fisioterapia_em_evidencia_3
50 pág.

fisioterapia_em_evidencia_3


DisciplinaFisioterapia11.174 materiais39.116 seguidores
Pré-visualização19 páginas
26. PANEL OTTAWA. 
Ottawa Panel evidence-based 
clinical practice guidelines 
for therapeutic exercises 
and manual therapy in the 
management of osteoarthritis. 
Physical Therapy, 2005, 
85:907-971.
Artigo - 2
Revista FISIOTERAPIA EM EVIDÊNCIA \u2013 abril 2011 25
27. RICCI, N. A.; COIMBRA, 
I. B.Exercício físico como 
tratamento na osteoartrite 
de quadril: uma revisão de 
ensaios clínicos aleatórios 
controlados. Revista Brasileira 
de Reumatologia, v. 46, n. 4, p. 
273-280. Jul./ago. 2006.
28. SKARE, T. L. 
Reumatologia: princípios 
e prática. Rio de Janeiro: 
Guanabara Koogan, 1999. 341 
p.
29. WENG, M. C. et al. Effects 
Of Different Stretching 
Echniques On The Outcomes 
Of Isokinetic Exercise 
In Patients With Knee 
Osteoarthritis. Kaohsiung J 
Med Sci, v. 25, n. 6, June, 2009; 
306-15. 
Artigo - 2
26 Revista FISIOTERAPIA EM EVIDÊNCIA \u2013 abril 2011
Artigo - 3
Estudo comparativo dos efeitos profiláticos da 
bandagem funcional para a entorse de tornozelo 
em atletas de basquetebol
RESUMO
A entorse de tornozelo 
é uma das lesões mais 
comuns no âmbito do 
esporte, como o basquetebol. 
Frequentemente, os atletas 
utilizam implementos no 
tornozelo como medida 
profilática. O objetivo deste 
estudo foi avaliar os possíveis 
benefícios da bandagem 
funcional como medida 
profilática para a lesão de 
entorse de tornozelo em 
atletas de basquetebol. Foram 
analisados doze indivíduos 
sem histórico prévio de 
lesões no tornozelo e pé. A 
análise foi realizada de duas 
maneiras: com a utilização de 
bandagem e sem a utilização 
dela. Houve diferença 
estatisticamente significativa 
entre utilizá-la ou não , pois 
durante o período em que a 
foi aplicada, os indivíduos 
não tiveram nenhuma entorse 
de tornozelo, ao passo que 
no período em que estavam 
sem a bandagem, houve 
um total de seis entorses de 
tornozelo, obtendo assim p 
= 0,026, sendo este menor 
que o p-valor adotado para 
o presente estudo (p < 0,05). 
Conclui-se que a bandagem 
funcional, por meio da 
utilização de esparadrapo, 
tem resultados profiláticos no 
que diz respeito à prevenção 
de lesões por entorse de 
tornozelo em indivíduos 
sem histórico de lesões 
recentes. Entretanto, mais 
estudos serão realizados para 
comparar com os resultados 
aqui apresentados.
Palavras-chave: basquetebol, 
tornozelo, traumatismos 
do tornozelo, bandagens, 
fisioterapia.
ABSTRACT
The ankle sprain is one of 
the most common injuries in 
sports, like basketball. Often 
athletes are using implements 
the ankle as a prophylactic 
measure. The aim of this 
study was to evaluate the 
possible benefits of taping 
as prophylactic measures for 
the injury of ankle sprains 
in basketball players. We 
analyzed 12 individuals 
with no previous history of 
ankle and foot injuries. The 
analysis was performed in 
two ways: through the use 
of bracing and without the 
use of bracing. A statistically 
significant difference between 
using and not using the 
bandage, because during 
the time when the bandage 
was applied subjects had no 
ankle sprain compared to 
when they were without the 
application of the bandage, 
which has a total of 6 ankle 
sprains, thereby obtaining a 
p = 0.026, which is less than p 
value adopted for this study 
(p < 0.05). It is concluded that 
the taping through the use of 
tape has prophylactic results 
as regards the prevention of 
injuries from ankle sprains 
in subjects with no history 
of recent injuries. However 
more studies should be 
conducted to compare with 
our findings.
Keywords: basketball, ankle, 
ankle injuries, bandages, 
physiotherapy.
Introdução
O basquetebol atingiu alto 
nível de popularidade, tanto 
Juliana Carla de Almeida 1 
Francine Bianca da Silva 2
Cássio Preis 3
1. Acadêmica do curso de Fisioterapia da 
Faculdade Dom Bosco.
julicarla.almeida@hotmail.com
2. Acadêmica do curso de Fisioterapia da 
Faculdade Dom Bosco.
francine.fisioterapia@hotmail.com
3. Fisioterapeuta, especialista em 
Fisioterapia Traumato-Ortopédica; 
mestre em Tecnologia em Saúde; docente 
da Faculdade Dom Bosco e da PUCPR; 
coordenador da Especialização em 
Fisioterapia Ortopédica, Traumatológica 
e Desportiva da PUCPR; responsável pelo 
Centro de Dinamometria Isocinética e 
Baropodometria da PUCPR. 
cassiopreis@hotmail.com
Comparative study of prophylactic effects of functional bandage for 
ankle sprains in basketball players
Revista FISIOTERAPIA EM EVIDÊNCIA \u2013 abril 2011 27
nos Estados Unidos, onde 
começou a ser praticado, 
como no Brasil e no mundo 
todo. 
 O basquete está classificado 
como um dos dez principais 
esportes em relação ao 
alto grau de complexidade 
dos movimentos que exige 
[1]. A participação nessa 
modalidade esportiva exige 
muito do atleta no que se 
refere a corrida, saltos e 
movimentos em pivô, assim 
como alta velocidade e ritmo 
rápido, ocasionando, por sua 
vez, uma quantidade razoável 
de lesões traumáticas [2].
O basquetebol possui 
diversas regras, que têm 
como intuito diminuir o 
contato corporal entre os 
jogadores. Porém, por ser 
muito dinâmico, as colisões 
entre os participantes são 
frequentes, o que resulta 
em lesões de contato [1]. A 
maioria das lesões ocorridas 
no basquete são contusões, 
distensões e entorses [3].
Os segmentos do corpo mais 
acometidos em jogadores de 
basquete são os MMII, e a 
queixa principal é de lesão 
por entorse de tornozelo [4]. 
A articulação do tornozelo 
é o segmento mais afetado 
dentro da prática do 
basquete, independente de 
categoria e sexo [1]. 
De acordo com Hebert [5], 
as entorses de tornozelo 
acometem aproximadamente 
15% de todas as lesões do 
esporte, sendo que, de todas, 
45% envolvem a entorse de 
tornozelo no basquetebol. 
A entorse é observada 
quando determinada 
articulação é alongada de 
maneira excessiva, ou seja, 
quando uma articulação sofre 
estresse acima de seu limite 
anatômico [6]. 
O mecanismo de entorse mais 
frequente é por inversão, 
o que geralmente ocorre 
durante uma aterrissagem 
após um salto, seja este para 
bandeja, rebote ou arremesso 
[1]. 
Segundo Grisogono [7], a 
entorse de tornozelo por 
mecanismo de inversão 
é a lesão mais comum na 
articulação do tornozelo. 
Isso se dá devido à maior 
mobilidade que o tornozelo 
possui de realizar a inversão 
com relação a outros 
movimentos.
Em torno de 80 a 90% 
das lesões por entorse de 
tornozelo são decorrentes 
do mecanismo de lesão de 
inversão associado à flexão 
plantar [8]. 
A fisioterapia aplicada à 
desportiva é especializada em 
tratar lesões e desenvolver 
as habilidades cinético-
funcionais que se relacionam 
com a prática esportiva. 
Em contrapartida, a 
prevenção busca evitar esses 
acontecimentos. Para que 
ela ocorra, faz-se necessário 
conhecer e aprofundar-se 
no mecanismo de cada lesão 
ocorrida na prática esportiva; 
também se deve levar em 
conta o preparo físico do 
atleta, assim como seu estado 
psicológico [9].
 Bandagem e outros tipos 
de órteses são utilizados 
com bastante frequência 
para minimizar o risco de 
lesões nos esportes. Esses 
tipos de suporte podem ser 
utilizados em vários estágios 
da reabilitação, e até mesmo 
como agentes profiláticos 
para atletas saudáveis [3].
Grisogono [7] relata que 
enfaixar o tornozelo tem 
como finalidade dar suporte 
para a articulação, assim 
como obter melhora no 
sistema proprioceptivo.
Safran, McKeag e Camp [2] 
afirmam que a bandagem 
funcional serve para proteger 
uma parte do corpo contra 
lesão; proteger uma parte do 
corpo contra novas lesões; 
limitar uma amplitude de 
movimento excessiva ou 
anormal; incrementar um 
feedback proprioceptivo; 
permitir que o atleta pratique 
o esporte com o mínimo de 
restrições possível. 
Muitos estudos apontam 
que a utilização de órteses 
e bandagens oferece 
benefícios profiláticos no 
que diz respeito à prevenção 
de lesões por entorse de 
tornozelo [10, 11].
Métodos
Amostra
Foi constituída por doze 
sujeitos sadios, jogadores 
de basquetebol, com idade 
entre 14 e 17 anos, do sexo 
masculino, da cidade