultura reveja seus costumes, quando está a frente do novo.

A movimentação do cotidiano brasileiro faz manter uma relação tríplice cultural: cultura popular, cultura de massa e cultura erudita. Essas distinções formaram um panorama real do povo brasileiro em relação à formação e disseminação de culturas.

O consumo geral vem se tornar fator natural para a fabricação do desenvolvimento capitalista, utilizando de subsídios dos meios de comunicações, para a disseminação ideológica de seus produtos. A TV, o rádio, jornais, internet, telefone, dão maior visibilidade para atingir o maior número de pessoas em menor tempo.

Esse universo de possibilidades, está presente nas determinações impostas pelo consumismo através da cultura de massa. O desejo do vim a ter, faz o ser humano estar cada vez mais distante da sua realidade, da sua essência, do seu universo cultural.

A vida da cultura popular se constrói através de forma repetitiva de viver o cotidiano do povo. Criar raízes e está sempre ligada ao fator dinâmico existente na zona rural, é característica da cultura popular. Dessa forma, nada se compara ao ambiente fugaz que é construído o sistema da indústria cultural.

Através desse contexto pluralizado, cheio de representações culturais, símbolos, ideologias construídas, identidades, manifestações, o universo cultural não se encontra solto, desorganizado. Ele vive e avança na imaginação do homem social.

“O enraizamento é um direito humano esquecido...”
“As chaves do futuro e de utopia estão escondidas, quem sabe, na memória das lutas, nas histórias dos simples, nas lembranças dos velhos”.

BOSI, Alfredo. Cultura Brasileira – Temas e Situações.
Série Fundamentos, Ed. Ática.