9aula
8 pág.

9aula

Disciplina:Direito Constitucional I7.704 materiais553.827 seguidores
Pré-visualização3 páginas
9a. Aula

PODER LEGISLATIVO

Sistema Presidencialista

Poder Legislativo: modernamente, tem a qualidade de ser pluralista pois reúne representantes de todas as regiões do País e de diferentes visões ideológicas, o que se viabiliza pela ampliação do direito de voto e de candidaturas (no séc. XIX a cultura política e o voto censitário tornavam o legislativo homogênio e representante dos interesses da alta classe).
A visão pluralista do legislativo moderno afirma sua qualidade de caixa de ressonância da sociedade. O estudo do poder legislativo na CF/88 será dividido em parte organizacional e parte funcional.

Estrutura do Poder Legislativo

CONGRESSO NACIONAL

No plano federal o pode legislativo é bicameral e exercido pelo Congresso Nacional, que se compõe de Camara dos Deputados e Senado Federal. No plano estadual e municipal é unicameral.

O bicameralismo (embora integrado por câmara e senado) justifica-se:

* pela forma federativa, pois a câmara é integrada por representantes do povo dos estados, enquanto que o senado é integrado por representantes de cada um dos estados. O papel do senado neste sentido (composto por três membros de cada estado) é preservar a unidade federativa;

* serve como engenharia política para controlar o poder de estados ricos e populosos como São Paulo, por exemplo: São Paulo tem 70 deputados, razão pela qual tem poder na câmara, mas no senado tem3 senadores;

não há hierarquia jurídica entre câmara e senado por isso o constituinte alterna preferências conferidas as casas; por ex.: o presidente da câmara substitui o presidente da republica antes do presidente do senado, mas o presidente do congresso é o presidente do senado;

as casas legislativas são integradas por órgãos dentre eles:

a) mesa diretora, são compostas por membros eleitos para um biênio, vedada a recondução na mesma legislatura, ou seja, sendo reeleito para a próxima legislatura o presidente da mesa poderá ser reconduzido para o primeiro biênio da próxima legislatura; o presidente do congresso é o presidente do senado, enquanto o vice-presidente do congresso é o vice-presidente da câmara e assim sucessivamente intercalando as duas mesas; o presidente da câmara não tem assento na mesa do congresso; a mesa tem diversas funções que vão desde a condução dos trabalhos legislativos, por exemplo: fixando a ordem do dia; administrativas, por ex.: inclusive julgando parlamentares, podendo aplicar perda do mandato e, até mesmo judiciais.

b) comissões: são frações das casas legislativas criadas pelo regimento interno e integradas por parlamentares cujas vagas são distribuídas proporcionalmente a força dos partidos ou blocos parlamentares na casa; as minorias também tem assento nas comissões, fazendo-se rodízio entre os partidos; o STF julgou inconstitucional clausula de barreira que impedia a participação dos partidos nas comissões caso esses não obtivessem 5% dos votos do eleitorado nacional; os partidos políticos precisam ser saneados por isso a finalidade da clausula; há diversas espécies de comissão, que podem ser classificadas: a) quanto ao tempo, em temporárias (CPI) e permanentes (CCJ – comissão popular que analisa a constitucionalidade dos projetos), quanto às funções podem ser, legislativas, podendo, inclusive, votar o próprio projeto além de ofertar parecer (comissão de finanças, também chamadas de temáticas); administrativa, por exemplo: comissão de ética; especiais, por exemplo, uma comissão para analisar o trabalho infantil e investigativas (CPI).

Funcionamento das Casas Legislativas: legislatura é o período de 4 anos que coincide com o mandato dos deputados; um mandato dos senadores alcança duas legislaturas;

* Sessão legislativa corresponde a ano (igual ao civil);

a) é dividida em sessão ordinária integrada por dois períodos (2/02 a 17/07 e 01/08 a 23/12);

b) recesso, que compreende os períodos intercalares dos períodos legislativo;

c) sessões extraordinárias que compreendem o funcionamento no período do recesso; A convocação extraordinária far-se-á conforme art. 57, p. 6o.:

* pode se dar por ato vinculado, por exemplo: decretação de intervenção federal, pedido de autorização de decretação de estado de sitio; ou,

* por ato discricionário, por exemplo: caso de urgência ou interesse público relevante, neste caso convocada pelo presidente da republica, pelos presidente da câmara e do senado ou pela maioria absoluta de ambas as casas.

Durante a convocação extraordinária podem ser analisadas apenas as matérias que justificaram a convocação e as medidas provisórias que já estavam em pauta.

Reuniões, votações e maiorias: as reuniões das casas legislativas em regra são bicamerais (câmara e senado se reúnem separadamente) nos casos do art. 57, p. 3º., da CF, as reuniões ou sessões serão conjuntas, reunindo-se no plenário da câmara (por exemplo – para inaugurar a sessão legislativa, elaborar o regimento interno e regular a criação de serviços comuns as duas casas e conhecer e deliberar sobre o veto);

Votações e Maiorias: Há diversas espécies de maiorias, dentre elas:

a) maioria qualificada – quorum, numero expressivo do total dos membros da casa, visando legitimidade nas votações, por exemplo: 2/3 (há vários 2/3 tais como, julgamento no impeachement e até mesmo resolução do senado) e 3/5, para emendas; b) maioria absoluta – numero inteiro imediatamente subseqüente a metade do numero total de membros da casa, por exemplo: se o total de membros é 501, maioria absoluta é 251, será maioria absoluta se a CF mencionar “maioria de seus membros”, há diversos casos, tais como: aplicação de perda de cargo de procurador geral da republica pelo senado, art. 52, XI, da CF;

c) maioria simples ou relativa é o numero inteiro imediatamente subseqüente do total dos presentes, no mínimo devem estar presentes a maioria absoluta dos membros para legitimar a deliberação, por exemplo: total dos membros 501, presentes 300, maioria simples 151; ex.2: presentes 150, não há votação;

O art. 47, CF, dispõem sobre o assunto e prevê que será aplicada a maioria simples se não houver maioria prevista;

17/08/07

Câmara dos Deputados

A Camara compõem-se de representantes do povo, eleitos pelo sistema proporcional em cada Estado.

 O sistema é proporcional quando a distribuição dos mandatos ocorre de maneira que os numero de representantes em cada circunscrição eleitoral seja dividido em relação ao numero de eleitores, de sorte que resulte uma proporção.

Deste modo o numero para cada estado varia em razão de sua população. Sendo que, o mínimo é de 8 e o máximo é 70. Só o estado de SP tem 70 deputados

Cabe a lei ordinária disciplinar o sistema proporcional, levando em conta o numero de vagas aos partidos políticos.

Os partidos políticos recebem vagas na proporção de seus votos no Estado, que serão atribuídas aos primeiros colocados que se candidataram por sua legenda ou coligação. A lei eleitoral dá critérios para o calculo e atribuição de vaga, especialmente para as que sobrar.

Na verdade, a vaga inicialmente é atribuída ao partido, em razão de seu desempenho nas eleições e do seu projeto de governo. Por isso, a fidelidade partidária é indispensável para a execução do programa de governo escolhido pelo povo, o que levou o TST a concluir que a mudança de partido, depois das eleições causa a perda do mandato que será recuperado pelo partido e atribuído ao suplente.

Na democracia pelos partidos, o povo se governa, pois escolhe o programa de governo que quer ver aplicado após as eleições, durante todo o governo (a democracia política não se resume a mera escolha dos representantes).

Os suplentes foram candidatos cuja votação determinar classificação abaixo das vagas obtidas pelos partidos.

O numero de vagas para cada estado é definido em lei complementar. A câmara tem 513 deputados.

Os territórios tem 4 deputados federais, independente de população.

OBS: a verticalizaçao se refere ao caráter nacional dos partidos, previsto no art. 17, I, da CF.

Senado

O Senado compõem-se de representantes dos