Sociologia J. - Anotação (15)
10 pág.

Sociologia J. - Anotação (15)

Disciplina:Sociologia Jurídica e Judiciária1.772 materiais14.409 seguidores
Pré-visualização3 páginas
PREPARATÓRIO PARA OAB

Professor: Dr. Flávio Tartuce

DISCIPLINA: DIREITO CIVIL

Capítulo 8 Aula 6

DIREITOS REAIS DE GARANTIA

Coordenação: Dr. Flávio Tartuce

01

Direitos Reais de Garantia

"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A

violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do

material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”

www.r2direito.com.br

OS DIREITOS REAIS DE GARANTIA SOBRE COISA ALHEIA: PENHOR, HIPOTECA E ANTICRESE.

1. Características Gerais dos Direitos Reais de Garantia.

Criam vínculo real; o próprio bem garante a dívida, estabelecendo-se uma preferência deste credor sobre

todos os outros.

O crédito real tem preferência sobre o crédito pessoal, ainda que privilegiado (art. 961 do nCC).

Só pode dar garantia real quem pode alienar - os incapazes não podem hipotecar, dar em penhor ou em

anticrese.

Indivisibilidade: como regra, o pagamento de uma ou mais prestações da dívida não importa exoneração

correspondente da garantia, ainda que esta compreenda vários bens, salvo disposição expressa no título de

quitação.

Publicidade: registro para a hipoteca ou tradição para o penhor.

Especialização: detalhada enumeração dos elementos que caracterizam a obrigação e o bem dado em

garantia, visando indicar eventual preferência.

Acessoriedade: sua existência só se compreende se houver uma relação jurídica obrigacional, cujo resgate

pretende assegurar.

Direito de seqüela: o direito real segue a coisa, independente de com quem esta se encontre.

Condomínio: bem pertencente a vários proprietários somente pode ser dado em garantia, na sua totalidade,

se todos consentirem nisso. Cada condômino só poderá constituir direito real de garantia sobre a quota

ideal, se o bem for divisível.

Proibição de pacto comissório (art. 1.428 do nCC): Pacto comissório real é o que permite ao credor

pignoratício, hipotecário ou anticrético ficar com o objeto da garantia se a dívida não for paga no

vencimento. Tal pacto não deve ser realizado, mas se mesmo assim for convencionado, é considerado nulo.

Direito de excussão: quando o débito vencido não for pago no vencimento, os credores pignoratícios e

hipotecários podem promover a venda judicial do bem dado em garantia em hasta pública, por meio do

processo de execução judicial (art. 1.422 do nCC).

Aula 6

02

Vencimento antecipado da dívida (art. 1.425 do nCC): a lei antecipa o vencimento das dívidas com garantia

real, dando maior garantia ao credor, se:

a) deteriorando-se ou depreciando-se a coisa dada em segurança e o devedor, intimado, não a reforçar ou

substituir;

b) o devedor cair em insolvência, ou falir;

c) as prestações não forem pontualmente pagas;

d) perecer o objeto dado em garantia e não for substituído;

e) se a coisa dada em garantia for desapropriada;

Saldo: quando excutido o bem e o produto arrecadado não bastar para o pagamento da dívida e das

despesas judiciais, continuará o devedor obrigado pelo restante (obrigação pessoal).

2. Do Penhor

2. 1. Conceito

Trata-se de um direito real que consiste na transferência efetiva da posse de uma coisa móvel ou mobilizável,

suscetível de alienação, realizada pelo devedor ou por terceiro ao credor, a fim de garantir o pagamento do

débito. São partes do penhor:

Devedor pignoratício: contrai o débito e transfere a posse do bem como garantia ao credor.

Credor pignoratício: empresta o dinheiro e recebe a posse do bem empenhado.

Penhor Direito Civil - entrega da coisa, por acordo de vontades, para garantia de uma dívida. A coisa é

empenhada.

Penhora Direito Processual Civil - ato judicial pelo qual se apreendem os bens de um devedor para que se

cumpra o pagamento. A coisa é penhorada.

2. 2. Características do Penhor

Como regra, refere-se a coisas móveis fungíveis e infungíveis. Entretanto, nem sempre recai o penhor sobre

coisa móvel, pois há penhores especiais, que incidem sobre coisas imóveis por acessão física, como o

penhor rural.

Observação - Não confundir Penhor com Penhora.

"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A

violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do

material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”

www.r2direito.com.br

03

Regra geral, o penhor necessita da tradição, ou seja, da entrega do bem ao credor. No entanto, há

penhores especiais que dispensam a entrega. Efetuada a tradição o credor recebe o objeto empenhado

como depositário, devendo cumprir todas as obrigações do depositário, sob as penas da lei.

Efetivado por meio de um contrato solene, pois a lei exige que seja constituído por escrito (instrumento

público ou particular). Para valer perante terceiros necessita ser registrado junto ao Cartório de Títulos e

Documentos.

2. 3. Classificação

O penhor pode ser classificado em convencional (acordo de vontades) ou legal (por força da lei, para

proteger certos credores).

2. 3. 1. Penhor Convencional ou Contratual

As partes estipulam a garantia conforme seus interesses, por instrumento público ou particular. Temos aqui o

penhor rural e o penhor industrial e o penhor de veículos.

O penhor rural, que deve ser registrado, para ter eficácia contra terceiros no Cartório de Registro de Imóveis,

subdivide-se em:

a) Agrícola: além das regras gerais, comuns a todos penhores, possuem as seguintes peculiaridades:

Constitui-se sobre culturas, frutos pendentes, máquinas. Ora, como estes bens são imóveis por destinação,

conclui-se que o penhor agrícola recai sobre bens imóveis.

O devedor permanece com a posse dos bens empenhados. O credor recebe a posse indireta, enquanto o

devedor conserva a posse direta, na qualidade de depositário.

O prazo máximo é de três anos, prorrogáveis por igual período.

É possível recair sobre colheitas ainda não existentes.

Independe de outorga (uxória ou marital).

b) Pecuário: além das regras gerais, comuns a todos penhores, possuem as seguintes peculiaridades:

Recai sobre animais. A lei não permite que o devedor venda os animais sem autorização do credor.

No caso de morte dos animais, devem os mesmos ser substituídos por outros da mesma espécie, que ficam

sub-rogados no penhor.

"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A

violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do

material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”

www.r2direito.com.br

04

"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A

violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do

material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”

www.r2direito.com.br

O prazo máximo é de quatro anos, prorrogável por igual período.

Independe de outorga conjugal.

O penhor industrial recai sobre máquinas e aparelhos utilizados em indústria. Também se dispensa a

tradição da coisa onerada. Constitui-se por instrumento público ou particular, devidamente registrado no

Cartório de Registro de Imóveis onde os bens gravados se encontrarem.

O atual Código Civil traz ainda o penhor de veículos, desde que sejam empregados em qualquer espécie de

transporte ou condução por via terrestre, pelo prazo de dois anos (prorrogáveis