CCJ0006-WL-PA-06-Direito Civil I-Novo-34074
5 pág.

CCJ0006-WL-PA-06-Direito Civil I-Novo-34074

Disciplina:Direito Civil I9.716 materiais355.204 seguidores
Pré-visualização19 páginas
constrangedoras.
A relatora, desembargadora Maria Berenice Dias, acolheu os argumentos. “Há um descompasso entre o sexo anatômico e o psicológico, pois o 
transexual acredita ter nascido num corpo que não corresponde ao gênero por ele exteriorizado social, espiritual, emocional e sexualmente”,
enfatizou.

Tendo em conta o caso acima narrado, pergunta-se:

1. O que vem a ser o registro civil de uma pessoa natural?

2. A legislação civil brasileira prevê alteração de registro civil nos casos de transexualismo? 

3. O que é transexualismo?

CASO CONCRETO 2

Domicílio civil. Classificação.
 
André de Lima e Silva, 17 anos, está mais do que feliz, afinal foi aprovado em Concurso Público promovido pela Secretaria de Ação Social da 
Prefeitura de Duque de Caxias. Ocorre que André reside alguns dias da semana na capital do Estado do Rio de Janeiro e outros dias da semana reside 
na cidade de Saquarema, no interior do Estado do Rio, onde mora sua querida tia Lilica Lima, surfista profissional, com quem aprendeu a pegar ondas
desde pequenino. Com base nas informações acima fornecidas responda:

a)     Onde será(ão) considerado(s) o(s) domicílio(s) de André? Justifique sua resposta com fundamento no Novo Código Civil.
 
b) Qual(is) a(s) espécie(s) de domicílio(s) se apresenta(m) no caso em tela?
 
CASO CONCRETO 3

Término da existência da Pessoa Natural. Ausência

Após um dia normal de trabalho em seu escritório, JOÃO DE DEUS HONÓRIO DOS SANTOS, advogado bem sucedido no ramo do direito empresarial, 40 
anos, chega em casa avisando a mulher e aos filhos que estava muito feliz, pois sua escola de samba ganhou o campeonato depois de 16 anos de
espera e que ia à padaria comprar umas cervejas para comemorarem juntos. João saiu e nunca mais voltou, já faz nove anos, oito meses e quinze 
longos dias. Sendo certo que não deixou representante ou procurador. 

Pergunta-se:

a)  O caso de João se trata de ausência ou morte presumida?

b) Após todo esse tempo desaparecido, é correto afirmar que a propriedade dos bens de João poderá ser definitivamente entregue aos seus 
herdeiros?

c) E se João Batista aparecer nove anos e onze meses depois alegando que fora abduzido por alienígenas, terá direito a ter seus bens de 
volta?

 

Estácio de Sá Página 2 / 5

Título

Direito Civil

Número de Aulas por Semana

Número de Semana de Aula

3

Tema

PESSOA NATURAL – SEGUNDA PARTE – O FIM DA PERSONALIDADE CIVIL.

Objetivos

·                  Compreender a importância do nome civil como elemento externo distintivo da personalidade jurídica da pessoa.
·                  Identificar os diversos estados civis da pessoa natural e o tratamento reservado pelo Código Civil brasileiro. A polêmica da alteração do registro civil do 

transexual.
·                  Identificar nos dispositivos legais a regulação do estado civil .
·                    Introduzir os conceitos jurídicos relativos ao fim da personalidade civil.

·                    Compreender o significado e a aplicação do instituto da comoriência.

·                    Identificar e caracterizar os efeItos jurídicos da ausência e da morte presumida no Código Civil.

Estrutura do Conteúdo

1.     O nome civil. Registro civil.
2.     Alteração do registro civil.
3.     O estado civil e domicílio civil.
4.     Comoriência e ausência: caracterização e efeitos jurídicos.
5.     Declaração da ausência: finalidade
6.     Morte presumida: caracterização.
 

O texto abaixo apresentado trata-se tão somente de um referencial sugerido ao professor para orientar o fluxo do conteúdo a ser ministrado ao longo das aulas acima 
referidas:
 

O NOME CIVIL. REGISTRO CIVIL.
 

Plano de Aula: Direito Civil

DIREITO CIVIL I

Para o Direito, existem então as pessoas  – seres humanos que, enquanto pessoas, têm reconhecida sua personalidade – e as pessoas jurídicas – entes formados pela
associação de indivíduos ou de patrimônio voltada para determinado fim comum a que o Direito ressalva uma personalidade jurídica independente das de seus idealizadores
ponto o profess focar na pessoa natural.

O registro civil do nascimento da pessoa natural dota de formalidade e publicidade aquele fato jurídico que é o nascimento com vida, início da personalidade civil; apresenta o ind
sociedade, dando eficácia à sua personalidade. Neste sentido, sua natureza é declaratória “a pessoa humana dele não precisa para receber a sua qualidade de pessoa, [...]. 
Assim, a personalidade civil começa do nascimento com ”.

Ao nascer, como ao longo da existência, a pessoa possui determinadas características que a qualificam juridicamente. Ao complexo de atributos, com efeitos jurídicos, que de
a condição da pessoa perante a sociedade, chamamos est -se estado civil a posição jurídica que alguém ocupa, em determinado momento, dentro do ordenamento jurídico. 
Segundo o Prof. Francisco

O estado nasce de fatos jurídicos, como o nascimento, a idade, a filiação, a doença; de atos jurídicos, como o casamento, a emancipação; de decisões judiciais, como a separ
divorcio, a interdição. Tais circunstancias levam a caracterização de três estados: o familiar, o político e o pessoal ou in

Para o Direito Civil, importa o estado do indivíduo de filho, de solteiro, casado, viúvo, separado ou div – tudo isso gera efeitos jurídicos no âmbito do direito de família –, como
também importa o estado de maior idade, menor idade, emancipação, interdição, ausência, sexo masculino ou f – gerando efeitos no âmbito dos direitos da personalidade. O 
estado político, de brasileiro ou estrangeiro, importa ao direito constitucional. Em relação ao nosso estudo, -se o estado individual, em que se enquadra o sexo (status sexual).

Os estados individuais, em geral, são atributos da personalidade, ou seja, i -na. E, por isso, são protegidos pelos direitos da personalidade. Além disso, “é também objeto de 
um direito subjetivo, o direito de estado, que protege o interesse da pessoa no reconhecimento e no gozo dess ” . Amaral releva, ainda, o fato de constituir um direito absoluto,
oponível a toda a sociedade, que, portanto, todos devem respeitar; e público por ser reconhecido e protegido pelo  AMARAL, Francisco. Direito Civil: introdução. 2ª ed. aum. e
atual. Rio de Janeiro: Renov

O registro gera a presunção relativa do estado da pessoa, vez que é ele que dota de oponibilidade erga omnes as situações jurídicas da pessoa perante a sociedade. Contud
sempre a realidade jurídica retrata a realidade fática e, por isso, existem as ações de estado, afinal, é muitas vezes nec “defender seu estado contra eventuais atentados aos
direitos dele dec ” . Elas têm por objetivo criar, modificar ou extinguir um estado – e aí, a sentença será constitutiva –; ou reconhecer um estado pré-existente o guarnecendo de
eficácia – quando a sentença será declaratória. 

A QUESTÃO DO TRAN

Ocorre que, o transexual, quando do seu nascimento, no registro civil, foi classificado segundo o seu aspecto sexual anatômico externo como pertencente a um dos sexos, ou f
ou masculino. Este, assentado em registro público, é o sexo civil. Porém, ressalvamos, neste momento, que a avaliação da fisionomia não é a única para a determinação do 
um indivíduo, como explicitado no primeiro capítulo do presente estudo. A averiguação do status sexual requer a conjugação dos aspectos biológico, psíquico e comporta
Somente o conjunto desses aspectos será capaz de apontar com maior fidelidade e compromisso a qual dos dois sexos pertence a pessoa. A regra, contudo, é que os três a
correspondam revelando uma identidade sexual, mas esta convergência harmônica pode não

No caso do transexual operado, que possuía, em primeiro plano aquela inadequação corporal com a psiquê, o sexo civil, determinando comportamento na vida civil, na esfera ju
social em geral, imporá barreira para a realização da identidade sexual da 

Existe um interesse juridicamente relevante no gozo da identidade sexual. O conteúdo de tal interesse da pessoa é representado,