ESTRUTURAS DE MADEIRA
100 pág.

ESTRUTURAS DE MADEIRA


DisciplinaEstruturas de Madeira1.261 materiais5.228 seguidores
Pré-visualização19 páginas
Tabela de pregos 
Medidas (mm) Designação 
Espessura (d) Comprimento (\u2113) 
17x24 3,00 57,00 
17x27 3,00 63,00 
17x30 3,00 69,00 
19x36 3,90 82,00 
20x30 4,40 69,00 
20x33 4,40 76,00 
20x39 4,40 89,00 
20x42 4,40 95,00 
21x33 4,90 76,00 
21x45 4,90 101,00 
21x48 4,90 108,00 
21x54 4,90 127,00 
22x45 5,40 101,00 
22x48 5,40 108,00 
23x54 5,90 127,00 
23x60 5,90 140,00 
25x72 7,00 165,00 
26x72 7,60 165,00 
26x78 7,60 178,00 
26x84 7,60 190,00 
 d 
 42 
7.3.2. \u2013 Disposições construtivas 
 
As ligações pregadas devem ser obrigatoriamente pré-furadas, com diâmetro df não maior que o 
diâmetro d do prego, atendendo aos valores: 
df = 0,85d \u2013 para as coníferas 
df = 0,98d \u2013 para as demais 
 
Nas ligações com mais de oito (8) pregos, os pregos adicionais devem ser considerados com apenas 
2/3 de sua resistência individual. 
 
Os pregos estruturais devem apresentar fyk \u2265 600 Mpa e diâmetro d \u2265 3 mm. 
Recomendação para a escolha do diâmetro do prego: 
5
0,3 bdmm \u2264\u2264 sendo 
b = a menor espessura da madeira atravessada; 
d = o diâmetro do prego. 
As distâncias mínimas dos pregos, segundo a NB-11, estão representadas a seguir: 
 
 Espaçamento entre pregos 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
7.3.3. \u2013 Carga admissível dos pregos. 
 
A carga admissível de um prego correspondente a uma única seção de corte é determinada em 
função dos parâmetros: 
 
23
__
KdF = onde 
__
F = força admissível (N) para um prego cravado, na direção normal à fibra, em corte simples 
(tensão de corte paralela ou normal às fibras; 
d = diâmetro do prego (mm). 
 6d 7d 
 
 
 
 
1,
5d
 
 
 
 
3d
 
 
 
1,
5d
 
 
 6d 4d 
1,
5d
 
 
 
3d
 
 
 
 
1,
5d
 
 
 1,5d 3d 1,5d 
 
4d
 
 
 
 
6d
 
 
 
1,
5d
 
1,5d 3d 1,5d 
1,
5d
 
 
 
6d
 
 
 
4d
 
a) Solicitação paralela às fibras 
b) Solicitação normal às fibras 
 43 
Para pregos aplicados em madeira seca ao ar, o coeficiente \u201cK\u201d tem os seguintes valores: 
 
K = 44,1 para madeiras com peso específico \u3b3 < 0,65; 
K = 73,5 para madeiras com peso específico \u3b3 > 0,65. 
 
Pregos trabalhando em corte simples: 
 
 ( t4 < t2) (t4 = t2) 
 
 
 
 
 
 d d 
 
 t1 t4 t4 \u2265 12d t1 t2 t4 = t2 
 t2 
 
 
 
 
Pregos trabalhando em corte duplo: 
 
 (t4 < t3) (t4 = t3) 
 
 
 
 d t4 d 
 d t4 \u2265 12d t4 = t3 
 
 t1 t2 t3 t1 t2 t3 
 
 
 
 
Para os pregos cravados a partir de faces opostas de uma peça intermediária, os espaçamentos (s), 
na direção da fibra, dos pregos transpassados, dependem da distância (a) entre a ponta do prego e a 
face oposta à de cravação: 
 a a 
 
 
 
 
 s = 6d 
 
 
 
 
 a a 
 
 a \u2265 8d a < 8d 
 44 
 Sendo: 
 
 a = distância entre a ponta do prego e a face oposta à cravação; 
 s = espaçamento na direção da força transmitida; 
 d = diâmetro do prego. 
 
 
7.3.4. \u2013 Exercícios 
 
7.3.4.1. - Projetar a emenda de uma peça de Peroba-rosa de 7,5 x 10 cm (3\u201d x 4\u201d), sujeita a um 
esforço de 22 kN. 
 
 
 40 (b) 
 N/2 
 N = 22 kN 
 75 
 N/2 
 40 (b) 
 
Peroba-rosa \u21d2 \u3b3 = 0,78 g/cm3 
 
\u3b3 > 0,65 \u21d2 K = 73,5 \u21d2 F = 73,5d3/2 = 35,73 d 
 
Escolha do prego: 
5
0,3 bdmm \u2264\u2264 \u21d2 \u2264\u2264 dmm0,3 8,0mm 
 
 d = 5,4 mm 
Tabela de pregos \u21d2 22 x 48 l = 108 mm 
 F = ( )34,55,73 = 922 N 
 
 
 a < 8d 
 
 t4 =68 108 ( l ) 8d = 8 x 5,4 = 43,2 mm 
 7 (a) 
 a = 7 < 8d = 43,2 \u21d2 s =6d 
 
 t4 \u2265 12d = 12 x 5,4 = 64,8mm 
 
No de pregos necessários: n = 24
922
22000
==
F
N
 pregos ( 12 pregos em cada face) 
 
 
 1,5d = 1,5 x 5,4 =8,1 mm \u2248 10 mm 
Cisalhamento simples: 3d = 3 x 5,4 = 16,2 mm \u2248 20 mm 
 6d = 6 x 5,4 = 32,4 mm \u2248 35 mm 
 7d = 7 x 5,4 = 37,8mm \u2248 40 mm 
 45 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 12 pregos 
 22 x 48