Aula 26
4 pág.

Aula 26


DisciplinaFormação do Sistema Internacional118 materiais647 seguidores
Pré-visualização1 página
Aula 26 \u2013 Amética Latina: Os processos de Colonização e independência e as RIs
A Colonização Espanhola
Espanha passa de feudalismo a incipiente capitalismo mercantil
Apoio da Burguesia, Nobreza e Igreja
Riqueza proveniente das Indias não se fixa na Espanha 
 A colonização Portuguesa
Menos sistemática e rígida do que a espanhola
Monoculturass de produtos exportáveis, separados por períodos de estagnação econonômica. Pau Brasil, cana de açucas, café,. Entre um ciclo e outro tem um período de estagnação que faz o outro surgir
No primeiro momento a coisa estava muito pouco rígida, e Portugal se preocupa com tornar o processo de colonização mais sistemático e rigido do que existia
Esforço mais sistemático de colonização
Aliança tácita (dimensão informal, sem nenhum tratado escrito) entre coroa, capitalismo mercantil lusitano e senhores locais do açucas. A Coroa, quando baixava o decreto, era acatado pelos senhores locais facilmente. A coroa Tb é responsável pela venda de escravos e etc, gerando o ciclo que mantém o processso.
Mineração -> Marquês do Pombal. A mineiração começa o processo de expansão para o centro do Brasil. Marques de Pombal é importante por ser responsável pelo processo de administração, e adota política mercantilista que representa o primeiro momento de modernização industrial no Brasil. Papel muito importante no processo de centralização e modernizar as praticas condizentes com esse processo.
A independência da América Espanhola
Contexto:
Revolução Industrial
Naquele momento a fim de monopólios e expansão dos mercados. Através da autonomia política entre as colônias é possível aumentar o alcance e o mercado consumidor.
Revolução Francesa
A guerra do equilíbrio político pelo controle dos mercados... A Inglaterra tentando preservar seu mercado com 
Desenvolvimento das colonas
A política mercantil já não era suficiente para os burgueses locais
Iluminismo
Etapas
1810-15
Momento em que a Espanha está ocupada pela França. Irmão de Napoleão Bonaparte no poder. Pelo distanciamento entre a metrópole e a colônia, começam a surgir governos locais. As colônias comeam cada vez mais a criar e gerir governos autônomos. A principio aqueles governos eram contra a ocupação estrangeira na Espanha, mas no futuro aqueles grupos se reuniriam para declarar a independência
1816-28
Napoleão derrotado. Inglaterra começa a financiar os processos de independência. Inglaterra não quer que se toque na questão colonial no congresso de Viena e começa a patrocinar os processos de independência.
Os movimentos que antes eram contra a ocupação estrangeira da Espanha viram processos de independência
Em 1824, só Cuba e Porto Rico são colônias ainda.
Congresso do Panamá
Diante de uma América Espanhola de estados cada vez mais independentes, Simon Bolivar traz a idéia do Panamericanismo. Estados Americanos! Não abarcava somente a America espanhola, mas sim também os EUA, o Brasil se se tornasse republica. Essa idéia entra de encontro com Inglaterra (que visava uma America fraca e fragmentada para expandir seus tratados mercantis), EUA, Brasil (não nos tornamos uma republica, nos tornamos uma monarquia escravista. Por conta da incompatibilidade do sistema político, não rola).
Hugo chaves fez uma leitura super torta do panamericanismo, contra os EUA. Os EUA representam uma ameaça para os processos indepenentes da America Latina. A mensagem original do Bolívar não era essa, mas sim abarcando todo o continente.
Após a Independência
Ao contrario do que vai acontecer na America Portuguesa, na America Espanhola há fragmentação política. Todos se colocam como republicas independentes. Essa fragmentação era levada pela união de interesses políticos diferenciados.
Fragmentação com um poder político que vai ser ocupado pelos caudilhos (chefes políticos locais que chegam ao poder através de golpes de estado. Caudilhismo.)
Embora haja diferenças políticas e fragmentadas, todas são monocultoras e exportadoras de materiais primários,e dependentes cada vê mais do capital inglês e norte americano. Independência política não casada com independência econômica
A independência do Brasil
Raízes no Estado patrimonialista (confusão do publico com o privado) português
Estado impede desenvolvimento autônomo de forças socioeconômicas.
Transição do Estado português em 1808. 
Transferencia do governo para o Rio de Janeiro. Quando o Brasil é promovido a reino unido, o aparato bla bla bla português é transposto para o Brasil.
Projeto de unidade imperial:
A monarquia brasileira preserva sua integridade. União em uma entidade política só. Essa unidade é mantida por conta de:
Pressões Inglesas
Não interessava as elites locais a abolição da escravidão. As elites locais eram vitimas de pressões parecidas por patê da Inglaterra, que era contra a manutenção do sistema escravista. Essa manutenção era interessante para as elites locais, e a união era boa para manter o poder de barganhae perante a Inglaterra e resistir as pressões políticas. Isso trará muitos impasses, já que o Brasil era dependente economicamente da Inglaterra.
Homogeneidade das elites
Diferenças em relação a América Espanhola
Existem semelhanças (elite se mantém no poder, adotam o instrumento publico para interesses privados, etc), mas a grande diferença é:
Fragmentação X União
Republica X Monarquia
Abolição da Escravatura X Manutenção da Escravatura