PROCE - PRIMARIO

PROCE - PRIMARIO

Disciplina:Refino de Petróleo90 materiais371 seguidores
Pré-visualização1 página
Refino de Petróleo
Prof.: José Silva

A segunda etapa do Processamento Primário é a Desidratação do óleo que sai da separação
 Durante o processo de produção, parte da água do reservatório se mistura com o óleo na forma de gotículas dispersas, gerando uma Emulsão água-óleo

 A desidratação é realizada para remover ao máximo essa Água Emulsionada do óleo
 Para romper a emulsão água-óleo, são injetadas substâncias químicas chamadas Desemulsificantes
As gotículas de água se juntam (ou se “coalescem”) e agora, em gotas com diâmetros maiores, boa parte dessa água emulsionada se separa do óleo

Refino de Petróleo
Prof.: José Silva

 O Processamento Primário permite então que o óleo atenda as especificações exigidas pelo refino:
 Um mínimo de componentes mais leves (os gases)
 Quantidade de sais abaixo de 300 miligramas por litro (300 mg/l) de óleo
 Quantidade de água e sedimentos abaixo de 1% (do volume do óleo). Essa quantidade é conhecida como BS&W (Basic Sediments and Water - Água e Sedimentos Básicos)
3 . DERIVADOS
 São muitas as aplicações dos derivados do petróleo. Alguns já saem da refinaria prontos para serem “consumidos”, sendo comercializados diretamente para distribuidores e consumidores;
Outros derivados servirão ainda como matérias primas de várias indústrias, para a produção de outros artigos (os produtos finais);

Refino de Petróleo
Prof.: José Silva

Os derivados do petróleo podem ser utilizados em
aplicações Energéticas ou Não-energéticas:
 Os derivados energéticos são também chamados
Combustíveis. Eles geram energia térmica (calor ou luz) ao entrar em combustão na presença do ar e de uma fonte de ignição (chama ou centelha);
 Combustíveis são usados . . .

Refino de Petróleo
Prof.: José Silva

 Uma refinaria de petróleo pode produzir os seguintes derivados Energéticos ou Combustíveis:

Refino de Petróleo
Prof.: José Silva

Refino de Petróleo
Prof.: José Silva

Além dos derivados combustíveis, existem outros derivados, com aplicações Não- energéticas. São eles:
 Nafta e Gasóleos petroquímicos além de outras matérias-primas específicas para a indústria;
 Lubrificantes básicos, matérias-primas para indústrias fabricantes de óleos para veículos e máquinas industriais industriais;
 Asfalto, usado na pavimentação de ruas e estradas
 Solventes domésticos e industriais, como aguarrás, querosene, etc;
 Coque, utilizadas por indústrias metalúrgicas para a fabricação de alumínio e titânio, por exemplo;
 Parafinas, utilizadas na indústria alimentícia, na fabricação de velas, ceras, cosméticos etc;