CS2010 - Aula 3 - O Sistema de Contas Nacionais no Brasil - parte 1

Disciplina:Contabilidade Social e Balanço de Pagamentos119 materiais1.338 seguidores
Pré-visualização2 páginas
do setor 1 ao setor 2
X31= compras do setor 1 ao setor 3
V1= valor adicionado pelo setor 1 (produto do setor 1)
X1= X11+ X21+ X31+ V1(produção bruta ou valor bruto da produção do setor 1)
Valor bruto da produção = X1 + X2 +X3
Produto (valor adicionado) = V1 + V2 +V3
Demanda AgregadaouDispêndioAgregado = Y1 + Y2 +Y3
V1 + V2 + V3 = Y1 + Y2 + Y3 (Produto=Despesa)
Matriz de coeficientes técnicos
A matriz de Leontief é um instrumento de planejamento que pode ser obtido da matriz de insumo produto.
Para encontrar a matriz de Leontief precisamos encontrar a matriz de coeficientes técnicos.
Os coeficientes técnicos são a proporção de bens do setor j necessários para produzir uma certa quantidade do bem i.
Podem ser obtidos pela seguinte fórmula aij=Xij/Xj
Matriz de coeficientes técnicos
Tabela 3.2– Matriz de Coeficientes técnicos
Setor
1
2
3
1
a11=X11/(X11+X12+X13+Y1)
a12
a13
2
a21
a22
a23
3
a31
a32
a33
Matriz de Leontief
Matriz de Leontief
Problemas
Implícitamente, esta matriz assume que os coeficientes de produção são constantes.
Ou seja, que não há substituição entre os insumos.
Caso isso não for verdade, a matriz só indicará uma maneira factível de atender a demanda.
Também é muito complicado calcular a matriz de insumo-produto com um alto grau de desagregação.

Tabela de Recursos e Usos
A Tabela de Recursos e Usos (TRU) do sistema de contas brasileiro conforma um conjunto de 6 matrizes dispostas como no diagrama abaixo.

Tabela de Recursos e Usos
Tabelas de Recursos e Usos (TRU)
Tabelas deRECURSOSde Bens e Serviços
A
A1
A2
Tabelas deUSOSde Bens e Serviços
 
B1
B2
C
 
A – matriz de Oferta
A1 – matriz de Produção
A2 – matriz de Importação
B1 – matriz de Consumo Intemediário
B2 – matriz de Demanda Final
C – matriz de Componentes do Valor Adicionado
Tabela de recursos e usos
De onde podemos estabelecer as seguintes relações
A = A1 + A2 (i)
A = B1 + B2 (ii)
C = A1 – B1 (iii)
A primeira relação (i) indica que, para cada setor, a oferta total da economia é igual à produção interna mais importação.
A segunda relação (ii) vem da igualdade entre oferta e demanda.
Tabela de recursos e usos
Esta relação mostra que a demanda total é a soma da demanda por bens intermediários e a demanda por bens finais.
As matrizes B1 e B2 formam uma matriz de insumo produto.
Com a diferença que a demanda final aparece discriminada.
A terceira relação (iii) mostra que pode-se chegar ao valor adicionado de cada setor (e da economia) deduzindo do valor da produção o consumo intermediário.
Tabela de recursos e usos
Vamos ver em maiores detalhes como funciona a Tabela de Recursos e Usos com a ajuda de um exemplo:
Tabela 3.2 - Tabela de Recursos e Usos (TRU) para uma economia hipotética H no período t
Tabela de RECURSOS de Bens e Serviços
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Oferta de Bens e Serviços
Produção das Atividades
Total da Econ
Im
por
ta
ção
 
 
 
 
 
 
Descrição do produto
Oferta Total p.consum.
MargCom. e Transp.
Imp. s/produ-tose import.
Oferta Total p. básicos
Setor A
Setor I
Setor S
Setor F
Setor C+T
Setor G
Total da Ativ.
 
 
 
 
 
 
Setor A
600
60
24
516
468
24
0
0
0
12
504
 
12
 
 
 
 
 
 
Setor I
3.600
360
360
2.880
48
2.520
36
0
12
24
2.640
 
240
 
 
 
 
 
 
Setor S
2.400
240
240
1.920
0
0
1.920
0
0
0
1.920
 
0
 
 
 
 
 
 
Setor F
480
0
24
456
0
0
0
444
0
0
444
 
12
 
 
 
 
 
 
Setor C+T
240
-660
12
888
0
12
0
0
840
0
852
 
36
 
 
 
 
 
 
Setor G
840
0
0
840
0
0
0
0
0
840
840
 
0
 
 
 
 
 
 
TOTAL
8.160
0
660
7.500
516
2.556
1.956
444
852
876
7.200
 
300
 
 
 
 
 
 
Tabela de USOS de Bens e Serviços
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Consumo Intermediário das Atividades
 
 
 
 
 
 
 
 
Descrição do produto
Oferta Total p. consum.
 
 
 
Setor A
Setor I
Setor S
Setor F
Setor C+T
Setor G
Total da Ativ.
 
Ex
Por
ta
ção
Cons
de
AP
Cons
das
Famil.
FBKF
Var.
Esto-ques
Dem
Final
Dem
Total
Setor A
600
 
84
300
18
0
0
18
420
 
36
0
126
12
6
180
600
Setor I
3.600
 
120
1.260
372
18
240
114
2.124
 
168
0
804
480
24
1.476
3.600
Setor S
2.400
 
6
24
60
6
60
144
300
 
36
0
2040
24
0
2.100
2.400
Setor F
480
 
18
156
42
48
54
30
348
 
24
0
108
0
0
132
480
Setor C+T
240
 
6
72
24
6
60
6
174
 
18
0
48
0
0
66
240
Setor G
840
 
0
0
0
54
0
0
54
 
0
786
0
0
0
786
840
TOTAL
8.160
 
234
1.812
516
132
414
312
3.420
 
282
786
3.126
516
30
4.740
8.160
 
 
 
 
 
Componentes do Valor Adicionado
 
 
 
 
 
 
 
 
Valor Adicionado Bruto (PIB)
 
 
282
744
1.440
312
438
564
3.780
4.440
= PIB
 
 
 
 
 
Remuner. (a+b)
 
 
60
420
792
150
240
564
2.226
2.226
 
 
 
 
 
 
 
a) Salários
 
 
48
336
660
120
192
420
1.776
1.776
 
 
 
 
 
 
 
b) Contrib. Soc
 
 
12
84
132
30
48
144
450
450
 
 
 
 
 
 
 
EOB
 
 
192
276
492
132
144
0
1.236
1.236
 
 
 
 
 
 
 
Rend. Auton.
 
 
30
42
132
30
54
0
288
288
 
 
 
 
 
 
 
Imp. Prod. Imp.
660
 
660
 
 
 
 
 
 
 
Outros Imp Prod
 
 
0
12
30
0
 
0
42
42
 
 
 
 
 
 
 
Outros Subs Prod
 
 
 
-6
-6
 
 
 
-12
-12
 
 
 
 
 
 
 
Tabela de recursos e usos
Neste exemplo, as nomenclaturas são:
Setor A = Agricultura.
Setor I = Indústria (inclui transformação, extrativa,...)
Setor C +T = Comércio e Transportes.
Setor F = Intermediação Financeira.
Setor S = Serviços.
Setor G = Administração Pública.
Tabela de recursos e usos
A primeira matriz (A) mostra que
Preços ao consumidor = preços básicos + impostos sobre produtos e importação líquidos de subsídios + margens de comércio e transporte.
O conceito de preços ao consumidor é equivalente ao conceito de preços de mercado.
O conceito de Preços Básicos não equivale ao preço a custo de fatores, pois deduz as margens de transporte.
Entretanto, no agregado, as margens de transporte somem e os conceitos se tornam iguais.

Tabela de recursos e usos
As linhas da matriz A correspondem aos setores.
A soma de cada linha apresenta a oferta de cada setor.
Como C + T constituem um setor, portanto, não faz sentido falar em margem, por isso o sinal negativo.
A matriz A1 informa os valores produzidos internamente.
Cada linha indica em quais atividades os bens foram produzidos.
As colunas mostram a composição dos produtos produzidos pela atividade
Tabela de recursos e usos
A matriz A2 traz os valores das importações em moeda local, por setor.
Somando os valores desta matriz com os valores com a soma dos valores da produção doméstica chegamos à oferta total a preços básicos.
 A matriz B1 constitui (a maior parte) de uma matriz insumo-produto, pois mostra as compras intermediárias de um setor para outro.
Da matriz A1 e B1 obtemos o valor adicionado de cada setor.
Tabela de recursos e usos
A matriz A1 apresenta a produção total e a matriz B1 apresenta o consumo intermediário.
A subtração do primeiro pelo segundo revela o valor adicionado.
A soma do valor adicionado de todos os setores fornece o PIB a preços básicos (custo de fatores).
A matriz B2 discrimina a demanda final em seus componentes básicos.
Somados aos valores da matriz B1 recupera o valor total da oferta de bens.
Tabela de recursos e usos
É como o lado do crédito da conta de produção.
Decompõe a demanda agregada.
Já a matriz C decompõe o valor adicionado de cada setor entre renda e impostos sob produção.
Como no lado do débito da conta de produção.