4 - Impacto do uso excessivo da internet
9 pág.

4 - Impacto do uso excessivo da internet

Pré-visualização3 páginas
Prof. Dr. Rafael Mattos 
(profmattos2010@gmail.com) 5 
\u2022 No trabalho de Young, os indivíduos considerados 
dependentes apresentaram preferência pelos chats. 
 
\u2022 Os não dependentes, por sua vez, usam mais os 
serviços que lhes permitem receber informações e 
manter relações pré-existentes, através da 
comunicação eletrônica, na maioria das vezes através 
do uso do e-mail. 
 
 
\u2022 Young realizou uma segunda pesquisa, 
direcionada aos usuários de Internet considerados 
dependentes, na tentativa de identificar as causas 
dessa dependência da Internet e, principalmente, 
dos chats. 
 
\u2022 Quando perguntados sobre a razão que os levava 
a utilizar os chats: 
 
 a) 86% falaram do anonimato 
 b) 63% mencionaram a acessibilidade 
 c) 58% a segurança 
 d) 37% o uso fácil dessa ferramenta 
26 
\u2022 A pesquisa evidencia que há 3 áreas principais de 
reforço e estímulo à utilização da internet: 
 
 a) suporte social 
 b) realização sexual 
 c) criação de persona 
27 
1) SUPORTE SOCIAL 
28 
\u2022 Suporte social: forma-se um grupo social próprio, com 
regras próprias, deixando o mundo físico e formando 
uma reunião de pessoas vivendo numa sociedade 
baseada no texto. 
 
\u2022 A formação destes grupos pode dar suporte social a 
pessoas que, na vida real, estão interpessoalmente 
empobrecidas. 
 
\u2022 Em algumas circunstâncias de vida onde o contato social 
está limitado (donas de casa, deficientes físicos e 
outros). 
 
\u2022 Nestes casos, é mais provável que os indivíduos utilizem 
a Internet como uma alternativa para desenvolver 
contatos sociais. 
29 
\u2022 Porém, indivíduos com um histórico psiquiátrico podem 
estar mais confiantes em participar de chats para 
satisfazer suas necessidades de suporte social, devido às 
dificuldades que apresentam para estabelecer 
contatos na vida real, quando comparadas à facilidade 
proporcionada pelo ambiente de um chat. 
 
30 
Prof. Dr. Rafael Mattos 
(profmattos2010@gmail.com) 
24/05/2012 
Prof. Dr. Rafael Mattos 
(profmattos2010@gmail.com) 6 
2) REALIZAÇÃO SEXUAL 
31 
\u2022 Através da Internet, as fantasias sexuais das 
pessoas podem ser exercitadas bem mais 
facilmente. 
 
\u2022 Ao navegar pela web, pode-se encontrar salas de 
chats que são criadas para encorajar os usuários 
a se engajarem explicitamente num chat erótico 
 
\u2022 A opção por usar chats para exercitar fantasias 
sexuais foi identificada por Young como um 
método seguro, que satisfaz os desejos 
sexuais, evitando a contração de doenças 
sexualmente transmissíveis, como AIDS e tantas 
outras. 32 
\u2022 Young também percebeu que os usuários se sentiam 
mais livres para manifestar seus impulsos sexuais, 
atuando de maneira diferente da adotada em suas vidas 
reais, sem o medo de possíveis repercussões. 
 
\u2022 Para os dependentes que não se sentem atraentes, 
ou dispõem de poucas oportunidades de encontros 
sexuais, percebeu-se que era mais fácil "conquistar" 
alguém através da Internet, do que na vida real. 
 
\u2022 Na Internet as pessoas não precisam se expor 
visualmente, o que facilita ainda mais a 
abertura das emoções. 
 
\u2022 Ao contrário dos encontros pessoais, em que a 
espontaneidade conta muito, nas mensagens 
através da Internet as pessoas podem 
repensar suas palavras, utilizar citações de 
poesias ou elaborar melhor os textos para 
que possam atingir melhor o objetivo desejado. 
 
\u2022 Uma máscara, inevitavelmente, se forma. 
34 
\u2022 Mas, ao contrário da vida real, em que a aparência 
física é o principal chamariz e só depois se vai ver o 
que há além dela, nas relações virtuais, primeiro se 
tem contato com o intelectual, emocional e afetivo 
e só mais tarde, e somente em algumas situações, com 
o físico. 
 
\u2022 No ciberespaço todos os habitantes virtuais são 
considerados iguais. 
 
3) CRIAÇÃO DE PERSONA 
36 
Prof. Dr. Rafael Mattos 
(profmattos2010@gmail.com) 
24/05/2012 
Prof. Dr. Rafael Mattos 
(profmattos2010@gmail.com) 7 
\u2022 Um chat cria uma realidade virtual onde uma 
pessoa pode agir em um novo papel através da 
criação de apelidos, que podem alterar 
características físicas como gênero, idade, etnia, 
etc. 
 
\u2022 A partir daí, pode-se conversar e exercitar 
fantasias sexuais com quem quiser e da maneira 
que quiser. 
 
\u2022 Neste sentido, os chats podem ser considerados 
território livre, onde diferentes concepções de 
sujeito transitam e interagem conforme o 
desejo de cada um. 37 
\u2022 Para Young (1997) a criação de uma persona 
on-line permite aos usuários uma saída segura 
para satisfazer necessidades psicológicas 
inadequadas. 
 
\u2022 Contudo, a possibilidade de absorção mental 
deste novo personagem pode ter um papel 
negativo no funcionamento da vida real, 
interpessoal e familiar do indivíduo. 
 
\u2022 Se o chat é utilizado por pessoas que buscam se 
relacionar sem a exposição física, poderia 
haver aqui um núcleo psicótico. 
38 
\u2022 O encontro é virtual, uma característica do que 
Lowen (1987) denomina de caráter esquizóide. 
 
\u2022 O anonimato é uma de suas características 
principais, juntamente com a quebra das barreiras 
geográficas. 
 
\u2022 Há possibilidade de se relacionar com outras 
pessoas: 
a) sem encontro físico (traço esquizóide) 
b) e de criar um apelido (traço psicótico) 
c) permite que a pessoa se transforme, 
mentalmente, numa outra pessoa on-line 
39 
Psychiatric features of individuals with 
problematic internet 
\u2022 Shapira et al (2000) 
 
\u2022 Avaliação psiquiátrica com 20 pessoas consideradas usuários 
patológicos de internet 
 
\u2022 Vício em internet ou uso patológico da internet foi definido como: 
a) Uso incontrolável 
b) Uso doloroso e demorado comprometendo a vida financeira, 
profissional, social 
c) Não apresentação de sintomas maníacos isolados 
 
\u2022 100% - Transtorno Compulsivo não-especificado 
\u2022 70% - Transtorno Bipolar 
41 
Uso 
patológico 
da Internet 
Histórico 
psiquiátrico 
Uso 
patológico 
da Internet 
Doenças 
psiquiátricas 
Podemos ainda afirmar que: 
 
a) Uma variável não interfere na outra 
b) Uma interfere na outra, mas não podemos estabelecer 
qual é a causa e qual é o efeito 
Problematic Internet use or Internet addiction? 
\u2022 Yellowlees e Marks (2007) 
 
\u2022 Existem 2 escolas de pensamento: 
a) Autores que acreditam que o vício em internet merece uma 
classificação como nova doença psiquiátrica 
b) Autores que definem certos indivíduos como tendo uso 
problemático da internet em relação a certas atividades on-line 
específicas, como jogos de azar, e-mail, twitter, facebook, orkut, 
ou pornografia 
 
\u2022 As evidências parecem apontar na segunda direção. Parece 
que os indivíduos que estão mais vulneráveis, especialmente 
com uma história de descontrole de impulso e vícios, estão 
especialmente com maior risco de utilização problemática da 
Internet. 
 
42 
Prof. Dr. Rafael Mattos 
(profmattos2010@gmail.com) 
24/05/2012 
Prof. Dr. Rafael Mattos 
(profmattos2010@gmail.com) 8 
43 
CONCLUSÕES 
44 
\u2022 Segundo a Psicologia Corporal, 
podemos perceber que as 
pessoas estão deixando de lado 
seus traços de caráter oral, que 
lhes permitiam manter o contato 
com colegas, familiares e se 
relacionar socialmente (LOWEN, 
1987), para estarem cada vez 
mais esquizóides ou psicóticas 
(NAVARRO, 1995), buscando o 
afastamento social, dando 
margem à fantasia e 
preconizando a razão no lugar do 
afeto, o virtual, no lugar do real, o 
computador, no lugar da 
presença física. 
45 
\u2022 No entanto, o chat, como outras ferramentas de 
comunicação disponibilizadas pela Internet, podem 
representar uma forma de inclusão social para aqueles 
que, antes do seu advento, tinham possibilidades de 
inclusão social muito restritas. 
 
46 
\u2022 Isto sem falar da possibilidade de pessoas 
ajustadas e equilibradas experimentarem 
formas alternativas de comunicação, 
interação social e, por que não (?), de 
exercitarem suas fantasias. 
 
47 
GRATO 
48 
Prof. Dr. Rafael Mattos 
(profmattos2010@gmail.com)