6aula
5 pág.

6aula

Disciplina:Direito Constitucional I7.704 materiais553.827 seguidores
Pré-visualização2 páginas
e julgar crimes comuns e de responsabilidade impróprios – conforme inteligência do art. 29, X, CF.

Art. 29, X, CF: julgamento do prefeito perante o Tribunal de Justiça.

4. DISTRITO FEDERAL

A CF/88 garante ao DF a natureza de ente federativo autônomo, em virtude da presença da tríplice capacidade de auto-organização, autogoverno e auto-administração (arts. 1o., 18, 32, 34).

Possui, em regra, todas as competências legislativas e tributarias reservadas aos Municípios e Estados. (art. 32 e 147).

Rege-se por lei orgânica;

Possui eleições de governadores e deputados distritais.

Art. 147, CF: ...ao DF cabem os impostos municipais.

5. TERRITORIOS

Não são componentes do Estado Federal, pois constituem simples descentralização administrativas-territoriais da própria União.

Na data da promulgação da CF existiam 3 territorios: Fernando de Noronha, Amapá, Roraima. Essa situação foi resolvida pelo Ato das Disposições Constitucionais Transitórios. Assim, os territórios de Roraima e Amapá foram transformados em Estados Federados, mantidos seus limites territoriais.

Já p Território de Fernando de Noronha foi extinto, sendo sua área reincorporada a Pernambuco.

FORMAÇAO DOS ESTADOS

A CF prevê a possibilidade no art. 18, p. 3o., ao estabelecer que os Estados podem incorporar-se entre si, subdividir-se ou desmembrar-se para se anexarem a outros, ou formarem novos Estados, mediante a aprovação da população diretamente interessada, através de plebiscito, e do Congresso Nacional, por lei complementar.

Portanto, são 4 as hipóteses de alterabilidade divisional interna do território brasileiro:

Incorporação ou Fusão: dois ou mais Estados se unem com outro nome. Há perda da personalidade primitiva de ambos estados. Surge desta fusão novo estado.

Subdivisão: ocorre quando um Estado divide-se me vários novos estados, todos com personalidades diferentes, desaparecendo por completo o estado originário. Assim subdividir significa separar o todo em varias partes, formando cada qual uma unidade nova e independente das demais.

Desmembramento: consiste em separar uma ou mais partes de um estado, sem que ocorra perda da identidade do ente federativo primitivo. Separa-se parte do estado originário, mas continua a existir.

Ha duas opções no caso de desmembramento:

c.1) Desmembramento-anexação: a parte desmembrada do estado originário poderá anexar-se a outro estado-membro, quando então, não haverá criação de nenhum novo estado. Somente há alteração dos limites geográficos e populacionais.

c.2) Desmembramento-formação: a parte desmembrada pode formar um novo estado.

Requisitos para ocorrer esta formação dos estados:

* consulta previa às populações interessadas, por meio de plebiscito (condição – se o plebiscito for desfavorável estará encerrado todo processo);

* oitiva das Assembléias Legislativas dos Estados envolvidos – art. 48, VI, CF;(função meramente opinativa)

* LC federal especifica aprovando a incorporação, subdivisão ou desmembramento;

OBS: Caso haja aprovação do plebiscito, o CN soberanamente decidirá pela aprovação ou não da lei complementar. O CN não está vinculado ao plebiscito, o CN devera zelar pelo interesse geral da Republica Federativa do Brasil.

FORMAÇAO DE MUNICIPIOS

EC 15/96 e alteração do art. 18, p. 4o., CF.

Requisitos:

lei complementar federal estabelecendo o período possível para a criação, incorporação, fusão ou desmembramento de municípios;

lei ordinária federal prevendo requisitos genéricos; bem como apresentação e publicação dos Estudos de Viabilidade Municipal;

consulta previa; (populações dos municípios envolvidos)(condição);

lei ordinária estadual criando especificamente determinado município;