Sociologia J. - Anotação (23)
8 pág.

Sociologia J. - Anotação (23)

Disciplina:Sociologia Jurídica e Judiciária1.802 materiais14.493 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Professor: Dr. Mário Magalhães

DISCIPLINA: DIREITO PREVIDENCIÁRIO

Capítulo 2 - Aula 6

DA APOSENTADORIA POR INVALIDEZ

Coordenação: Prof. Dr. Wagner Balera

DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL

01

1-Risco protegido.

"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A

violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do

material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”

www.r2direito.com.br

O risco protegido é a incapacidade laboral. Esse benefício substitui os vencimentos do segurado, visto que o

indivíduo aposentado por invalidez é proibido de voltar a ter atividades laborais, sob pena de suspensão do

benefício.

2-Conceito de incapacidade para o trabalho.

Para fins previdenciários é valorizada a "incapacidade laborativa" ou a "incapacidade para o trabalho".

Para o INSS essa incapacidade é definida como : impossibilidade do desempenho das funções específicas de

uma atividade (ou ocupação), em conseqüência de alterações morfopsicológicas provocadas por doenças

ou acidentes.

3-Conceito de invalidez para o direito previdenciário.

Visto por uma ótica mais ampla significa a inaptidão ou incapacidade para o exercício de toda e qualquer

atividade por parte do segurado, capaz de garantir sua subsistência. (vide o artigo 42, da Lei 8.213/91)

4-Requisitos

A perda definitiva da capacidade laboral é uma contingência social deflagradora da aposentadoria por

invalidez. Distingue-se do auxílio-doença, também concebido para proteger o obreiro da incapacidade

labora, em razão de o risco social apresentar-se aqui com tonalidades mais intensas e sombrias. Vale dizer,

em princípio, o quadro é irreversível.

Este é o benefício devido ao segurado considerado incapaz e insusceptível de reabilitação para o exercício

de atividade que lhe garanta a subsistência. São requisitos para a obtenção do benefício:

a) Carência de 12 Contribuições Mensais (LBPS, art. 25, I), dispensada no caso de a incapacidade

decorrer de acidente de qualquer natureza ou causa, de doença profissional ou do trabalho ou de alguma

das doenças arroladas em uma lista especial, nos termos do inciso II do art. 26, valendo precariamente o

constante do art. 151;

b) Incapacidade Total, isto é, para qualquer atividade que seja apta a garantir a subsistência do segurado.

Ao contrário do auxílio-doença, é imprescindível que o segurado se afaste de toda e qualquer atividade

profissional que anteriormente exercia. Desimporta que essa outra atividade determine vinculação a regime

previdenciário diverso do geral. Da mesma forma, havendo incapacidade temporária, com prognóstico

de recuperação para a atividade anterior ou outra, o beneficio a ser concedido é o auxílio-doença, e não

aposentadoria por invalidez.

Capítulo 2

02

c) Incapacidade Permanente, ou seja, com prognóstico negativo quanto a cura ou reabilitação.

Assim é que, se a incapacidade é parcial, impedindo o exercício da atividade habitual do segurado, mas

permitindo o exercício de outra pela qual possa sobreviver, ainda que a habilitação tenha sido efetuada

mediante a realização de reabilitação profissional, não há direito à aposentadoria por invalidez. As

condições pessoais do segurado reclamam uma análise cuidadosa que não deve descuidar-se de

sua idade, aptidões, grau de instrução, limitações físicas que irão acompanha-lo dali para frente,

bem como a diminuição do nível de renda que a nova profissão poderá acarretar.

4-Comprovação da incapacidade

A incapacidade é aferida mediante exame médico o cargo da Previdência Social, podendo o segurado, às

suas expensas, fazer-se acompanhar de médico de sua confiança (art. 42, § 1º). Contudo, não se

conformando o segurado com a conclusão médica contrária da previdência social, poderá esta ser discutida

judicialmente, caso em que será imprescindível perícia judicial no curso da ação.

5-Preexistência do estado incapacitante

A doença ou lesão que preexistia à filiação do segurado ao sistema de proteção previdenciário não confere

direito ao benefício, nos termos do § 2º. Evidentemente, se o segurado filia-se já incapacitado, fica frustrada

a idéia de seguro, de modo que a lei presume a fraude.

6-Questões processuais

Na seara das lides previdenciárias, especificamente quando envolvem os benefícios por invalidez, temos

notado que o rigorismo dos princípios processuais tem sido abrandado por um certo tempero social pelo

poder Judiciário.

Sob este aspecto temos percebido, a alteração da causa de pedir que só é admissível nos mesmos casos que

a alteração do pedido. Contudo, se o laudo constatar incapacidade, por doença diversa da alegada na

inicial, o que implicaria alteração na causa de pedir, se tem entendido: "Não é impedimento à concessão de

benefício previdenciário a conclusão, pela perícia médica, de que a Autora é portadora de doença diversa

da alegada na inicial".

"PREVIDENCIÁRIO E PROCESSUAL CIVIL. REQUISITOS DO ART. 458 DO CPC/73. APOSENTADORIA POR

INVALIDEZ. CONCESSÃO. REDUÇÃO DA CAPACIDADE. CIRCUNSTÂNCIAS PESSOAIS. REABILITAÇÃO.

AUXÍLIO-DOENÇA. TERMO INICIAL. (...) 2. Não se concede a aposentadoria por invalidez quando a

conclusão do perito oficial aponta para redução da capacidade, sendo possível ao segurado reabilitar-se

para exercer atividades que não exijam esforço físico. 3. Circunstâncias pessoais que propiciam ao segurado

exercer outras atividades laborativas após reabilitação profissional. (...)" (AC nº 96.0428712-5/SC, TRF 4ª

R., Rel. Juíza Maria de Fátima Labarrèrre, 5ª T., un., DJU 21.05.97, p. 36.220)

“PREVIDENCIÁRIO. APOSENTADORIA POR INVALIDEZ. INCAPACIDADE LABORATIVA. CONDIÇÕES DO

SEGURADO. TERMO INICIAL. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. CUSTAS PROCESSUAIS.

"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A

violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do

material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”

www.r2direito.com.br

03

I Restando comprovada, através de perícia, a incapacidade em razão de debilidade mental do autor, o que

inviabiliza as chances de sucesso de uma eventual reabilitação, é de lhe ser concedida a aposentadoria por

invalidez. (...)" (AC nº 92.3000202-2/SP, TRF 3ª R., Rel. Theotônio Costa, 1ª T., un., DJU 07.03.95 p.

11.292)

"PROCESSO CIVIL. PREVIDENCIÁRIO. APOSENTADORIA POR INVALIDEZ. RESTABELECIMENTO.

NECESSIDADE DE PERÍCIA MÉDICO-JUDICIAL; A prova da incapacidade para o trabalho exige a

realização de perícia médica na via judicial, isenta e imparcial, não podendo o juiz decidir amparando-se

tão somente em laudo da Autarquia de caráter nitidamente unilateral. Determinada a anulação da sentença,

prejudicado o recurso da Autarquia." (AC nº 94.04.16709-6/ RS, TRF 4ª R., Rel. Juíza Virgínia Scheibe, 5ª T.,

un., DJU 30.07.97 p 57.849)

AC nº 92.04.27357-7/RS, TRF 4ª R., Rel. Juiz Vladimir Freitas, j. 26.11.92.

AC nº 96.04.01183-9/RS, TRF 4ª R., Rel. Juiz Nylson Paim de Abreu, 6ª T., DJU 26.3.97, p. 18.380.

Outro ponto a ser destacado é que nas ações judiciais pode haver divergência entre o perito do Juízo e o

assistente técnico da autarquia. Neste caso, em princípio, deve prevalecer a conclusão do perito judicial,

que está em posição eqüidistante do interesse das partes, ressalvada a hipótese de estarem as conclusões do

assistente técnico melhor fundamentadas ou escudadas em outros elementos de prova, tais como exames

laboratoriais.

7-Termo inicial

Comumente a aposentadoria por invalidez é precedida de auxílio-doença. Nesse caso, a aposentadoria terá

início a partir da data da cessação do auxílio-doença. Pode ocorrer, no