CCJ0006-WL-PA-10-Direito Civil I-Antigo-15843
17 pág.

CCJ0006-WL-PA-10-Direito Civil I-Antigo-15843

Disciplina:Direito Civil I10.159 materiais366.668 seguidores
Pré-visualização8 páginas
foi repelida, com razão, pelo parecer de MOREIRA ALVES (A parte geral do Projeto de Código Civil Brasileiro. São Paulo: Saraiva, 1986, p. 42-43).

[27] SAVIGNY. Sistema del diritto romano attuale. Torino: Unione Tipografico Editrice, 1900, vol. 3, § 134 e 1355, p. 342 a 356; RODRIGUES. Silvio. Dos vícios de consentimento, cit., nº 23, p. 31.

[28] SALEILLES. Étude sur la théorie génerale de l’obligation, p. 5, apud SANTOS, Beleza dos. A simulação em direito civil. São Paulo: Lejus, 1999, p. 16.

[29] FERRARA, Simulazione, p. 29, apud RODRIGUES, Silvio. Dos vícios de consentimento, cit., p. 34.

[30] RODRIGUES, Silvio, ob. cit., p. 35.

[31] RODRIGUES, Silvio, ob. cit., nº 26, p. 36/37.

[32] TRABUCCHI, Alberto. Istituzioni cit., nº 71, p. 155, nota 2.

 

Referências bibliográficas:

Nome do livro: O Direito Civil à luz do Novo Código - ISBN: EAN-13:  9788530926663

Nome do autor: COSTA, Dilvanir José.

Editora: Rio de Janeiro: Forense

Ano: 2009.

Edição: 3a

Nome do capítulo: Parte Geral - Inovações do novo Código - dos Fatos Jurídicos

N. de páginas do capítulo: 5

	
	 Aplicação Prática Teórica

Os conhecimentos apreendidos serão de fundamental importância para a reflexão teórica envolvendo a compreensão necessária de que o direito, para ser entendido e estudado enquanto fenômeno cultural e humano, precisa ser tomado enquanto sistema disciplinador de relações de poder, a partir da metodologia utilizada em sala com a aplicação dos casos concretos, a saber:

Caso Concreto 1

Esmeralda precisa fazer um pagamento ao seu credor, Cláudio, por meio de depósito em conta bancária. Por engano, faz o depósito em conta de outra pessoa, Júlio. Este, feliz, saca o dinheiro de sua conta e o gasta. Mais tarde, quando Esmeralda exige o dinheiro de volta, Júlio alega que não coagiu ninguém a fazer o depósito e que o que aconteceu foi uma doação.

Cláudio, por sua vez, cobra o dinheiro de Esmeralda.

Pergunta-se:

1) Houve algum defeito do negócio jurídico na hipótese? Em caso afirmativo, qual?

2) Como ficam, respectivamente, as situações de Esmeralda, Cláudio e Júlio diante do ocorrido?

 

Caso Concreto 2

Estevão, jovem de 19 anos, adquire com o produto de seu trabalho uma motocicleta e fica muito satisfeito com a compra. Sua mãe, Almerinda, não partilha de seu entusiasmo. Exige que o filho venda a moto, chora e ameaça deixar de falar com ele. Depois de muitos conflitos, Estevão cede aos pedidos da mãe e vende a fonte dos problemas a outro jovem, Ezequiel. Meses depois, Estevão, aluno do curso de Direito, aprende que os negócios jurídicos praticados por coação são anuláveis e começa a pensar em maneiras de reaver a motocicleta vendida.

Pergunta-se:

1) Houve, na venda efetuada entre Estevão e Ezequiel, algum defeito do negócio jurídico?

2) O negócio jurídico em questão é válido?

3) Estevão pode fazer algo para reaver a motocicleta de Ezequiel?

 

QUESTÃO OBJETIVA 1

O dolo é vício de vontade que torna anulável o negócio jurídico. Argüida a prática do dolo num determinado negócio, é INCORRETO afirmar que

(A) a intenção de quem pratica o dolo é a de induzir o declarante a celebrar um negócio jurídico;

(B) a utilização de recursos fraudulentos graves pode se dar por parte do outro contratante ou de terceiros, se forem do conhecimento daquele;

(C) o silêncio intencional de uma das partes sobre fato relevante ao negócio também constitui dolo;

(D) o dolo recíproco impede a anulação do negócio jurídico sobre o qual incidiu;

(E) o dolo do representante de uma das partes obriga o representado a responder civilmente por todo o prejuízo do outro contratante, independentemente do proveito que o mesmo representado experimentar.

 

QUESTÃO OBJETIVA 2

O Código Civil exige, para a validade do ato jurídico, que o agente seja capaz. Tal disposição legal configura a exigência de que o agente:

A) tenha capacidade de gozo, a capacidade de direito, a capacidade de aquisição.

B) tenha capacidade de fato, a capacidade de ação, a capacidade de exercício.

C) pessoa física, seja dotado de personalidade jurídica.

D) tenha sempre mais de 18 anos de idade.

E) nenhuma das respostas anteriores está correta.

Â