Sociologia J. - Anotação (18)
8 pág.

Sociologia J. - Anotação (18)

Disciplina:Sociologia Jurídica e Judiciária1.804 materiais14.535 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Para atender a necessidade

temporária, de excepcional

interesse público (CF, art. 37,

IX).

04

Características essenciais do cargo: a) somente pode ser criado por lei, que deve estabelecer a sua

denominação e o rol de atribuições e responsabilidades que o titular do cargo terá, bem como dispor sobre

os direitos e prerrogativas desse titular especialmente, a remuneração do cargo; b) o titular do cargo público

está sujeito ao regime estatutário.

Os cargos podem ser classificados de acordo com a forma de provimento:

Tipos de cargo:

 eletivo

 em comissão

 efetivo

 vitalício

- Cargo eletivo é o cargo cujo preenchimento se dá por meio do voto dos eleitores. É o caso do Presidente da

República, Governadores, Prefeitos e todos os membros do Poder Legislativo, nas diversas esferas da

República.

- Cargo em comissão ou de livre provimento é aquele cujo preenchimento se dá pela livre escolha de uma

autoridade. São chamados também de "cargos de confiança", visto que muitas vezes há necessidade de

haver uma relação de confiança, de lealdade, entre o nomeante e o nomeado. Os cargos de Ministro, de

Secretário de Estado, cargos de assessor e diversos cargos de chefia são exemplos de cargos em comissão.

- Cargos efetivos são cargos cujo acesso se dá pela via do concurso público e que são dotados de uma

vocação para a estabilidade.

- Cargos vitalícios são cargos que tem uma estabilidade reforçada, visto que seus titulares somente podem

ser demitidos em razão de decisão judicial transitada em julgado. A CF prevê todos os cargos dessa

natureza, e são basicamente os cargos da Magistratura, Ministério Público e dos membros dos Tribunais de

Contas.

Emprego público: é a posição jurídica daquele que trabalha para a Administração, sob vínculo de natureza

contratual, regulado predominantemente pelas regras aplicáveis aos empregados particulares.

Função pública: Indica o exercício de atribuições sem que haja um cargo ou emprego público a ser

preenchido. Hoje, essa situação ocorre em duas ocasiões:

 - nas chamadas funções de confiança, que é a atribuição de uma responsabilidade maior a um servidor que

já é titular de um cargo efetivo.

- no exercício de funções temporárias pelo servidor temporário, admitido naquelas situações excepcionais

que já mencionamos.

"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A

violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do

material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”

www.r2direito.com.br

05

"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A

violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do

material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”

www.r2direito.com.br

Tanto o emprego público quanto as funções públicas também devem ser criadas por lei, por força do que

dispõe a Constituição Federal (art. 48, X da CF/88).

TEMA 5: O INGRESSO NO SERVIÇO PÚBLICO

Como regra geral, a porta de entrada para a Administração pública é o concurso público

Essa regra está prevista na própria Constituição, em seu art. 37, II:

"Art. 37. (...)

II - a investidura em cargo ou emprego público depende de aprovação prévia em concurso público de provas

ou de provas e títulos, de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego, na forma prevista

em lei..."

A Constituição Federal também previu a necessidade de abrir exceções a essa regra geral e o fez nas

seguintes hipóteses:

- Exceções à regra da obrigatoriedade de concursos públicos:

 cargos eletivos e de nomeação especial, previstos na CF

 cargo em comissão

 admissão de servidores temporários

TEMA 6: O CONCURSO PÚBLICO

Concurso público é o procedimento competitivo, com regras pré-estabelecidas e baseadas nos princípios da

legalidade, da impessoalidade e da publicidade, destinado a selecionar os candidatos mais aptos a ocupar

um cargo efetivo ou um emprego público.

Características essenciais: a) é um procedimento competitivo, o que implica na existência de regras quanto

aos requisitos de participação, sendo que cada um dos candidatos tem direito a exigir o cumprimento dessas

regras, inclusive pelos demais candidatos; b) As regras do concursos são pré-estabelecidas por um ato

administrativo prévio e vinculante, o edital, que deve ser publicado para conhecimento de todos os

interessados em participar da competição; c) Em razão do princípio da legalidade, as exigências do edital

devem estar baseadas na lei e nas necessidades do cargo ou emprego em disputa; d) Em razão do princípio

da impessoalidade, o concurso não pode ser discriminatório e a forma de avaliação dos candidatos deve ser

a mais objetiva possível; e) Em razão do princípio da publicidade, o edital e todos os demais atos resultantes

do concurso devem ser publicados.

Cabe ainda lembrar que a Constituição estabeleceu a reserva de cargos para pessoas portadoras de

deficiências (art. 37, VIII), o que, logicamente, implica que haja uma adaptação das exigências do concurso

às deficiências apresentadas pelos candidatos, além da estipulação de uma lista de classificação própria

para esses cargos reservados.

06

Prazo de validade do concurso: segundo a Constituição, em seu art. 37, Inciso III, "o prazo de validade do

concurso público será de até dois anos, prorrogável uma vez, por igual período".

Ou seja, o edital estabelecerá o prazo de validade do concurso, no limite máximo de dois anos, sendo que

esse prazo pode ser renovado por mais uma vez por decisão da autoridade que autorizou o concurso.

O candidato aprovado não tem o direito de ser nomeado porque a avaliação sobre a competência e a

oportunidade de proceder à nomeação é de natureza discricionária. Cabe à autoridade que autorizou o

concurso avaliar o momento oportuno de nomear os aprovados, sendo que, por razões de relevante

interesse público pode até deixar transcorrer o prazo de validade sem nomear ninguém.

Mas os candidatos aprovados têm o direito inquestionável de ver respeitada a sua ordem de classificação

durante o prazo de validade do concurso. (art. 37, IV da CF/88). Ou seja, podem impugnar, inclusive pela

via judicial, a nomeação de candidatos que estejam abaixo na lista de classificação ou que tenham sido

aprovados em concurso posterior.

TEMA 7: ACUMULAÇÕES DE CARGOS, EMPREGOS E FUNÇÕES

Como regra geral, a CF/88 proibe a acumulação de dois ou mais cargos, empregos ou funções. Porém, há

exceções:

- Exceções à regra da não acumulação de cargos, empregos ou funções:

 art. 37, XVI permite a acumulação de:

a) dois cargos de professor;

b) um cargo de professor com outro técnico ou científico;

c) dois cargos ou empregos privativos de profissionais de saúde, com profissões regulamentadas.

 art. 37, § 10º - regra especial para os aposentados, permite a acumulação dos proventos de um cargo com

o exercício de cargo eletivo ou cargo em comissão.

 art. 38, III - permite a acumulação com mandato de vereador.

Em todos esses casos a acumulação somente será regular se houver compatibilidade de horários no

exercício dos cargos, empregos ou funções

"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A

violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do

material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”

www.r2direito.com.br