Aula_4
37 pág.

Aula_4

Disciplina:A Indústria do Petróleo e Gás130 materiais1.225 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás - TEQ/UFF Curso de Petroquímica / Profa. Rosenir 1

Aula 4
Configuração dos pólos

Petroquímicos Brasileiros

Parte 1 – CARACTERIZAÇÃO DA INDÚSTRIA PETROQUÍMICA

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir2

Cadeia de transformação dos principais
produtos petroquímicos

MATÉRIAS-PRIMAS

INDÚSTRIAS DE 1a GERAÇÃO

INDÚSTRIAS DE 2a GERAÇÃO

INDÚSTRIAS DE 3a GERAÇÃO

PRODUTOS BÁSICOS (Metanol, Gás de
Síntese, Amônia, Olefinas e aromáticos)

PRODUTOS INTERMEDIÁRIOS E FINAIS

GERALMENTE
FICAM
LOCALIZADAS NO
PÓLO

Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. RosenirCurso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF 3

Configuração do Pólo Petroquímico do Nordeste

DCE

eteno

DETEN
LAB

Estireno do Nordeste
Estireno/
Poliestireno

BRASKEM
Caprolactama

-BRASKEM-AL
Soda/cloro; DCE

MVC/PVC

metanol

BRASKEM
Steam-cracking
Reforma catalítica
MTBE

METANOR/COPENOR
Metanol; formol;
penta; hexamine;
formiato de sódio

nafta

propeno butadieno

gasolinas

C4=

amônia

PETROFLEX
PB; SBR

DOW
Soda/cloro; OP; PGs

propeno

POLIBRASIL
Polipropileno

ACRINOR
Acrilonitrila;
Acetonacianidrilna

METACRIL
Metacrilato de metila

COPENE MONÔMEROS
Buteno-1; isopreno

G.N.
o-xileno

benzeno

p- xileno

tolueno

BRASKEM
DMT; PET

ISOPOL
TDI

ELEKEIROZ
Anid. ftálico; maleico;

Octanol, butanol
plastificantes

BRASKEM
PEAD

BRASKEM
PELBD/PEAD

OXITENO NE
OE; EG; MEA

BRASKEM
Soda/cloro; MVC/PVC

BRASKEM (POLITENO)
PEBD;
PELBD/PEADn- parafinas

C5=

PETROBRAS
Nafta; propeno;

n-parafinas;
amônia/ uréia;
acido nítrico.

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. RosenirCurso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF 4

Polo Petroquímico de Camaçari - BA

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir5

Configuração do Pólo Petroquímico de S. Paulo

propeno
estireno

Óleos aromáticos

butenos

C.C.I.
Negro de fumo

ULTRAFERTIL
Amônia/ NitratoGN

SUZANO (POLIBRASIL)
Polipropileno

DOW
Poliois

PoliestirenoOP
COPEBRAS

Negro de fumo

gasolinas Mercado

POLIISOBUTENO
PIB

xilenos mistos
Mercado de
solventesPETROQUÍMICA UNIÃO

Steam cracking
Reforma catalítica
Resinas de petróleo

butadieno PETROFLEX
SBR

SHELL
SBS

o-xileno RHODIACOPTA
p-xilenoeteno benzeno

RHODIA
Fenol
Nylon 6 -6

An. Ftálico
An. maleico

PETROM
An. ftálico

nafta

Polímeros União
PEBD

CARBCLORO
Soda/ Cloro

SOLVAY
PVC
PEAD

DOW
PEBD

BASF
Poliestireno

Acrilatos

CBE
estireno

Acido Acrílico

COPENOR
Formol
Acetaldeído

metanol

Rhodia-Ster
Fibras
poliester
PET

Acetaldeído p/ COPENOR BA

PETROBRAS
Nafta, MTBE

propeno

OXITENO
OE e Derivados

Cumeno

C2/ C2= de refinarias

Formol para o mercado

MVC

Álcool Etílico

UNIPAR

ELEKEIROZ

Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir6Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

PQU

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. RosenirCurso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – Dept. de Eng.
Química / UFF

7

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir8

Configuração do Pólo Petroquímico do Rio G do Sul

PETROFLEX
SBR

OXITENO
Metil -etil -cetona

PETROBRAS
Nafta, propeno

COPESUL
Steam -cracking

MTBE

PETROQ.TRIUNFO
PEBDeteno

propeno

INNOVA
Estireno
Poliestireno

butadieno

BRASKEM
PEBD
PELBD / PEAD
Polipropileno

BRASKEM / PETROBRÁS
(IPIRANGA)

PELBD / PEAD
Polipropileno

DSM
Borracha EPDM

butenos
gasol. pirólise

mist.de xilenos

tolueno

Merc.Combustíveis

Merc. de solventes

Estireno p/ RJ

benzeno

Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir9

COPESUL
 A Copesul possui capacidade instalada para processar

3,7 milhões de toneladas/ano de nafta, com flexibilidade
para utilizar GLP e/ou condensado leve.

 A Petrobras/Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), de
Canoas (RS), é a fornecedora exclusiva de nafta para a
Copesul. levada por tubovia subterrânea até o Pólo
Petroquímico do Sul.

 Como a Refap não possui capacidade de produção
suficiente, uma parte da nafta chega ao Estado pelo
terminal marítimo da Petrobras no Litoral Norte.

 A logística integrada de distribuição garante a entrega do
produto certo, no momento certo.

 Estocagem:
 Na área industrial: mais de 100 mil m³

Terminal Marítimo de Rio Grande: 43 mil m³
Tedut (Osório): 170 mil m³.

Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. RosenirCurso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF 10

COPESUL

Terminal marítimo do Rio Grande

Central de Utilidades

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir11

Acrilonitrila

Butadieno

Estireno

NITRIFLEX
Látex SBR

NR

Corrente C2/C3
PETROBRAS

Nafta
Propeno
Gás Natural
Corrente C2/C3
MTBE

Gás natural

PROSINT
Metanol

RioPol
Pirólise de C2/C3

PELBD / PEAD/ PP

PETROBRÁS
(SUZANO - POLIBRASIL)

Polipropileno

Propeno

PETROFLEX
Borracha SBR, NR

Configuração do Complexo Petroquímico do Rio de
Janeiro

Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir12

Riopol – Rio Polímeros

Pirólise
Central

Gás-quimica
1ª geração

Polimerização
2ª geração

Riopol

Etano – 391 kta

Propano – 395 kta

Propeno (75 kta)
Hidrogênio (10 kta)
Gasolina (37 kta)

Polietilenos
(540 kta)

Eteno

(520 kta)

Duque de Caxias
Tecnologia:
ABBLummus

Tecnologia:
Unipol / Univation

Refinaria Reduc

Separação

Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir13

RIOPOL – Rio Polímeros

Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás - TEQ/UFF Curso de Petroquímica / Profa. Rosenir 14

Futuro Pólo Petroquímico de Itaboraí integrando o COMPERJ

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir15

Localização do novo Pólo Petroquímico de Itaboraí -
COMPERJ

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir16

Produção do Pólo Petroquímico de Itaboraí

A partir de uma carga de 150 mil barris/dia de petróleo produzido pela
Petrobrás na Bacia de Campos (Marlim), o Complexo Petroquímico deverá
produzir:

Produção anual em milhares de toneladas

1300

881
608

700

157

535
284

Eteno
Propeno
Benzeno
p-xileno
butadieno
Diesel
Nafta

1a Geração 2a Geração

PP – 85 mil ton/ano

PE – 800 mil ton/ano

Estireno – 500 mil ton/ano

Etilenoglicol – 500 mil ton/ano

PTA – 500 mil ton/ano

PET – 600 mil ton/ano

Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. RosenirCurso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF 17

Projeto
 Projeto global: US$ 8,4 bilhões

 1a geração: US$ 5,2 bilhões
 2a geração: US$ 3,2 bilhões

 Economia de divisas: US$ 2,3 bilhões/ano
 Equipamentos: mais de 5000 itens
 Conclusão global da obra: 2012-2013
 Para a 3a Geração estima-se:

 Cerca de 200 empresas (fábricas menores de
pequenos investimentos)

 Capacidade 3 bilhões ton/ano
 Faturamento de US$ 600 bilhões/ano
 Geração de 4000-5000 empregos

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir

Em construção o Pólo Petroquímico do Nordeste – Refinaria
Abreu e Lima – RENEST, PetroquímicaSuape e CITEPE

 A Refinaria Abreu e Lima da Petrobras terá capacidade para
processar 200 mil barris de petróleo pesado por dia. Cerca de
70% da produção serão de diesel. Além disso, produzirá gás de
cozinha, nafta petroquímica e coque de petróleo, um
combustível sólido utilizado em indústrias pesadas.

 O Pólo será integrado por uma indústria de ácido tereftálico
purificado (PTA), a ser construída pela Companhia Petroquímica
de Pernambuco (PetroquímicaSuape), e por uma unidade
industrial de polímeros e filamentos de poliéster, da Companhia
Integrada Têxtil de Pernambuco (Citepe).