ESTUDO PRELIMINAR DO POTENCIAL CARIOGÊNICO DE PREPARAÇÕES DOCES DA MERENDA ESCOLAR ATRAVES DO ph DA SALIVA
15 pág.

ESTUDO PRELIMINAR DO POTENCIAL CARIOGÊNICO DE PREPARAÇÕES DOCES DA MERENDA ESCOLAR ATRAVES DO ph DA SALIVA

Disciplina:Unidade de Reabilitação Integral do Aparelho Estomatognático494 materiais977 seguidores
Pré-visualização5 páginas
caries-inactive and active
kenyan children. Journal of Dental Research,
Washington DC, v.71, n.1, p.25-31, 1992.

FUNDAÇÃO PÚBLICA MUNICIPAL DE EDUCA-
ÇÃO DE NITERÓI. Departamento de Assistência
ao Educando. Divisão de Nutrição. Planejamento
de cardápio dos meses de agosto/setembro/outubro
de 1996. Niterói : FMS, 1996. (Mimeografado).

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E
ESTATÍSTICA. Tabelas de composição dos
alimentos. 2.ed. Rio de Janeiro, 1977. 202p.

JOHANSSON, I. Saliva composition in indian children
with chronic protein-energy malnutrition. Journal
of Dental Research, Washington DC, v.73, n.1,
p.11-19, 1994.

KRASSE, B. Risco de Cárie. 2.ed. São Paulo :
Quintessence, 1998. p.15-28, 69-74.

KOO, M.H., CURY, J.A. Concentração e tipos de
açúcares presentes em produtos alimentícios,
guloseimas e medicamentos encontrados no mercado
brasileiro. Revista da Associação Brasileira de
Odontologia, São Paulo, v.4, n.3, p.172-175, 1996.

LINGSTROM, P. pH measurements of human dental
plaque after consumption of starchy foods using

the microtouch and the sampling method. Caries
Research, Basel, v.27, p.394-401, 1993.

LOHMAN, T.G., ROCHE, A.F., MARTORELL, R.
Anthropometric standardization reference manual.
In: HUMAN kinetics books. Illinois : Champaign,
1988. p.3-8.

LOURO FILHO, P.P., MAYER, M.P.A. Risco de cárie
prática odontológica centrada em prevenção.
Biblioteca Científica da ABOPREV, v.4, n.3,
p.172-175, 1991.

MAHAN, L.K., ARLIN, M.T. Alimentos, nutrição e
dietoterapia. 8.ed. São Paulo : Roca, 1995. p.427-433.

MENAKER, L. Cáries dentárias: bases biológicas.
Rio de Janeiro : Guanabara Koogan, 1984. 461p.

MOREIRA, B-H.W., PEREIRA, A.C., OLIVEIRA,
S.P. Avaliação da prevalência de cárie dentária em
escolares de localidade urbana da Região Sudeste
do Brasil. Revista de Saúde Pública, São Paulo,
v.30, n.3, p.280-284, 1996.

MUNDORF, S.A. Cariogenic potential of foods. Caries
Research, Basel, v.24, n.5, p.344-355, 1990.

NAVIA, J.M. Carbohydrates and dental health.
American Journal of Clinical Nutrition, Bethesda,
v.59, p.719S-727S, 1994. Supplement

SAMUELSON, G., GRAHNÉN, H., ARVIDSSON, E.
An epidemiological study of child health and
nutrition in a northern swedish county. VI.
Relantioship between general and oral health, food
habits, and socioeconomic conditions. American
Journal of Clinical Nutrition, Bethesda, v.24, n.11,
p.1361-1373, 1971.

SILVA, M.F.A. O potencial cariogênico do amido.
Revista Gaúcha de Odontologia, Porto Alegre,
v.32, n.2, p.127-132, 1984.

SINTES, J. L. Potencial cariogênico de frutas. Revista
Gaúcha de Odontologia, Porto Alegre, v.31, n.3,
p.212-214, 1983.

THYLSTRUP, A., FEJERSKOV, O. Tratado de
cariologia. São Paulo : Cultura Médica, 1988.
p.93-154, 281-292.

THYLSTRUP, A., FEJERSKOV, O. Cariologia clínica.
2.ed. São Paulo : Santos, 1995. 411p.

TOMITA, N.E., BIJELLA, V.T., LOPES, E.S.,
FRANCO, L.J. Prevalência de cárie dentária em
crianças da faixa etária de 0 a 6 anos matriculadas
em creches: importância de fatores socioeconômicos.
Revista de Saúde Pública, São Paulo, v.30, n.5,
p.413-420, 1996.

WARTERLOW, J.C., BUZINA, R., KELLER, W.,
LANE, J.M., NICHAMAN, N.Z., TANNER, J.M.

POTENCIAL CARIOGÊNICO DA MERENDA ESCOLAR 283

Rev. Nutr., Campinas, 12(3): 273-287, set./dez., 1999

The presentation and use of height and weight data
for comparing the nutritional status of groups of
children under the age of 10 years. Bulletin of the
World Health Organization, Geneva, v.55, n.4,
p.489-498, 1977.

WEYNE, S. Cariologia. In: BARATIERI, L.N., DE
ANDRARA, M.A.C., JUNIOR, S.M., CARDOSO,

A.C., POLIDORO, J.S., DE ANDRADA, R.C., DE
SOUZA, C.N., BRANDEBURGO, P.C., LINS,
J.R.S., DE ANDRADA, C.A. Dentística :
procedimentos preventivos e restauradores. 2.ed.
São Paulo : Quintessence, 1995. p.1-42.

Recebido para publicação em 24 de junho de 1998 e aceito em 20
de janeiro de 1999.

C.P. LÁZARO et al.284

Rev. Nutr., Campinas, 12(3): 273-287, set./dez., 1999

ANEXOS

ANEXO 1

Modelo do termo de adesão do voluntário

Niterói, de de 1996

Para o responsável pela criança:

Nós da Faculdade de Nutrição da UFF, estamos desenvolvendo um trabalho sobre cárie em conjunto com a Faculdade de Odontologia. Para isso,
estamos precisando de voluntários que estejam dispostos a colaborar conosco.

O trabalho consistirá em:

a) Avaliação da estatura e do peso da criança,
b) Um questionário que deverá ser respondido pelo responsável,
c) Consumo de um alimento da merenda escolar, que será preparado no Laboratório Dietético da Faculdade de Nutrição e,
d) Coleta de uma amostra da saliva da criança para análise.
As crianças que participarão do trabalho como voluntários deverão chegar às 7h nos dias marcados para a consulta.

Assinale abaixo se seu filho poderá participar:

 SIM NÃO
Estou de comum acordo com o trabalho acima, a ser realizado na Clínica de Odontologia, onde meu filho participará como voluntário.

Assinatura do responsável:

POTENCIAL CARIOGÊNICO DA MERENDA ESCOLAR 285

Rev. Nutr., Campinas, 12(3): 273-287, set./dez., 1999

ANEXO 2

Modelo da ficha de dados do voluntário

Nome: Idade:

Endereço:

Turma de tratamento: Horário Dia

1) A criança tem apresentado alguma doença?
Sim Não

2) Qual?
Gripe Alergia

Problema renal Outra Qual?

3) Está fazendo uso de algum(ns) medicamento(s)? Qual(is)?

4) Qual a renda da sua família?
1 salário mínimo 2-3 salários mínimos

3-4 salários mínimos 4-5 salários mínimos

5-6 salários mínimos + de 6 salários mínimos

Observações:

Data Preparações
pH

0’ 10’ 20’ 40’ 60’

C.P. LÁZARO et al.286

Rev. Nutr., Campinas, 12(3): 273-287, set./dez., 1999

ANEXO 3

Modelo de ficha de anamnese alimentar utilizada na Clínica do Departamento de Odontologia Clínica da Faculdade de Odontologia da UFF

Universidade Federal Fluminense
Centro de Ciências da Saúde
Faculdade de Odontologia
Departamento de Odontoclínica
Disciplina de Odontopediatria

Hábitos alimentares

Alimento

Leite
Queijo
Pão doce
Pão de sal
Batata
Vegetal verde
Suco de fruta
Macarrão
Carne
Ovos
Refrigerantes
Bolo
Café
Chá
Biscoito
Balas (guloseimas)

Selantes de sulcos e fissuras

1. Já aplicou? Sim ( ) Não ( )

2. Em que dentes?

3. Há quanto tempo?

Nunca 1 vez ao
mês

2 vezes ao
mês

1 vez por
semana

2/3 vezes por
semana

1 vez
ao dia

2/3 vezes
ao dia

4 vezes
ou + ao dia

Complementos

CLÍNICA DE PREVENÇÃO

POTENCIAL CARIOGÊNICO DA MERENDA ESCOLAR 287

Rev. Nutr., Campinas, 12(3): 273-287, set./dez., 1999

ANEXO 4

Modelo de ficha preconizada por Louro Filho & Mayer (1991) e adotada na clínica do Departamento de Odontologia Clínica da
Faculdade de Odontologia da UFF, para classificar o risco de cárie das crianças atendidas

Fatores

Anamnese

Uso de flúor

Exame clínico
Quantidade de placa
Atividade de cárie no passado imediato
Número de lesões inicipientes ativas
Aparência das lesões
Cavitações

Inicipientes

Localização das lesões

Saliva
Fluxo salivar
Capacidade tampão

Dieta
Freqüência de ingestão de carboidratos

Nível salivar de microorganismos
S. mutans
Lactobacilos

Risco

Negativos

Fatores aceleradores da atividade de cárie (doenças
sistêmicas, medicamentos, situação social)
Não

Alta
Alta
Alto
(Ativas)
Claras
Amolecidas
Rugosas
Opacas
Lesões também em superfície de < risco

Deficiente
Deficiente

Alta

Alto
Alto

Alto

Positivos

Não há fatores aceleradores

Sim

Baixa
Baixa
Baixo
(Paralisadas)
Escuras
Endurecidas
Lisas
Brilhantes
Lesões só em superfícies de > risco

Normal
Normal

Baixa

Baixo
Baixo

Baixo