concretosimples
35 pág.

concretosimples


DisciplinaMateriais de Construção I4.010 materiais52.706 seguidores
Pré-visualização8 páginas
utilizada água potável. No caso da água 
possuir grande quantidade de argila e silte (águas de rios, poços, barragens, etc.) recomenda-
se que a mesma fique em repouso até que se perceba que o mesmo já sedimentou no fundo do 
recipiente. 
 
 
 5.2. Determinação da Resistência de Dosagem (fc28) 
 
 
Materiais de Construção \u2013 Araujo, Rodrigues & Freitas 74
 O concreto é um material produzido a partir de materiais naturais, utilizando processos 
de fabricação de características extremamente variáveis. Como resultado, dificilmente 
apresentará alto grau de uniformidade em sua resistência à compressão e demais 
características. 
 
 Além deste fato, existe a possibilidade de, nos ensaios de controle de qualidade, 
ocorrerem erros que contribuirão para aumentar a variação de resistência, sem que, neste 
caso, tenha havido alterações na qualidade do próprio concreto. 
 
 Desta forma, se durante o processo de produção de um concreto de mesmo traço, que 
utilize os mesmos materiais, equipamentos e mão-de-obra, forem retiradas amostras de cada 
betonada e determinadas as resistências à compressão do concreto, observar-se-á que 
dificilmente os resultados serão iguais. 
 
 Os resultados deverão se agrupar em torno de um valor médio designado por tendência 
central. Dependendo da maior uniformidade das características dos materiais e do processo de 
fabricação, os valores obtidos poderão, em sua maioria, se concentrar em torno do valor 
médio ou então dele se afastar, indicando distribuições com maior ou menor dispersão, 
respectivamente. 
 
 O fck, resistência característica do concreto, é a resistência utilizada para 
dimensionamento da estrutura. Corresponde ao valor de resistência do concreto à compressão, 
de modo que, somente 5% dos valores obtidos no ensaio à compressão simples, sejam 
inferiores ao fck adotado. É normal a fixação de valores de fck entre 15 e 30 MPa, em função 
do tipo de cimento e da tecnologia de concretagem disponíveis. 
 
 Compete a quem vai executar a obra, fabricar um concreto que satisfaça as condições 
impostas no projeto da estrutura. Para garantir a obtenção do fck de projeto é calculada uma 
tensão de dosagem fc28 superior à tensão característica, de forma a levar em conta os diversos 
fatores que possam influenciar na resistência final do concreto, que vão desde a sua 
fabricação (homogeneidade dos materiais, precisão de medidas, etc.) até a cura. 
 
 O fc28 corresponde ao valor médio, ou seja, a uma probabilidade de 50%, obtido nos 
ensaios de ruptura à compressão. O valor de fc28 depende do tipo de controle de qualidade da 
obra. Geralmente, quanto mais rigoroso for este controle, menor será a tensão de dosagem, 
pois maior precisão poderá ser garantida à obtenção do fck. 
 
Em função desses fatores a NBR 6118 impôs certas condições para determinação do 
fc28 baseada em elementos da teoria estatística onde, na prática, a variação da resistência 
obedece a distribuição normal de freqüência - Curva de Gauss - conforme demonstra a Figura 
13. Assim sendo, o cálculo da tensão de dosagem é dado pela expressão a seguir, onde Sd é o 
desvio padrão: 
 
fc28 = fck + 1,65 Sd 
 
 
Materiais de Construção \u2013 Araujo, Rodrigues & Freitas 75
 
FIGURA 13 - Curva de Gauss da distribuição normal de freqüência. 
 
 
 Caso o desvio padrão não seja conhecido através de ensaios com corpos de prova da 
obra considerada ou de outra obra, cujo concreto tenha sido executado com o mesmo 
equipamento e em iguais condições de organização e controle, o desvio padrão será fixado 
pelos seguintes critérios: 
 
a) quando houver assistência de profissional legalmente habilitado especializado em 
tecnologia do concreto, todos os materiais forem medidos em peso e houver 
medidor de água corrigindo-se as quantidades de agregado miúdo e de água em 
função de determinações freqüentes e precisas do teor de umidade dos agregados e 
houver garantia de manutenção, no decorrer da obra, da homogeneidade dos 
materiais a serem empregados: 
 
Sd = 4,0 MPa 
 
b) quando houver assistência de profissional legalmente habilitado, especializado em 
tecnologia do concreto, o cimento for medido em peso e os agregados em volume e 
houver medidor de água, corrigindo-se o volume de agregado miúdo e da 
quantidade de água em função de determinações freqüentes e precisas do teor de 
umidade dos agregados: 
 
Sd = 5,5 MPa 
 
c) quando o cimento for medido em peso e os agregados em volume e houver medidor 
de água, corrigindo-se a quantidade de água em função da umidade dos agregados 
simplesmente estimada: 
 
 Sd = 7,0 MPa 
 5.3. Determinação do Traço 
 
 
Materiais de Construção \u2013 Araujo, Rodrigues & Freitas 76
 A seguir serão apresentados os procedimentos para determinação de um traço de 
concreto por 1 kg de cimento (1:a:p), sendo: 
 a = peso de agregado miúdo (areia); 
 p = peso de agregado graúdo (pedra) 
 
 
 5.3.1. Determinação do Fator Água/Cimento (x) 
 
 Definimos fator (ou relação) água/cimento como sendo: 
 
 x
Pag
Pc
= 
 
onde: 
 
 Pag = peso da água 
 Pc = peso do cimento 
 
 A fixação ou escolha do fator água/cimento (x) do concreto deve ser baseada nos 
critérios de resistência mecânica e de durabilidade. Recomenda-se utilizar sempre o menor 
valor determinado. 
 
 Em relação a durabilidade, quando não for possível, ou a obra não justificar um estudo 
mais aprofundado da durabilidade do concreto, pode-se adotar, para o fator água/cimento (x), 
as recomendações da Tabela 11. 
 
 
TABELA 11 - Fatores água/cimento (x) máximos permissíveis para diferentes tipos de 
estruturas e graus de exposição (Beraldo, 1991). 
 
 Extrema Severa Moderada Protegida 
 
Condições de 
Exposição 
 
 
 
-Concreto imerso em 
meio agressivo 
-Concreto em contato 
com água sob pressão 
-Concreto 
alternadamente em 
contato com água e ar 
-Concreto exposto às 
intempéries e ao 
desgaste 
 
-Concreto exposto às 
intempéries 
-Concreto 
permanentemente 
imerso em meio 
agressivo 
 
 
-Concreto revestido ou 
disposto em obras 
interiores 
 
 
Natureza 
Peça 
delgada 
0,48 l/kg 
ou 
24,0 l/saco 
0,54 l/kg 
ou 
27,0 l/kg 
0,60 l/kg 
ou 
30,0 l/saco 
0,65 l/kg 
ou 
32,5 l/kg 
da obra Peça de 
grande 
dimensão 
0,54 l/kg 
ou 
27,0 l/saco 
0,60 l/kg 
ou 
30,0 l/saco 
0,65 l/kg 
ou 
32,5 l/saco 
0,70 l/kg 
ou 
35,0 l/saco 
 
 A escolha do fator água/cimento (x) em função da resistência mecânica do concreto, 
deve ser feita com base na Curva de Abrams do cimento a ser utilizado (Figura 14). 
 
Materiais de Construção \u2013 Araujo, Rodrigues & Freitas 77
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
FIGURA 14 - Determinação do fator água/cimento (x) em função de fc28. 
 5.3.2. Determinação da Relação Água/Mistura Seca (A%) 
 
 
Materiais de Construção \u2013 Araujo, Rodrigues & Freitas 78
 O componente físico mais importante na trabalhabilidade do concreto é a consistência 
e o elemento que mais influi na consistência é a relação água/mistura seca (A%). 
 
 Definimos a relação água/mistura seca como sendo: 
 
 A
Pag
Pc Pm
% = + ×100 
 
onde: 
 
 Pag = peso da água 
 Pc = peso do cimento 
 Pm = peso dos agregados 
 
Para 1 kg de cimento temos que: 
 
 A
x
m
% = + ×1 100 
 
 A Tabela 12 fornece os valores de A% em função do diâmetro máximo do agregado 
graúdo (dmáx) e do tipo de adensamento. 
 
 
TABELA 12 - Valores médios de A%. 
 
Tipo de Tipo de adensamento 
Agregado Manual Vibrado 
Seixo 8% 7% 
Brita 9% 8% 
Obs.: o valor de A% refere-se a areia natural e ao agregado graúdo de dmáx igual a 25 mm. Para dmáx igual a 
19 mm, somar 0,5% e para dmáx igual a 38 mm, diminuir 0,5%. Para areia artificial, somar 1%. 
 
 
 5.3.3. Determinação do Peso dos Agregados Secos por Peso de Cimento