concretosimples
35 pág.

concretosimples


DisciplinaMateriais de Construção I3.872 materiais52.618 seguidores
Pré-visualização8 páginas
e elementos finos. 
 
 
 
Materiais de Construção \u2013 Araujo, Rodrigues & Freitas 70
0%
20%
40%
60%
80%
100%
120%
0% 5% 10% 20%
Índice de vazios
R
es
is
tê
nc
ia
 
 
 
FIGURA 12 - Relação entre os vazios e a resistência do concreto. 
 
 
 O adensamento mecânico é o único admissível para obras de médio e grande porte. 
Existe uma diversidade muito grande de formas de adensamento mecânico do concreto, cuja 
escolha depende basicamente do tipo de construção e da forma de execução da obra. Alguns 
desses processos são considerados especiais, tais como a concretagem a vácuo. Neste trabalho 
são descritos os processos mais simples e usuais, tais como: 
 
\u2022 vibrador de imersão: o vibrador de imersão mais usado é o denominado vibrador de 
agulha. A vibração é transmitida ao concreto pela imersão de um mangote em cuja 
extremidade está fixada uma agulha. A agulha deve ser cravada perpendicularmente à 
massa com espaçamentos de aproximadamente 40 cm, que é, geralmente, o raio de ação do 
vibrador. O tempo de vibração varia de acordo com o concreto, podendo ficar entre 5 e 30 
segundos em cada ponto. A vibração deve ser feita por camadas, com espessura máxima de 
40 a 50 cm, com os cuidados de não vibrar camadas já adensadas e acomodadas, bem 
como de não vibrar nos pontos próximos às formas (menos de 10 cm). 
 
\u2022 vibrador externo ou de forma: é um vibrador que se fixas às formas. Seu efeito é 
equivalente ao vibrador de agulha, desde que corretamente aplicado. Seu uso maior é na 
industria de pré- fabricação, devido a ser um equipamento de trabalhosa mobilidade. 
 
\u2022 mesa vibratória: são mesas sobre as quais são colocadas as peças de concreto a serem 
adensadas. Geralmente são usadas em indústria de pré-moldados de pequeno e médio 
porte, para a produção de blocos, placas, meios-fios, pequenas vigas, etc. 
 
\u2022 centrifugação: é um processo mais especial de adensamento, usado em peças pré-moldadas 
de seção transversal circular, como tubos, postes e estacas. A ação da centrifugação 
consiste em provocar o adensamento pelo aumento do peso aparente do concreto contra as 
paredes da forma. Os elementos mais pesados são lançados para a parte exterior da peça, 
ficando no interior uma alta concentração de cimento. 
 
 
 
Materiais de Construção \u2013 Araujo, Rodrigues & Freitas 71
 4.6. Cura 
 
 Denomina-se cura o conjunto de medidas que têm por finalidade evitar a evaporação 
prematura da água necessária à hidratação do cimento. 
 
 A Norma Brasileira exige que a cura seja feita nos 7 primeiros dias contados do 
lançamento do concreto. É desejável, entretanto, que se faça até o 140 dia, para se ter 
garantias contra o aparecimento de fissuras devidas à retração. 
 
 As várias qualidades desejáveis ao concreto, como resistência mecânica, 
impermeabilidade e resistência ao ataque de agentes agressivos, são extremamente 
favorecidas e até mesmo somente conseguidas através de uma cura bem feita. 
 
 Os métodos de cura mais usados nas obras são: 
 
\u2022 irrigação periódica da superfície: é o método mais simples e consiste em proteger o 
concreto fresco, irrigando a superfície exposta em intervalos freqüentes. 
 
\u2022 recobrimento simples da superfície: é o método mais utilizado nas obras. Consiste em 
cobrir a superfície com areia, sacos de aniagem rompidos ou os próprios sacos de 
embalagem do cimento, que são mantidos sempre úmidos. Desta forma evita-se a ação 
direta do sol e do vento e impede-se a evaporação da água do concreto. 
 
\u2022 imersão: é o método ideal de cura, tendo entretanto uma aplicação restrita. É mais 
empregado em industrias de pré-moldagem, onde as peças fabricadas são imersas em 
tanques com água. Pode ser empregado, também, em lajes e pisos quando existe a 
possibilidade e a disponibilidades de cobri-las com uma pequena lâmina de água. 
 
\u2022 envolvimento ou recobrimento total da superfície: é quando as peças são totalmente 
envoltas ou recobertas, sem que se deixe passagem de ar, com plásticos ou papéis 
impermeáveis, que impedindo a evaporação, dispensam o uso de água na cura. 
 
\u2022 manutenção da umidade da forma: é um método que só pode ser usados em peças nas 
quais a forma, de madeira ou outro material absorvente, proteja a maior parte da 
superfície, tais como pilares e vigas. O método consiste em molhar a forma em intervalos 
freqüentes, mantendo assim a umidade. 
 
\u2022 aplicação de cloreto de cálcio: é um método utilizado em climas úmidos e consiste em 
aplicar, superficialmente, cloreto de cálcio, considerando que o produto absorve a água do 
ambiente e a retém. 
 
 
 
 
5. Método de Dosagem 
 
Materiais de Construção \u2013 Araujo, Rodrigues & Freitas 72
 
 Dosar um concreto consiste em determinar a proporção mais adequada com que cada 
material - cimento, areia, brita e água - entra na composição da mistura, ou seja, é procurar o 
traço mais adequado para atender as condições específicas do projeto, utilizando 
corretamente os materiais disponíveis. 
 
 Para efeito da dosagem parcialmente experimental, a qual já nos referimos no item de 
Produção de Concreto, e que leva em conta o maior número de parâmetros possíveis, pode-se 
seguir o seguinte roteiro: 
 
 
 5.1. Escolha dos Materiais 
 
 5.1.1. Cimento 
 
 A escolha do cimento fica condicionada aos fatores já expostos no Capítulo de 
Aglomerantes. 
 
 
 5.1.2. Agregado Miúdo 
 
 O agregado miúdo mais utilizado é a areia lavada. As areias indicadas para o concreto 
são do tipo média e grossa, cujos índices de qualidade e constantes físicas já foram 
observados no Capítulo de Agregados. 
 
 É fundamental para a dosagem que se conheça a umidade e o inchamento da areia a 
ser usada. 
 
 
 5.1.3. Agregado Graúdo 
 
 Quanto ao agregado graúdo é necessário escolher, primeiramente a sua dimensão 
máxima, diâmetro máximo (dmáx) e, posteriormente, conhecer a umidade deste agregado. 
 
 Quanto maior a dimensão máxima de um agregado, menor será o índice de vazios, 
assim, concretos executados com agregados bem graduados, exigem menos argamassa por 
unidade de volume de concreto produzido. 
 
 A escolha do diâmetro de um agregado é de fundamental importância, principalmente 
quando a peça a concretar for armada. O diâmetro máximo está intimamente relacionado 
com o espaçamento entre os ferros. 
 
 O diâmetro máximo, característico do agregado graúdo (dmáx) é condicionado, de 
acordo com a NBR 6118, pelas dimensões das peças e sua armadura. Deve ser menor que 1/4 
da menor distância entre as faces da forma (para vigas e pilares); 1/3 da altura das lajes; pelo 
espaço livre entre duas barras ou dois feixes da armadura longitudinal de uma viga não 
 
Materiais de Construção \u2013 Araujo, Rodrigues & Freitas 73
devendo ser menor que 1,2 vezes a dimensão máxima característica do agregado nas camadas 
horizontais e 0,5 vezes a mesma dimensão no plano vertical. 
 
 
dmáx < 
e
4
 para vigas e pilares 
 
dmáx < 
e
3
 para lajes 
 
dmáx < 
e'
,1 2
 
 
dmáx < 
e' '
,0 5
 
 
onde: 
 
e - menor dimensão da peça 
e\u2019 - menor espaçamento nas camadas horizontais 
e\u201d - menor espaçamento nas camadas verticais 
 
 
 5.1.4. Água 
 
 A qualidade da água deve ser considerada para efeitos de dosagem, embora o cuidado 
maior deva ser mais, em relação a quantidade de água empregada, do que propriamente com 
os elementos que ela possa conter. 
 
 As impurezas da água podem intervir na pega do cimento ou na resistência final do 
concreto. 
 
 Este trabalho não se deterá em estudos mais profundos sobre os teores de substâncias 
nocivas permissíveis na água de amassamento, tendo em vista que a determinação desses 
teores só é possível em laboratórios especializados, o que para obras pequenas ou distantes, 
normalmente é inviável 
 
 A recomendação prática é de que seja sempre