CCJ0006-WL-PA-13-Direito Civil I-Novo-15840
12 pág.

CCJ0006-WL-PA-13-Direito Civil I-Novo-15840


DisciplinaDireito Civil I60.850 materiais664.828 seguidores
Pré-visualização5 páginas
direta irradiação da personalidade (liberdade, honra, nome, privacidade, etc).
 
REFERÃ\u160NCIAS BIBLIOGRÃ\ufffdFICAS:
 
Nome do livro: Curso de Direito Civil. Vol 1 Parte Geral - ISBN. 8530927923 
Nome do autor: NADER, Paulo.
Editora: Forense
Ano: 2009
Edição: 6a
Nome do capítulo: Bense patrimônio
N. de páginas do capítulo: 13
	
	 Aplicação Prática Teórica
 
Os bens reciprocamente considerados.
Três amigos que há muito não se viam encontram-se por acaso no corredor da 1ª. Vara Cível de Goiânia/GO, enquanto aguardam suas respectivas audiências. Papo vai papo vem acabam por revelar o motivo que os levou até lá. 
LAURO, professor de educação física, construíra de boa-fé uma piscina olímpica no terreno do imóvel que alugara para ali instalar sua academia de natação; DAGOBERTO, também de boa-fé, construíra uma piscina na casa que alugara para passar os fins-de-semana e WALDOMIRO, sempre na maior das boas-fés, construíra uma piscina no imóvel alugado em que funcionava a escola de ensino fundamental que dirigia. Todos os amigos, após a rescisão de seus contratos de locação, recusaram-se a deixar os respectivos imóveis e entraram na justiça buscando a indenização pelo que gastaram e pela valorização dos imóveis, com base em pretenso direito de retenção. 
Pergunta-se:
 
a)             A natureza jurídica da benfeitoria realizada por cada um dos amigos  por se tratar de uma piscina, é a mesma? Afinal, o que é uma benfeitoria?
 
b)             O que significa esse â\u20ac\u153direito de retençãoâ\u20ac\ufffd alegado por todos os amigos como base para não saírem dos imóveis alugados? Todos eles são titulares de tal direito?
 
a)     E se o proprietário da casa alugada por DAGOBERTO passasse a cobrar ingresso de seus vizinhos para utilizarem a piscina construída, faria diferença no caso em análise?
 
Caso Concreto 2
 
Os bens públicos.
 
A Administração Pública do Estado de São Paulo resolveu alienar um prédio onde funciona a sede de uma empresa de iluminação do estado, para saldar dívidas contraídas frente a algumas empresas contratadas para fazerem obras de reforma em dois hospitais e cinco escolas, estabelecidos no interior do estado.  
Com base no caso proposto, é admissível a alienação do imóvel em questão perante nosso ordenamento jurídico?  Justifique sua resposta
 
Questão Objetiva
 
 
Marque a alternativa ERRADA em relação aos bens reciprocamente considerados
(   ) o bem principal é um bem que possui existência autônoma, própria, já os bens acessórios dependem da existência de outro bem
(   )  as pertenças são coisas móveis ou imóveis destinadas ao serviço ou ornamentação de um bem principal como parte integrante.
(   ) os frutos, produtos e rendimentos são bens acessórios
(   ) benfeitoria é toda obra ou despesa feita na coisa principal para conservá-la ou melhorá-la.
(   ) o possuidor de boa-fé tem direito à indenização das benfeitorias necessárias e úteis
Â