Sociologia J. - Anotação (15)
10 pág.

Sociologia J. - Anotação (15)


DisciplinaSociologia Jurídica5.374 materiais47.187 seguidores
Pré-visualização3 páginas
c) Hipoteca Judicial: quando a sentença judicial condenar o réu ao pagamento de uma prestação 
consistente em dinheiro ou em coisa.
4. anticrese 
4. 1. Conceito
Trata-se do direito real sobre coisa alheia, que tem sempre como objeto bens imóveis, em que o credor 
recebe a posse da coisa, ficando autorizado a perceber-lhe os frutos e a descontá-los do pagamento da 
dívida. 
A anticrese autoriza o credor a reter o imóvel, para perceber seus frutos e rendimentos, com a finalidade de 
compensar o débito dos juros e amortizar o capital da dívida, não tendo o direito de promover a venda 
judicial do bem dado em garantia. São partes da anticrese: 
Credor anticrético (ou anticresista): recebe a posse do imóvel, retirando os frutos e rendimentos mas não 
podendo vender judicialmente.
Devedor anticrético: recebe o dinheiro e cede a posse do imóvel, mantendo a propriedade.
A anticrese, assim, depende de escritura pública e inscrição no registro imobiliário. Sua celebração 
pressupõe, como em todo ato jurídico, capacidade das partes, objeto lícito e forma prescrita ou não defesa 
em lei. Não pode o cônjuge convencioná-la sem outorga (uxória ou marital), qualquer que seja o regime de 
bens do matrimônio.
Diante de dificuldades quanto à sua administração, a anticrese pouco ocorre na prática. 
4. 2. Características e efeitos da anticrese:
Trata-se de um direito real de garantia sobre coisa alheia que, como qualquer outro negócio, exige 
capacidade das partes.
08
"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A 
violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do
material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).\u201d
www.r2direito.com.br
Não confere preferência ao anticresista no pagamento do crédito com a importância obtida na venda 
judicial do bem onerado; só lhe é conferido direito de retenção.
Requer para a sua constituição escritura pública e registro, bem como a tradição do imóvel.
O credor anticrético pode reter a posse do imóvel até 15 (quinze) anos (se outro menor não for pactuado) ou 
até que seu crédito seja pago; deve guardar e conservar o imóvel como se fosse de sua propriedade.
Se existir hipoteca posterior, não poderá haver a excussão enquanto a anticrese subsistir. Se já existe 
hipoteca, não pode haver a anticrese.
O credor pode arrendar o imóvel para terceiros ou fruir pessoalmente.
Findo o prazo do contrato (ou paga a dívida), o credor deve restituir o imóvel ao devedor com baixa no 
registro.
O credor deve prestar contas ao devedor e responder pelos danos causados por sua culpa.
O devedor anticrético permanece como proprietário da coisa, podendo vender a terceiros. Tem ainda o 
direito de exigir a conservação do bem, bem como ressarcir-se das deteriorações, pedir contas ao 
anticresista e reaver o imóvel assim que o débito se liquidar.