conjunto de todas as aulas até o dia 17.09.2012

conjunto de todas as aulas até o dia 17.09.2012


DisciplinaHistória da Educação no Brasil2.566 materiais33.082 seguidores
Pré-visualização9 páginas
*
*
*
Aula 1 \u2013 Aula de Apresentação
*
*
*
HISTORIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL
*
*
*
AULA 1 
APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA
MAPA CONCEITUAL
*
Tema da Apresentação
*
*
*
*
AULA 2
A IMPORTANCIA DO CONHECIMENTO HISTÓRICO PARA A FORMAÇÃO DOCENTE
TEXTO: O debate teórico e metodológico no campo da Historia e sua importância para a pesquisa educacional \u2013 Demerval Saviani
Disponível em:
www.histedbr.fae.unicamp.br/acer_histedbr/seminario/.../sessab01.rtf
*
Tema da Apresentação
*
*
*
*
AULA 3
EDUCAÇÃO NAS COMUNIDADES INDÍGENAS: A IMPORTÂNCIA DA ORALIDADE.
A Pedagogia Brasílica
TEXTO: A historia das ideias pedagógicas no Brasil \u2013 Demerval Saviani
Disponível em:
books.google.com.br/.../História_das_idéias_pedagógicas_no_Br.htm
*
Tema da Apresentação
*
*
*
*
AULA 4
A EDUCAÇÃO JESUÍTICA: 
A CATEQUESE DOS ÍNDIOS
TEXTO: A circulação do conhecimento e práticas de educação no Brasil colonial (séculos XVI a XVIII).
Em: Hisória da Educação \u2013 Cynthia Veiga, capítulo 2, p. 49 a 78.
Disponível em: apostila Estácio
*
Tema da Apresentação
*
*
*
*
AULA 5
A REFORMA POMBALINA E A EXPULSÃO DOS JESUÍTAS:
A INFLUÊNCIA ILUMINISTA
TEXTO: Educação e colonização: as ideias pedagógicas no Brasil \u2013 Demerval Saviani.
Em: Historias e memórias da educação no Brasil, volume 1: séculos XVI-XVIII \u2013 Maria Stephanou e Maria Helena C. Bastos, capítulo 8, p. 121 a 130.
Disponível em: Apostila Estácio
*
Tema da Apresentação
*
*
*
*
AULA 6
A IMPLANTAÇÃO DAS AULAS RÉGIAS
Texto: As aulas régias no Brasil, Tereza Fachada Levy Cardoso.
Em: Historias e memórias da educação no Brasil, volume 1: séculos XVI-XVIII \u2013 Maria Stephanou e Maria Helena C. Bastos, capítulo 12, p. 179 a 191.
Disponível em: Apostila Estácio
*
Tema da Apresentação
*
*
*
*
AULA 7
A CONSTRUÇÃO DO ESTADO BRASILEIRO: 
A EDUCAÇÃO NA MONARQUIA
Texto: A institucionalização da instrução pública pela monarquia constitucional.
Em: Hisória da Educação \u2013 Cynthia Veiga, capítulo 4, seção 4.2, p. 145 a 154.
Texto a ser fornecido pelo professor.
*
Tema da Apresentação
*
*
*
*
AULA 8
AS IDEIAS PEDAGÓGICAS NA MONARQUIA: 
A FORMAÇÃO DO PROFESSOR
Texto: Do artesanato à profissão. Representações sobre a institucionalização da formação docente no século XIX \u2013 Heloisa de Oliveira Santos Vilela.
Em: Historias e memórias da educação no Brasil, volume 1: séculos XVI-XVIII \u2013 Maria Stephanou e Maria Helena C. Bastos, capítulo 7, p. 104 a 115.
Disponível em: Apostila Estácio
*
Tema da Apresentação
*
*
*
*
AULA 9
A CRISE DO IMPÉRIO: 
AS IDEIAS REPUBLICANAS NO BRASIL
Texto: Educação e positivismo no Brasil \u2013 Elomar Tambara.
Em: Historias e memórias da educação no Brasil, volume 2: séculos XIX \u2013 Maria Stephanou e Maria Helena C. Bastos, capítulo 11, p. 166 a 178.
Texto a ser fornecido pelo professor.
*
Tema da Apresentação
*
*
*
*
AULA 10
UM NOVO MOMENTO PARA A EDUCAÇÃO BRASILEIRA:
A ESCOLA NOVA
Texto: A organização do ensino e o contexto sócio-político após 1930 \u2013 Otaíza de Oliveira Romanelli
Em: História da Educação Brasileira \u2013 Otaíza de Oliveira Romanelli, capítulo 4, seções 4.1, 4.2, 4.3, 4.4, p. 128 a 156.
Disponível em: Apostila Estácio
*
Tema da Apresentação
*
*
*
*
AULA 11
O GRANDE DEBATE DA EDUCAÇÃO:
O MANIFESTO DOS PIONEIROS
Texto: Educação Brasileira: dilemas republicanos nas entrelinhas de seus manifestos \u2013 Marcos Cezar de Freitas
Em: Historias e memórias da educação no Brasil, volume 3: séculos XX \u2013 Maria Stephanou e Maria Helena C. Bastos, capítulo 12, p. 166 a 181.
Disponível em: Apostila Estácio
*
Tema da Apresentação
*
*
*
*
AULA 12
AS LEIS ORGÂNCIAS DO ENSINO
Texto: A organização do ensino e o contexto sócio-político após 1930 \u2013 Otaíza de Oliveira Romanelli
Em: História da Educação Brasileira \u2013 Otaíza de Oliveira Romanelli, capítulo 4, seções 4.5, 4.6, 4.7, 4.8, p. 157 a 198.
Disponível em: Apostila Estácio
*
Tema da Apresentação
*
*
*
*
AULA 13
PROJETOS DE EDUCAÇÃO POPULAR NA FASE NACIONAL-DESENVOLVIMENTISTA
Texto: Uma historia de alfabetização de adultos \u2013 Leôncio Soares e Ana Maria de Oliveira Galvão.
Em: Historias e memórias da educação no Brasil, volume 3: séculos XX \u2013 Maria Stephanou e Maria Helena C. Bastos, capítulo 18, p. 257 a 277.
Texto a ser fornecido pelo professor
*
Tema da
*
*
*
*
AULA 14
A EDUCAÇÃO REPRIMIDA: 
O PROJETO DA DITADURA MILITAR
Texto: Educação e ideologia tecnocrática na ditadura militar - Amarilio Ferreira Jr. E Marisa Bittar.
Em: Cadernos Cedes, Campinas, v. 28, n. 76, p. 333-355, set./dez. 2008.
Disponível em:
http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v28n76/a04v2876.pdf
*
Tema da Apresentação
*
*
*
*
AULA 15
AS PERSPECTIVAS ATUAIS DA EDUCAÇÃO
Texto 1: Perspectivas atuais da educação \u2013 Moacir Gadotti.
Em: São Paulo em perspectiva, v.14, n. 2 2000, p. 03-11.
Disponível em:
http://www.scielo.br/pdf/spp/v14n2/9782.pdf
Texto 2:
*
Tema da Apresentação
*
*
*
*
Calendário 2012.2
*
*
*
 30 de Julho: Aula 2 \u2013 Importância do Conhecimento Histórico para a formação docente
*
*
*
Debate teórico e metodológico da História da Educação e sua importância para a pesquisa educacional.
Demerval Saviani \u2013 ([1998]2006 \u2013 3ª ed.)
*
*
*
O autor situa a emergência da história como um problema filosófico e científico na época moderna e mostra a trajetória dos estudos históricos que desembocou no atual debate (anos 90) que contrapõe dois grandes paradigmas:
ILUMINISTA OU RACIONALISTA
PÓS MODERNO
*
Tema da Apresentação
*
*
*
*
PARADIGMA ILUMINISTA OU RACIONALISTA
Surge no século XIX com o positivismo e o marxismo.
Prolonga-se com a Escola dos Annales, nas suas duas primeiras fases: 1929 a 1969
*
Tema da Apresentação
*
*
*
*
WIKIPEDIA: Este artigo ou secção contém uma lista de fontes ou uma única fonte no fim do texto, mas esta(s) não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde agosto de 2011). Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário
Positivismo é um conceito que possui distintos significados, englobando tanto perspectivas filosóficas e científicas do século XIX quanto outras do século XX. Desde o seu início, com Augusto Comte (1798-1857) na primeira metade do século XIX, até o presente século XXI, o sentido da palavra mudou radicalmente, incorporando diferentes sentidos, muitos deles opostos ou contraditórios entre si. Nesse sentido, há correntes de outras disciplinas que se consideram "positivistas" sem guardar nenhuma relação com a obra de Comte. Exemplos paradigmáticos disso são o Positivismo Jurídico, do austríaco Hans Kelsen, e o Positivismo Lógico (ou Círculo de Viena), de Rudolph Carnap, Otto Neurath e seus associados. Para Comte, o Positivismo é uma doutrina filosófica, sociológica e política. Surgiu como desenvolvimento sociológico do Iluminismo, das crises social e moral do fim da Idade Média e do nascimento da sociedade industrial - processos que tiveram como grande marco a Revolução Francesa (1789-1799). Em linhas gerais, ele propõe à existência humana valores completamente humanos, afastando radicalmente a teologia e a metafísica (embora incorporando-as em uma filosofia da história). Assim, o Positivismo associa uma interpretação das ciências e uma classificação do conhecimento a uma ética humana radical, desenvolvida na segunda fase da carreira de Comte
*
Tema da Apresentação
*
*
*
*
WIKIPEDIA: Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde dezembro de 2009). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. 
O Marxismo é o conjunto de ideias filosóficas, econômicas, políticas e sociais elaboradas primariamente por Karl Marx e Friedrich Engels e desenvolvidas mais tarde por outros seguidores. Baseado na concepção materialista e dialética da História, interpreta a vida social conforme a dinâmica da base produtiva das sociedades e das lutas de classes daí conseqüentes. O marxismo compreende o homem como um ser social histórico