Aula 12 parte 2_Tributação
1 pág.

Aula 12 parte 2_Tributação

Disciplina:Economia do Setor Público379 materiais11.743 seguidores
Pré-visualização1 página
Aula 12.2: carga tributária líquida e efetiva capacidade do gasto público no Brasil

Carga tributária bruta
De acordo com informações geradas pela secretaria da receita federal no Brasil, a Carga Tributária Bruta (CTB) representou 35,8% do PIB em 2008. Esse patamar vem crescendo muito desde 1998, e tornou-se comparável ao verificados em países desenvolvidos, embora ligeiramente menos à média dessas nações. Ver gráfico 1 da página 2.

Transferências públicas e subsídios
Uma parcela significativa dos recursos arrecadados pelo governo em cada ano termina sendo prontamente devolvida para a sociedade na forma de transferências públicas (pensões e aposentadorias, etc) e subsídios ao setor privado, conforme o gráfico 2 da página 3. Em 5 anos, o conjunto das transferências públicas e dos subsídios à sociedade brasileira cresceu substancialmente, comforme o gráfico 3 da página 4.

Carga tributária líquida
Descontando o conjunto das transferências públicas e subsídios imediatamente devolvidos à sociedade, chega-se à Carga Tributária Líquida (CTL). Ver o gráfico 4 da página 4.

Carga tributária líquid menos juros
A carga tributária líquida não é ainda uma boa aproximação dos recursos efetivamente à disposição dos governos brasileiros para a prestação de serviços públicos estradas, aeroportos, prisões, etc) para toda a população. Há de considerar também as despesas com o pagamento de juros que decorrem do endividamento público, que ultrapassam 5% do PIB ao ano. Ver gráfico 5 da página 5.
Quando se desconta da CTL o pagamento com juros, obtém-se uma aproximação mais razoável da quantia de recursos anual efetivamente disponível para fazer frente aos bens públicos e à prestação dos serviços do Estado no Brasil. A CTL-j representou 14,85% do PIB em 2008. Ver gráfico 6 da página 6. Ver tabela 1 da página 6. Ver tabela 2 da página 7 (comparação com outros países).