AV1 MATÉRIA - REDAÇÃO FORENSE
6 pág.

AV1 MATÉRIA - REDAÇÃO FORENSE

Disciplina:Análise Textual7.750 materiais265.923 seguidores
Pré-visualização2 páginas
- dedutivo:

. PM – CDC – segurança – risco

. Pm – o menino ficou pendurado por um fio

. conclusão – a ré foi a responsável pelo risco sofrido pelo menor, que ficou pendurado na rede.

OBS.:

- PM – CDC – no exemplo acima foi abordado apenas a questão moral do caso (o trauma do filho). Não misturar com a questão material (a indenização de outra rede), que poderia ser abordado em outro parágrafo. TEM QUE SER ABORDADO APENAS 1 FATO.
. Pm – também, só com a abordagem da indenização moral. E é só 1 premissa.

. conclusão – relacionamento entre as duas premissas – a Maior e a menos. Atenção para não fazer, aqui, o pedido.

DO DIREITO: - indutivo:
OBS.:
- 3 Pm relacionados à indenização moral ou 3 Pm relacionados à indenização material.

- fazer dedutivo com o aspecto material e o indutivo com o moral.

DO DIREITO:

DEDUÇÃO E INDUÇÃO
Dedução
PM - Lei 9605, art. 40: causar dano direto ao patrimônio ambiental é crime

Pm - José raspou casa de árvore em área de preservação ambiental

Conclusão - José causou dano a arvore em área de preservação ambiental, portanto cometeu crime.

Indução
Fatos:

- José raspou a casca de uma árvore

- José é lavrador

- A mulher de José utilizava as cascas para fazer chá para tratar-se de doença de Chagas

PM - recorrer às plantas com fins medicinais é prática comum sobretudo no meio rural

Conclusão: José agiu de acordo com os costumes e não danificou o meio ambiente

Caso Cirurgia Plástica
Parágrafo Dedutivo

Conforme entendimento do tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, "A cirurgia plástica de natureza estética objetiva embelezamento. Em tal hipótese o contrato médico-paciente é de resultado, não de meios... Em sendo negativo este resultado ocorre presunção de culpa do profissional". No caso exposto, Ana Júlia submeteu-se à cirurgia plástica para se sentir mais bonita, no entanto o resultado foi uma grande sequela estética. Configura-se, assim, a culpa do cirurgião que a operou e, consequentemente, a obrigatoriedade de reparação dos danos causados.

Parágrafo Indutivo

Ana Júlia procurou o Dr.Pedro Augusto - um cirurgião de renome - para submeter-se a uma cirurgia plástica, achando ser seguro o procedimento. O cirurgião falou à paciente somente dos benefícios e omitiu os riscos da cirurgia. Ana Júlia teve complicações no pós-operatório e, por causa da negligência por parte do profissional que a operou, ocorreu sequela estética.O profissional age com negligência quando não prevê ou ignora os riscos do tratamento. Portanto, evidencia-se a responsabilidade do profissional na cirurgia mal sucedida do paciente.

Caso reconhecimento de paternidade
Parágrafo Dedutivo

Segundo decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, "o reconhecimento de paternidade é válido se reflete a existência duradoura do vínculo sócio-afetivo entre pais e filhos". No caso em tela, Pedro convive com o menor desde o seu nascimento, atuando como pai em todos os momentos. Logo, configura-se o estabelecimento de forte vínculo afetivo, capaz de evidenciar a paternidade e suas responsabilidades decorrentes.
Parágrafo Indutivo

Pedro manteve relacionamento com Márcia até o quinto mês de gravidez. Após o nascimento do bebê, Pedro conviveu com o menor, custeou suas despesas e participou de importantes momentos, como suas festas de aniversário, como se fosse seu pai. Por conseguinte, resta claro o vínculo de paternidade estabelecido com a criança, o que enseja direitos e deveres.
Verena Melo fez um comentário
  • Escreva um comentário
    0 aprovações
    Carregar mais