ABNT
48 pág.

ABNT


DisciplinaFilosofia da Educação6.362 materiais216.645 seguidores
Pré-visualização3 páginas
todos na entrada separados por ponto e 
vírgula. Considera-se a ordem em que aparecem na 
folha de rosto. 
Exemplo: 
GOOD, William Josian; HARTT, Paul K. Métodos em 
pesquise social. 6o ed. São Paulo: Nacional, 1977. 
OBRAS ESCRITAS POR MAIS DE TRÊS AUTORES 
Indica-se apenas o primeiro autor, acrescentando-se a 
expressão et al. 
Exemplo: 
HOUAISS, Antonio et al. Editoração hoje. 2o ed. Rio de 
Janeiro: FGV, 1981. 
 
 
OBRAS COLETIVAS ORGANIZADAS POR UM AUTOR 
 
Faz-se à entrada pelo nome do autor organizador, 
acrescentando-se entre parêntese a indicação (org.). 
Exemplo: 
FRIGOTTO, Gaudêncio (org.). Educação e trabalho. Rio de 
Janeiro: Vozes, 1998. 
 
 
PRODUÇÕES ACADÊMICAS 
As produções acadêmicas englobam: trabalhos 
acadêmicos, dissertações e teses. Para diferenciá-los 
adotam-se os mesmos procedimentos vistos para 
livros, acrescentando-se ao final uma nota que 
caracterize o grau de escolaridade e exigência, a 
unidade acadêmica, a instituição, o local e o ano da 
defesa - mencionada na folha de aprovação (se 
houver). 
EXEMPLOS 
OLIVEIRA, Patrícia de. A fenomenologia na perspectiva 
hermenêutica do pensamento de Heidegger. Rio de 
Janeiro: 1997. 156 f. Tese (Doutorado em Filosofia) \u2013 
Faculdade de Filosofia, Universidade Federal do Rio de 
Janeiro, Rio de Janeiro, 1997. 
 
PEREIRA, Carlos da Silva. Os fundamentos epistemológicos 
da interdisciplinaridade: exercício da práxis 
psicopedagógica no ensino superior: 1999. 122 f. 
Dissertação (Mestrado em Educação) \u2013 Faculdade de 
Educação Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999. 
PARTE DE UMA OBRA 
A parte de uma obra antecede à obra especificada quanto a 
seus elementos constitutivos essenciais \u2013 autor(es), título, 
subtítulo (se houver) seguido de uma das seguintes 
expressões: In, Apud ou Citado por. Caracteriza-se ao final 
da referência, a parte mencionada como sendo um 
capítulo, seguido da respectiva paginação ou outra forma 
de individualizar a referência \u2013 volumes ou fascículos. 
EXEMPLOS: 
FRIGOTTO, Gaudêncio. Os delírios da razão: crise do 
capital e metamorfose conceitual no campo 
educacional. In: GENTILLI, Pablo (org.). Pedagogia da 
exclusão: crítica ao neoliberalismo em educação. 5o ed. 
Petrópolis: Vozes, 1995. cap. 3, p.77-108. 
 
RODRIGUES, Romeu Barbosa. Reflexão sobre o 
desenvolvimento afetivo do adolescente. Apud: 
______. Introdução ao pensamento psicopedagógico. 
Rio de Janeiro: Continental, 2000. cap. 2, p. 33-45. 
OBRAS PUBLICADAS POR ENTIDADES COLETIVAS 
Associações, institutos e semelhantes têm o nome no 
lugar do nome do autor. 
Exemplo: 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. 
Informação e documentação \u2013 Referências \u2013 
Elaboração: NBR 6023. Rio de Janeiro: ABNT, 2002. 
 
REFERÊNCIAS LEGISLATIVAS 
Devem constar seguintes elementos: país, órgão e 
repartição. 
Exemplo (Constituição): 
BRASIL, Constituição (1988). Constituição da República 
Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal: Centro 
Gráfico, 1988. 
 
 
 
Exemplo (Lei): 
RIO DE JANEIRO (Estado). Lei no: 1848, de 23 de julho de 
1991. Dispõe sobre as diretrizes orçamentárias para o 
exercício de 1992 e dá outras providências. Diário Oficial do 
Estado do Rio de Janeiro, Niterói, v. 17, n. 140, p. 1, 24 jul. 
1991. 
 
Exemplo (Decreto): 
BRASIL. Decreto-lei no: 2423, de 7 de abril de 1988. 
Estabelece critérios para pagamento e gratificações e 
vantagens pecuniárias aos titulares de cargos e empregos 
administrativos nas Administrações Federais diretas e 
autárquicas e dá outra providências. Diário Oficial da 
República Federativa do Brasil, Brasília, v. 126, n. 66, p. 
6009, 8 abr. 1988. 
ARTIGOS EM PERIÓDICOS 
Os artigos que integram os periódicos podem ou não 
ser assinados. Nos assinados, a responsabilidade pelo 
pensamento manifestado é do autor mencionado. 
Quanto aos não assinados \u2013 não consta autoria, as 
ideias veiculadas são de inteira responsabilidade da 
entidade que as publicou. Por exemplo: os editoriais de 
jornais e revistas. 
EXEMPLOS DE ARTIGOS ASSINADOS EM REVISTAS 
GAPRIGLIONE, Laura. Um começo diferente. Veja, São 
Paulo, n. 2, p. 22-23, 21 jan. 1998. 
 
GOLDSTEIN, Catherine. GRAY, Jeremy. O despertar da 
ciência contemporânea. O Correio da UNESCO: viagem 
ao país da matemática, Rio de Janeiro, v. 18, n. 1, p. 43-
49, jan. 1990. Edição especial. 
ARTIGOS NÃO ASSINADOS EM REVISTAS 
A ordem e especificação dos elementos constitutivos é a 
mesma adotada para artigos assinados. Substitui-se a 
autoria pela primeira palavra do título do artigo 
referenciado, em maiúscula. Quando for o caso, faz-se 
acompanhar de artigo definido ou indefinido. 
Exemplos: 
COMO se cria e expande a inteligência. Veja, São Paulo, n. 
1234, p. 62-69. 
OS MAUS serão castigados ... 
 
 
ARTIGOS ASSINADOS EM JORNAIS 
A entrada segue a mesma orientação adotada para 
artigos assinados em revistas. Diferencia-se quanto à 
ordem e sequência dos elementos constitutivos. Caso o 
jornal não houver caderno, seção, suplemento ou 
parte, a paginação do artigo antecede a data. 
Exemplo: 
CAMPOS, Roberto. As tributações dos cristãos novos. O 
Globo, Rio de Janeiro, 18 nov. 1990, Opinião, p. 7. 
ARTIGOS NÃO ASSINADOS EM JORNAIS 
À semelhança de referenciação de artigo não 
assinado em revista, o verbete de entrada é a 
palavra inicial do artigo. A partir daí, segue o 
formato e a sequência dos elementos 
constitutivos inerentes a artigo assinado em 
jornal. 
EXEMPLO DE ARTIGO NÃO ASSINADO EM JORNAL 
A PREVIDÊNCIA social no Brasil. Diário de Pernambuco. 
Recife, p. 10, 26 jul. 1992. 
REFERÊNCIAIS DE FONTES DISPONÍVEIS NA INTERNET 
Autor pessoa física: 
MORAN, josé Manoel. Desafios da internet para o professor. 
Disponível em: <http:www.eca.usp.br/prof/moran/desafio.htm>. 
Acesso em: 13 abr. 2010. 
 
Autor entidade coletiva: 
UNIVERSO ONLINE. Perguntas mais frequentes. Disponível em: 
<http://www.uol.br/nvgtr/hlp02htm> Acesso em: 07 out. 2006. 
Livro com autoria: 
ALINE, José Renato. Ética geral e profissional. 2. ed. São Paulo: 
RT Didáticos, 1999. Disponível em: 
<http://www.safe.tesla.com.br/rt/options/fram.asp?categoria=1
4Etica>. Acesso em:22 jan. 2011. 
 
Produção acadêmica: 
RAFAELI NETO, Sílvio Luís. Um modelo de sistema de apoio à 
decisão espacial para gestão de desastres por inundações. 
2000. 112f. Tese (Doutorado em Engenharia) \u2013 Escola Politécnica 
da Universidade de São Paulo, 2000. Disponível em: 
<http://www.cav.udesc.br/~engrural/ie/professores/silvion/html
/index.htm>. Acesso em: 20 jan. 2009. 
 
Parte de livro com autoria: 
BERRINI, Cícero M. Ambiente ecológico. In: CASTRO, Roberto P. 
(org.) Ecologia. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1993. v.1, cap.2, p. 7-32. 
Disponível em: <http://www.fauze.com.br/artigo20htm>. Acesso 
em: 14 mar. 2007. 
 
Referência Legislativa: 
CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO. Resolução no: 16, de 13 de 
dez. 1994. Dispõe sobre reajustamento de taxas de contribuições e 
semestralidades escolares e altera redação do artigo 5 da 
Resolução no: 1, de 14/1/83. Diário Oficial, Brasília, p. 190-191, 13 
dez. 1994. sec. 1. Disponível em: 
<http://www.fasubra.com.br/coordenacoes/juridico-01.htm>. 
Acesso em: 14 ago. 2010. 
Eventos (congressos, seminários etc): 
PINKHAM, Jimmy. Odontopediatria clínica baseada em evidência 
científica. In CONGRESSO BRASILEIRO DE ODONTOPEDIATRIA, 28, 
2001, SALVADOR. Anais. Salvador; UFBA. Disponível em: 
<http://www.ortoperfil.com.br/cursos2.Asp?id=16>. Acesso em: 
14 jun. 2011. 
 
Revista: 
MORAIS, Ana Silvia; ABUT, Lia. Será que vai sobrar vagas? Veja, 
São Paulo, v. 1713, n.32 p. 80-82, 15 ago.2001. Disponível em: 
<http://www2.uol.com.br/veja/150801/p_080.html> . Acesso 
em: 16 set.2009. 
 
 
 
Jornal: 
CAMPANILI, Maura. Ibama quer barrar destruição de Catinga. O 
Estado de São Paulo, São Paulo, 13 ago. 2001. Disponível em: 
<http://www.estadao.combr/ciencia/noticias/2001/ago/13/58.h
tm#>. Acesso em: 13 ago. 2008. 
 
Lista de discussão: 
EDUCACAO.