fisioterapia_em_evidencia_3
50 pág.

fisioterapia_em_evidencia_3

Disciplina:Tópicos Regionais em Fisioterapia524 materiais539 seguidores
Pré-visualização19 páginas
da avaliação de resistência
máxima. Devido ao pequeno
número de amostra e de
atendimentos, não se pôde
comprovar a efetividade da
terapia manual na redução do
quadro clínico da osteoartrite.

Palavras-chave: joelho,
osteoartrite, terapia manual,
cinesioterapia, fisioterapia.

ABSTRACT

It is known that osteoarthritis
is a joint disorder that can
be caused by many factors

and non-articular joint, and
is considered a major disease
causing disability, affecting
individuals from the fifth or
sixth decade of life, especially
women. Analyzing such data,
this research proposes to
make a comparison between
the application of manual
therapy and kinesioterapy
in knee osteoarthritis. Were
selected to participate in the
survey in 14 subjects aged
50 to 75 years, of whom
two did not participate in
the study because of health
problems. The 12 individuals
who participated in the
survey were distributed at
random into two groups:
group 1 (experimental
group receiving manual
therapy and treatment
with kinesiotherapy)
and G2 (control group
receiving treatment with
only kinesiotherapy). These
individuals were assessed
and reassessed by a blind
assessor, emphasizing the
degree of pain, goniometry
and evaluation of full
strength and were subjected
to 8 visits distributed over a
frequency of twice weekly.
There were no differences in
the pain reduction, increased
range of motion, or in raising
the result of evaluation of
maximum strength. Due to
the small sample number

Douglas Ramos do Rosário 1

Lais Simioni 2
Luciane Aparecida dos Anjos 3
Hellen Stacheski 4
Maria Laura Aquino Calado de
Assunção 5

1. Acadêmico do curso de Fisioterapia da
Faculdade Dom Bosco
douglas_rrosario@hotmail.com)
2. Acadêmica do curso de Fisioterapia da
Faculdade Dom Bosco
3. Acadêmica do curso de Fisioterapia da
Faculdade Dom Bosco
4. Acadêmica do curso de Fisioterapia da
Faculdade Dom Bosco
5. Mestre em Educação pela UFPR e
docente da Faculdade Dom Bosco.

16 Revista FISIOTERAPIA EM EVIDÊNCIA – abril 2011

Artigo - 2

and owing to the small
number of visits, we can not
prove the effectiveness of
manual therapy in reducing
the clinical symptoms of
osteoarthritis.

Keywords: Knee,
Osteoarthritis, Manual
Therapy, Kinesiotherapy,
Physical Therapy

Introdução
Sabe-se que a osteoartrite
é uma doença que vem
acometendo um número
significativo de sujeitos
a partir dos 45 anos para
homens, e antes dos 45 anos
para mulheres (SKARE,
1999). Com a evolução desta
doença, os sujeitos acometidos
sofrem de dores próximas
às articulações afetadas,
diminuição da amplitude de
movimento, redução da força,
instabilidade articular, dentre
outros, ou seja, o sujeito
apresenta dificuldades na
realização das atividades de
vida diária (REBELATTO &
MORELLI, 2007).

Para Moreira et al. (2009),
a osteoartrite, comumente
chamada de artrose, tem sua
prevalência aumentada com
a idade e é muito frequente
na população com mais de 65
anos, sendo que as mulheres
apresentam os sinais mais
precocemente que os homens.

Freitas et al. (2002) informam-
nos que, atualmente, a
população brasileira com
idade igual ou superior a
60 anos é da ordem de 15
milhões de habitantes. Sua
participação no total da
população nacional dobrou
nos últimos 50 anos, passando

de 4%, em 1940, para 9%,
em 2000. Projeções recentes
indicam que esse segmento
poderá ser responsável por
quase 15% da população
brasileira em 2020, colocando
o Brasil como 6º país do
mundo em numero de idosos
(CAMARANO, 2002).

A fisioterapia apresenta
diversos recursos, como
a cinesioterapia e a
eletrotermofototerapia, que
auxiliam no tratamento da
osteoartrite, promovendo
maior qualidade de vida aos
sujeitos afetados.

Da mesma forma, a terapia
manual é um recurso
fisioterapêutico, que existe há
séculos, como lembrado por
Lederman (2001), com boa
aceitação. Acredita-se que,
por meio de suas manobras,
possivelmente os pacientes
com osteoartrite de joelho
serão beneficiados na redução
do quadro clínico da doença.

Apesar da ação dos efeitos
da terapia manual não
serem muito investigados,
é lembrado que a terapia
manual é um mecanismo
antigo, utilizado para o
relaxamento e alívio da dor,
fornecendo assim os benefícios
mecânicos de aumento da
circulação, redução do edema
e relaxamento do tecido onde
são realizadas as manobras
(LEDERMAN, 2001).

Baseado nestes dados,
este estudo tem como
objetivo verificar se a
terapia manual é efetiva na
redução da dor, na melhora
funcional, na mobilidade
e na qualidade de vida de
sujeitos com osteoartrite
de joelho. Os objetivos

específicos são estudar os
efeitos patognomônicos
da osteoartrite, comparar
os efeitos do uso da
cinesioterapia e da terapia
manual com o uso exclusivo
da cinesioterapia, analisar
estatisticamente os resultados
e discuti-los.

Métodos e
Procedimentos
A presente pesquisa foi
aprovada pelo Comitê de Ética
em Pesquisa da Faculdade
Dom Bosco, de acordo com a
lei nº. 196/96, do CNS, em 16
de dezembro de 2009.

Teve como base o estudo
quantitativo controlado
randomizado cego, oqual
para Fachin, (2005), aborda
o problema por meio de
pesquisa quantitativa, pois
determina, os dados em
proporções numéricas,
quantificando a variável,
contagem e mensuração dos
dados que serão obtidos.
Gil (2002) diz que é uma
pesquisa controlada, por
existir a necessidade de um
grupo-controle, sendo ainda,
do ponto de vista dos vários
procedimentos técnicos, uma
pesquisa experimental.

POPULAÇÃO E
PARTICIPANTES

Sujeitos com osteoartrite de
joelho, homens e mulheres
entre 50 e 80 anos da cidade
de Curitiba. Critérios de
inclusão: 1) sujeitos com
osteoartrite de joelho; 2) faixa
etária entre 50 a 80 anos; 3)
acessibilidade geográfica;
4) EVA máxima de 8; 5)
minimental com nota mínima

Revista FISIOTERAPIA EM EVIDÊNCIA – abril 2011 17

Artigo - 2

20 para analfabetos; 25 de 1 a
4 anos de escolaridade; 26,5 de
5 a 8 anos de escolaridade; 28
de 9 a 11 anos de escolaridade;
29 para indivíduos com
escolaridade superior a 11
anos. Critérios de exclusão: 1)
ter realizado fisioterapia nos
últimos 3 meses; 2) ter prótese
de joelho; 3) apresentar
trombose e/ou tromboflebite.

LOCAL DA REALIZAÇÃO
DAS ETAPAS
EXPERIMENTAIS
Este estudo foi realizado nas
dependências da Clínica-
Escola de Fisioterapia da
Faculdade Dom Bosco.

TIPO DA AMOSTRA
Conforme Gil, (2002) a
amostragem do tipo aleatória
simples.

CÁLCULO DA AMOSTRA
Para o cálculo do tamanho da
amostra, foi usada a variável
dor (parâmetro principal do
estudo). Foi considerado o
nível de significância de 5%,
o poder do teste de 90% e a
variância da dor igual a 1,4,
como apresentado no artigo
de WENG et. Al. (2009). Para
se detectarem diferenças
significativas de dois pontos
na escala visual analógica
(EVA) de dor, o número da
amostra (n) foi estabelecido
em, no mínimo, dez sujeitos
em cada grupo.

PROCEDIMENTOS
Entrou-se em contato com
os pacientes portadores de
osteoartrite da Clínica Escola
de Fisioterapia da Faculdade
Dom Bosco. Os laudos desses

pacientes encontram-se no
arquivo morto da instituição
cedente. Prevê-se posterior
contato com os pacientes, com
o intuito de dar continuidade
ao tratamento, para analisar se
a terapia manual é efetiva na
osteoartrite de joelho.

Randomização dos sujeitos
da pesquisa
Os sujeitos da pesquisa foram
divididos em dois grupos,
distribuídos aleatoriamente
em grupo experimental
e grupo-controle pelos
aplicadores das técnicas.

Avaliação dos sujeitos da
pesquisa
Realizou-se uma avaliação
no início do tratamento, e
uma reavaliação ao término
do tratamento por um
avaliador cego. Utilizou-se
o questionário WOMAC
para avaliação funcional e
a escala EVA para avaliar a
intensidade da dor.
A utilização da escala EVA é
assim descrita por Aquino et.
al, (1990) “Para avaliação da
dor, o paciente indicará uma
nota em uma escala visual
analógica horizontal, que
marcará