Aula_4
37 pág.

Aula_4

Disciplina:A Indústria do Petróleo e Gás130 materiais1.225 seguidores
Pré-visualização3 páginas
 A PetroquímicaSuape (50% Petroquisa, 50% Citene) e a Citepe
(40% Petroquisa, 60% Citene) serão instaladas em terrenos
vizinhos à futura Refinaria do Nordeste – Abreu e Lima, ocupando
uma área de 55 hectares.

18Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir

Em construção o Pólo Petroquímico do Nordeste – Refinaria
Abreu e Lima – RENEST, PetroquímicaSuape e CITEPE

 A planta da PetroquímicaSuape terá capacidade para produzir
640 mil toneladas de PTA por ano e entrará em operação em
2010.

 A fábrica da Citepe produzirá 215 mil toneladas por ano de
polímeros e filamentos de poliéster e começará a funcionar em
2010, produzindo inicialmente fios texturizados.

 A escala de produção das plantas e a tecnologia de ponta
aplicada em seus processos oferecem as condições para que as
indústrias têxteis nacionais enfrentem a concorrência externa, em
especial dos países asiáticos, representando, dessa forma, o
ressurgimento da indústria têxtil nacional.

19Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir

Complexo
Petroquímico de

Suape

Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF 20

Porto de Suape

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir21

Refinaria Abreu e
Lima - RENEST

Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir22

BAHIA (Camaçarí, Candeias, Aratú)
BRASKEN ( olefinas e aromáticos)
ACRINOR ( acrilonitrila, acetocianidrina)
ELEKEIROZ (anidrido ftálico, octanol e butanol)
BRASKEM ( soda-cloro)
BRASKEM ( MVC e PVC)
DETEN ( LAB)
EdN (estireno e poliestireno)
METANOR ( metanol)
COPENOR ( formaldeído, HMT, pentaeritritol)
BRASKEM ( caprolactama)
BRASKEM ( PEAD, PELBD, PEUHMW)
POLIBRASIL ( polipropileno)
POLITENO (PEBD, PEAD/ PELBD)
ISOPOL ( TDI)
BRASKEM ( PET)
OXITENO ( óxido de eteno e derivados)
METACRIL (Metacrilato de metila)
DOW ( soda-cloro, óxido de propeno)

SERGIPE (Laranjeiras)
PETROBRÁS ( amônia, uréia)

ALAGOAS ( Maceió)
BRASKEM ( soda-cloro, DCE, MVC, PVC)

PERNAMBUCO (Cabo)
PETROFLEX ( BR, SSBR, SBS)

A INDÚSTRIA PETROQUÍMICA BRASILEIRA

SÃO PAULO (SANTO ANDRÉ, CUBATÃO)
PETROQUÍMICA UNIÃO ( olefinas e aromáticos)

C.B.E. (estireno)

OXITENO ( óxido de eteno e derivados)
POLIBRASIL ( polipropileno)

CARBOCLORO ( soda-cloro, DCE)

DOW ( PEBD)

Polímeros União ( PEBD)

SOLVAY + INDUPA( soda-cloro, MVC, PVC, PEAD)

BASF ( poliestireno, acrilatos)

POLIBUTENOS ( PIB)

CCI ( negro de fumo)

RHODIA ( fenol, ácido adípico , HMD, nylon
RHODIACO ( ácido tereftálico)
COPEBRAS ( negro de fumo)

ULTRAFERTIL ( amônia e nitrato de amônio )
UNIPAR ( cumeno, noneno, decanol)

RIO DE JANEIRO ( D. de Caxias, B. Roxo,
Manguinhos)

PETROFLEX ( SBR)
NITRIFLEX ( , SAN, latex NR)
POLIBRASIL ( polipropileno)
PROSINT ( metanol)

PARANÁ ( Araucária)
ULTRAFERTIL ( amônia e uréia)

RIO GRANDE DO SUL ( Triunfo)
COPESUL ( olefinas e aromáticos)
PETROQUÍMICA TRIUNFO ( PEBD)
IPIRANGA ( PEAD/PELBD, PP)
BRASKEM- ( PEBD, PEAD/PELBD,PP)
OXITENO ( Metil-etil-cetona)
INNOVA ( Estireno, PS)
DSM Elastômeros ( EPDM)

PETROM (anid. ftálico e plastificantes)
ELEKEIROZ (formol, anid. ftálico e plastificantes

AMAZONAS

VIDEOLAR(PS)

RIOPOL (eteno e polietileno)

Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir23Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. RosenirCurso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF 24

MAIORES GRUPOS EMPRESARIAIS DA PETROQUÍMICA
BRASILEIRA

GRUPO

PETROQUISA Estatal

BRASKEM Privado Nacional

UNIPAR Privado Nacional

IPIRANGA Privado Nacional

Ultra Privado Nacional

Suzano-Feffer Privado Nacional

Mariani Privado Nacional

PROQUIGEL Privado Nacional

Mariani Privado Nacional

ELEKEIROZ Privado Nacional

Grupo Peixoto de Castro Privado Nacional

DOW Multinacional

FOSFÉRTIL Multinacional

Bayer Multinacional

Solvay Multinacional

PETROBRAS ENERGIA Argentina

Mossi & Ghisolfi Multinacional

Rhodia Multinacional

Privado Nacional + Estatal

Privado Nacional + Estatal

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir25

PRINCIPAIS INDÚSTRIAS PETROQUÍMICAS DO MUNDO
Capacidade instalada de produção (2003)

Empresa Eteno Empresa Propileno
DOW 8.883 EXXON-MOBIL 5.827

EXXON-MOBIL 8.389 SHELL 5.263
SHELL 6.807 China Petrochemical 4.142
SABIC 5.549 BP-AMOCO 3.151

BP-AMOCO 4.987 TOTAL-FINA-ELF 3.004
China Petrochemical 3.950 DOW 2.956

LYONDELL(*) 3.433 BASF 2.214
TOTAL-FINA-ELF 3.373 China National Petroleum (*) 2.119

FORMOSA PLASTICS 2.971 LYONDELL(*) 1.940
NOVA (*) 2.910 CONOCO-PHILLIPS 1.782

BASF 2.892 Formosa Plastics 1.728
ENICHEM 2.469 SABIC 1.610

HUNTSMAN(*) 1.926 ENICHEM 1.591
CHEVRON 1.911 ENTERPRISE 1.487

CONOCO -PHILLIPS 1.911 RELIANCE 1.243
Outras 49.347 Outras 34.760
TOTAL 112.616 TOTAL 74.816

Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás - TEQ/UFF Curso de Petroquímica / Profa. Rosenir 26

Aula 5
Características da Indústria

Petroquímica

Parte 1 – CARACTERIZAÇÃO DA INDÚSTRIA PETROQUÍMICA

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir27

Características marcantes

CARACTERÍSTICAS MARCANTES DA INDÚSTRIA
PETROQUÍMICA

Elevado grau de integração;
Interdependência entre os produtos.

CONSEQÜÊNCIA

Qualquer problema em qualquer elo da cadeia se transmite
e provoca reflexos imediatos em toda a sua extensão

Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir28

Características marcantes
 Características inerentes a indústria química pesada;

 Necessita de suprimento abundante, contínuo e regular de
matérias-primas a preço competitivo;

 Porte elevado, decrescendo dos básicos para os finais;

 Emprego de processos contínuos e automatizados;

 Possui expressivo custo operacional;

 Investimento do tipo capital intensivo;

 Baixa participação da mão de obra no custo do produto;

 Requer elevado apoio de utilidades e facilidades;

 Requer pesados investimentos em equipamentos de controle
de poluição e segurança;

 Dimensionamento atendendo a escala de produção
competitiva

Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir29

Características de mercado
 Os produtos petroquímicos são destinados a outras indústrias;

 Possui alta dependência e interligação;

 Possui uma dinâmica própria, possuindo capacidade de
inovação e desenvolvimento de novos produtos;

 Evolução constante;
 A produção de eteno tem crescido mais do que o PIB mundial.

No período de 1976/94 exibiu uma taxa de elasticidade de
1,65.

 Conteúdo dos produtos petroquímicos nos bens de consumo.
Ex.: automóveis (aumento no conteúdo dos plásticos nos
últimos anos).

 As fronteiras entre a petroquímica e as indústrias downstreans
são difíceis de definir por vezes. Ex.; a produção do polímero
em pó é um processo petroquímico e a conversão do pó em
grânulos (comercial) é um processo mecânico (extrusão).

Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir30

Tecnologia

 Dinamismo tecnológico, abrangendo processos e
produtos;

 Necessita de Know-how e patentes;

 Alto investimento nas atividades de P&D (Pesquisa e
Desenvolvimento). Pesquisa científica e tecnológica
intensivos para novos produtos/processos;

 Licenciamento da tecnologia – negócio específico e
rentável. Há que se tomar cuidado, pois senão
houver esforços de capacitação tecnológica pode
resultar em dependência permanente.

 Projetos de longa maturação;

Curso de Especialização em Engenharia de Petróleo e Gás – TEQ / UFF

Curso de Petroquímica – Parte 1/ Profa. Rosenir31

Estrutura produtiva