CS2010 - Aula 4 - Inflação e Índices de preços

CS2010 - Aula 4 - Inflação e Índices de preços


DisciplinaContabilidade Social e Balanço de Pagamentos153 materiais1.379 seguidores
Pré-visualização1 página
Inflação e Índices de preços
Contabilidade Social - 2010
Período
PIB - R$(milhões) - IBGE/SCN 2000 Anual - SCN_PIBN
Taxa de crescimento
1990
11,54879
-
1991
60,286
422,01
1992
640,9588
963,20
1993
14097,11
2099,38
1994
349204,7
2377,14
1995
705640,9
102,07
1996
843965,6
19,60
1997
939146,6
11,28
1998
979275,7
4,27
1999
1065000
8,75
2000
1179482
10,75
2001
1302136
10,40
2002
1477822
13,49
2003
1699948
15,03
2004
1941498
14,21
2005
2147239
10,60
2006
2369484
10,35
2007
2661344
12,32
2008
3004881
12,91
2009
3143015
4,60
Comparando PIB de anos diferentes - Inflação
A séria do PIB brasileiro mostra um crescimento vertiginoso no período de 1990 a 2009.
A taxa de crescimento chega a mais de 2000% num ano.
Na história documentada da humanidade nunca houve um povo que conseguiu multiplicar por 20 sua capacidade produtiva no intervalo de 1 ano.
Mesmo nos anos recentes, o crescimento do PIB é muito alto.
A variação na série é significativamente afetada pela existência de inflação.
Inflação
Para agregar os bens numa única medida utilizamos o preço dos bens.
Mas o preço é dado em valor da moeda, que não é constante no tempo.
1 real hoje não vale o mesmo que 1 real há dois anos atrás.
Neste seção veremos que implicações a existência de inflação tem sobre a interpretação e comparabilidade dos agregados econômicos.
Inflação
Os agregados de cada ano são calculados utilizando-se os preços correntes como peso de agregação. 
Como o valor da moeda muda de ano para ano, o valor da produção de cada ano não é comparável com o valor de outro ano.
Então como tornar as estatísticas comparáveis?
O ideal seria tomar as quantidades produzidas no ano X e multiplicar pelos preços do ano Y
Assim os agregados dos anos X e Y seriam comparáveis
Inflação
Infelizmente, não se conhece com precisão a quantidade produzida de cada bem.
Quando os agregados são calculados, toma-se o valor da produção.
Este é, determinado pelos preços x quantidades.
A alternativa viável é encontrar uma medida da variação \u201cmédia\u201d dos preços da economia.
Deixemos para adiante a definição desta \u201cmedia\u201d.
Vamos assumir que é possível encontrá-la.
Inflação
A inflação é o aumento do nível de preços da economia.
O nível de preços é uma \u201cmédia\u201d ponderada dos preços numa economia.
Deflação é a diminuição do nível de preços da economia.
Raramente observada.
Se imaginarmos que os preços de todos os bens crescem a uma taxa similar, podemos utilizar esta taxa para tornar comparáveis os agregados de diferentes anos.
Inflação
Inflação
Inflação
Período
PIB - R$(milhões) - IBGE/SCN 2000 Anual - SCN_PIBN
PIB preços do ano anterior
Var
1996
843965,6
10,03483
766998,6
0,086953
1997
939146,6
4,825748
895912,2
0,061551
1998
979275,7
-1,79528
997177,9
0,061792
1999
1065000
8,629998
980391,9
0,00114
2000
1179482
4,38406
1129945
0,060981
2001
1302136
7,13346
1215434
0,030481
2002
1477822
9,900495
1344691
0,032681
2003
1699948
8,179316
1571417
0,063333
2004
1941498
6,56442
1821901
0,071739
2005
2147239
4,525432
2054274
0,058087
2006
2369484
2,547796
2310614
0,076086
2007
2661344
4,382134
2549616
0,076022
2008
3004881
6,163218
2830435
0,063536
2009
3143015
3,651017
3032305
0,009126
Inflação
Inflação
Entretanto é mais comum encontrar dados da taxa de inflação ao invés do valor do índice de preços.
A taxa de inflação dá a variação dos preços de um ano para o outro.
A partir da taxa de inflação podemos recuperar o nível de preços. 
Definindo os preços do ano t como 1, podemos encontrar uma série de preços tendo o ano t como base.
Isto leva a olhar para índices de preços
Índices simples
Inflação
Um problema é que se a variação de preços não for uniforme a forma como se agregam os preços no índice se torna importante. 
Neste caso a comparação entre o PIB de anos diferentes utilizando índices não é perfeita.
Exemplo:
Uma economia com dois bens produziu 1000 unidade de X e 750 unidades de Y no ano 0.
Os preços no ano zero foram 5 e 2.
No ano 1 a economia produziu 1200 de X e 500 de Y.
Os preços foram 4,5 e 3.
Dificuldades
O ideal é tomar a produção de um ano a preços do outro ano. 
Mas nem sempre existem dados de quantidade adequados.
Logo a comparação vai depender o índice de preços utilizado.
Dependendo da ponderação utilizada no índice a comparação não será perfeita.
Este problema levanta a importância de como deve ser feita a agregação do nível de preços.
Índices de Preço
Índice de Laspeyres
Índice de Laspeyres
Na prática o que se faz é assumir que o consumidor consome uma proporção fixa da renda em bens.
Daí estima-se a proporção média gasta pelos consumidores.
Esta proporção vai definir o peso de cada preço no índice.
Esses pesos devem ser recalculados periodicamente.
Em grande parte pelo lançamento de novos produtos.
Índice de Paasch
Índice de Fischer
Índices de quantidade
Índice de quantidade
Índices de quantidade
Índices de quantidade são formas de agregar as quantidades e comparar seu crescimento ao longo do tempo.
São a forma mais adequada de comparar Produtos de anos diferentes. 
Note que a utilização do índice remove os efeitos da inflação sobre o PIB.
Faz isso de uma forma diferente do deflacionamento utilizando índice de preços.
Deflator Implícito
A IBGE estima o crescimento real da produção dos bens.
Isto fornece um estimativa do crescimento real da economia.
Utilizando esta medida, pode-se calcular parcela do crescimento no valor do PIB que é causado pela inflação.
Dividindo produto real de um ano pelo índice de outro ano, teremos a taxa de crescimento real do PIB
Deflator implícito
Comparando a variação real com a variação nominal do PIB podemos encontrar a implicitamente a variação dos preços.