Aulas de Geologia 2012

Disciplina:Geologia5.817 materiais50.684 seguidores
Pré-visualização12 páginas
Teceu considerações sobre a impossibilidade de ser reconhecido algum vestígio do início da história da Terra, pelo fato de as rochas antigas provirem de outras ainda mais antigas, destruídas pela erosão.
O ponto de vista de Hutton sobre as mudanças sofridas pela Terra por meio de causas físicas existentes ao longo de um tempo quase ilimitado veio a ser chamado “Uniformitarismo”.

*

CHARLES LYELL (1797 -1875)

Elaborou a síntese geral do conhecimento geológico acumulados.
Ampliou os conhecimentos na área de geologia física e estratigrafia.
Foi um dos grandes defensores do Uniformitarismo.

*

1.3 – OBJETIVOS DA DISCIPLINA GEOLOGIA

Apreender os conceitos básicos da geologia.
Compreender, identificar e caracterizar o conjunto processos geológicos atuantes na Terra.
Compreender a dinâmica da crosta terrestre por meio da interação dos processos geológicos
Interpretar as feições presentes nas rochas e correlacionar aos processos presentes e pretéritos.
Compreender a importância dos minerais e das rochas como produtos da dinâmica terrestre.

*

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

EICHER, D. L. Tempo geológico. Rio de Janeiro: Editora Edgard Blücher, 1988.
LEINZ, V. & AMARAL, S.E.do Geologia Geral. 8ª ed. São Paulo: Cia Editora Nacional, 1981.
PRESS, F.; SIEVER, R.; GROTZINGER, J.; JORDAN, T.H. Para entender a Terra. Artmed Editora SA. São Paulo, 2004.
McALESTER, A. L. História geológica da vida. São Paulo: Editora Edgard Blucher, 1977.

*

2 - A TERRA

2.1 – Origem da Terra
2.2 – Estrutura e Composição Interna
2.3 – A crosta Terrestre

*

2.1 – ORIGEM DA TERRA
 A origem da Terra, desde a época dos antigos pensadores gregos, vem sendo um campo de indagações:

Tales de Mileto (636-584 a.C.), ao observar os depósitos fluviais, acreditava ser a água o agente formador da Terra.

Anaxímenes (m. em 480 a.C.) atribuía ao ar.

Heráclito (384-322 a.C.) acreditava ser o fogo o agente formador da Terra.

*

 A origem da Terra não pode ser tratada independentemente da origem do sistema Solar.

Segundo a teoria de Laplace (1796) a Terra teria se originado a partir do sol e, este, resultou da condensação de uma imensa nebulosa que se estendia além da órbita de netuno.

 Origem do sistema solar - Segundo modelo aceito atualmente  origem ligada a uma nebulosa ancestral.

*

Formada de poeira cósmica e gás (originada da explosão de uma supernova);

*

Composição química original semelhante a abundância solar dos elementos;

Forma de um disco achatado em rotação;

*

Nos primórdios da evolução, a temperatura da região mais interna da nebulosa  elevada;
Com o resfriamento gradativo pela perda de energia por radiação  parte dos gases condensou-se em partículas sólidas;
Colisão de partículas sólidas  processo de acreção planetária;
Formação de anéis no estágio inicial com concentração maior de matéria sólida;
Entre os anéis  espaços com menor concentração de matéria;

*

Com o resfriamento  concentração de matéria e formação de corpos da ordem de 1 km (planetésimais) e, posteriormente os protoplanetas.

*

*

Sistema Solar

*

Formação da Lua

*

2.1 - ESTRUTURA INTERNA DA TERRA

Observações da densidade e gravidade  interior da Terra possui constituição diferente da crosta.

Densidade	
Medidas diretas da densidade das rochas da crosta terrestre = 2,72g/cm3.
Densidade global da Terra = 5,527g/cm3

*

Gravidade

Bouguer (1749):
O fio de prumo desviava em direção ao oceano (costa peruana).
Desvio do pêndulo para o mar (golfo de Biscaia e não para os Pireneus).

George Everest
Levantamento topográfico na Índia – Desvio do fio de prumo em direção ao oceano e não ao Himalaia.

*

John Pratt
Cálculo do desvio ocasionado pela atração do Himalaia (desvio calculado = 15 seg. e o desvio real = 5 seg.).

*

 Métodos diretos
Constituição interna da Terra
 Métodos indiretos

Observações diretas

Sondagens 7 km
Minas profundas 3 km
Materiais expelidos pelos vulcões 100 km

*

Observações indiretas

Propagação das ondas sísmicas
Estudos dos meteoritos

A análise das informações colhidas em sismógrafos distribuídos sobre a Terra permitiu construir um modelo da sua estrutura interna.

*

Ondas sísmicas
 
 São ondas elásticas naturais produzidas pela Terra, resultantes da liberação das tensões acumuladas na crosta terrestre (compressivas ou distensivas) durante o lento movimento das placas litosféricas, principalmente nas suas bordas. Quando estas tensões atingem o limite da resistência das rochas, ocorre uma ruptura (falha geológica).

*

 As ondas sísmicas, ao se propagarem pela Terra, geram os terremotos.
 
 Dois tipos importantes para o estudo do interior da Terra: Longitudinal e Transversal .

Onda longitudinal (principal ou P) – É um tipo de onda que, durante a sua propagação, as partículas do meio vibram paralelamente ao sentido de propagação. Caracteriza-se por propagar tanto em meio sólido quanto no meio líquido.

*

 Onda transversal (secundária ou S) - Neste tipo de onda as partículas vibram perpendicularmente ao sentido de propagação. Propaga-se apenas no meio sólido.

 Dados obtidos de sismógrafos distribuídos em toda a Terra permitiram a compreensão da sua estrutura interna.

*

Propagação da ondas sísmicas pela Terra
Diagrama mostrando diferença de tempo de chegada de vários tipos de ondas em distintas estações sismográficas. P – onda primária; S – onda secundária e L – onda longa.
(seg. Sieberg,1.923).

*

Dois tipos de ondas sísmicas são utilizados para o estudo da composição interna da Terra: Primária (longitudinal ou P) e Secundária (transversal ou S).
A Terra é constituída de crosta (litosfera), manto, núcleo externo e núcleo interno;
A crosta é a camada mais externa e sólida da Terra, formada de rochas, onde se manifestam todos os fenômenos da dinâmica interna e externa;

*

A Terra na fase da diferenciação geoquímica e a estrutura em camadas concêntrica.

*

D. Mohorovicic
D. de Wichert-Gutemberg
Constituição e características internas da Terra

*

Abundância dos principais elementos químicos na Terra como um todo e na Crosta

*

Meteoritos
Meteoritos são corpos extraterrestres que caem sobre a Terra (fazem parte do sistema solar).
 

A Terra recebe diariamente cerca de 1.000 a 10.000 ton./dia de poeira cósmica e meteoritos.

Cratera de impacto de um meteorito, Arizona, EUA (Fonte NASA).

*

Meteoritos menores volatilizam-se na atmosfera, não chegando a atingir a superfície do planeta.
 
Resultam da fragmentação de planetésimos por impacto, na região entre Marte e Júpiter, podendo ou não ter sofrido diferenciação geoquímica.

Os meteoritos subdividem-se em classes e subclasses, de acordo com as suas estruturas internas, composições químicas e mineralógicas

*

*

Gênese dos meteoritos
Esquema simplificado da origem dos corpos parentais dos meteoritos. Grandes impactos causaram a fragmentação desses corpos parentais, originando diferentes tipos de meteoritos. (Fonte: Teixeira, W. et al. 2000).

*

 2.3 - A Crosta Terrestre

A crosta é composta de duas partes: crosta continental (crosta granítica ou SIAL) e a crosta oceânica (crosta basáltica ou SIMA);

A crosta continental é formada por cerca de 95% de rochas ígneas (ígneas + ígneas metamorfisadas) e 5% de rochas sedimentares (sedimentares + sedimentares metamorfisadas).

*

 Três grandes grupos de rochas formam a crosta terrestre:
Rochas ígneas ou magmáticas
Rochas sedimentares
Rochas metamórficas
As rochas ígneas + ígneas metamorfisadas:
Correspondem a 95% do volume da crosta
Ocupam cerca de 25% da área da crosta
As rochas sedimentares + sedimentares metamorfisadas:
Perfazem cerca de 5% do volume da crosta
Ocupam cerca de 75% da área da crosta

*

Composição mineralógica média das rochas magmáticas (Clark & Washington).
 

*

 Constituição litológica da crosta externa