Resumo de Cont Social (Vitor Agrella)
8 pág.

Resumo de Cont Social (Vitor Agrella)


DisciplinaContabilidade Social e Balanço de Pagamentos153 materiais1.380 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Resumão de Cont. Social
Princípios Básicos
Cont Social: mensura a atividade econômica de um país durante um intervalo de tempo, trabalhando com agregados econômicos (PIB, Renda Nacional, Formação de Capital), medidos monetariamente
Princípio das Partidas Dobradas: a um lançamento a crédito deve corresponder á um lançamento a débito. As contas também devem apresentar equilíbrio interno (débito=crédito) e equilíbrio externo (equilíbrio entre todas as contas do sistema)
Para se chegar ao valor do produto da economia, é preciso deduzir do valor bruto da produção, o consumo intermediário.
Ótica do produto: considera o valor adicionado pelo processo de produção em cada empresa. (Produção \u2013 consumo intermediário) A atividade dos indivíduos é vista como várias unidades produtivas (empresas)
Ótica do Dispêndio (Demanda): considera a soma dos valores de todos os bens e serviços produzidos nos período que não foram absorvidos como insumos na produção de outros bens, ou seja, foram consumidos ou viraram estoque. A atividade dos indivíduos é vista como a de consumidores (famílias)
Ótica da Renda: considera-se o montante total das remunerações pagas a todos os fatores de produção. Portanto, analisa os indivíduos como detentores de fatores de produção.
Produto \uf0ba Dispêndio \uf0ba Renda: mostram as três óticas, pelas quais é possível analisar a produção: quando um produto é feito (ótica do produto), gera a renda (ótica da renda) e ele é comprado (ótica do dispêndio). São identidade contábeis e, como identidades, NÃO representam relações de causalidade
Fluxo Circular da Renda: Ver Mankiw e lembrar de Introdução à Economia
Contas Nacionais \u2013 SNA antigo
Era um sistema com cinco contas:
Conta de Produção: indica a produção do período
Conta de Apropriação: analisa a renda e seu uso
Conta de Capital: demonstra a identidade Investimento \uf0ba\uf020Poupança
Conta do Setor Externo: mostra o resultado das transações com o resto do mundo
Conta do Governo: demonstra a arrecadação e os gastos do governo
A partir das contas do Governo, Setor Externo e Capital, é possível descobrir as outras duas contas. Para aprender as três primeiras, é preciso certo raciocínio intuitivo.
Começaremos com a conta do Governo. O governo arrecada dinheiro através de: a) impostos diretos (IPTU, IPVA...); b) impostos indiretos (impostos que afetam os preços dos produtos como o ICMS, ISS, IOF); c) \u201coutras receitas correntes líquidas\u201d (multas, aluguel de terrenos públicos a terceiros,etc). E como ele usa esse dinheiro? Ele: a) consome (paga funcionários, constrói obras, comprar merenda escolar , etc); b) realiza\u201cTransferências\u201d (pagamentos a famílias/empresa por algum compromisso assumido: são as pensões, aposentadorias, juros da dívida pública, alguns programas sociais) c) Subsidia determinados setores considerados importantes. O que sobra da receita é o saldo do governo em conta corrente (se o governo gastar mais do que arrecadou, ele terá sido financiado pelo setor privado e na conta o saldo aparecerá com o sinal negativo). Assim:
	Conta do Governo
	
	Débito
	Crédito
	(L) Consumo do Governo
	(P) impostos diretos
	(M) Transferências
	(p1) empresas (p2) famílias
	(m1) empresas (m2) famílias
	(Q) impostos indiretos
	(N) subsídios
	(R) Outras receitas correntes líquidas
	(O) saldo do governo em conta corrente
	
	Utilização da Receita
	Total da Receita
*Não se preocupe no momento com as letras ao lado das rubricas. No final isso será explicado.
Importante: O governo interfere nos preços da economia fazendo surgir dois conceitos: preços a custo de fatores (cf), que é o preço do bem remunerando todos os fatores de produção, preços de mercado (pm) que é a soma do preço a custo de fatores mais impostos indiretos \u2013 subsídios.
Passaremos agora para a conta do setor externo. Essa conta é construída a partir do ponto de vista do resto do mundo. As transações entre os países são de dois tipos: bem e serviços não fatores (genericamente, \u201cprodutos\u201d) e fatores de produção (capital, salários, royalties). A diferença entre o valor total das importações e exportações (tanto de bens como de serviços) é o resultado da Balança de Pagamentos em transações correntes. Logo:
	Conta do Setor Externo
	
	Débito
	Crédito
	(G) Exportação de Bens e Serviços Não Fatores
	(I) Importação de Bens e Serviços Não Fatores
	(H) Renda Recebida do Exterior
	(J) renda enviado ao exterior
	(K) Resultado (Déficit*) do BP em transações correntes
	
	Total do Débito
	Total da Crédito
*Em geral, países menos desenvolvidos (como o Brasil) são importadores líquidos de capitais, isto é, utilizam mais fatores de produção estrangeiro do que exportam.
Observação: Como parte da produção deve-se a fatores de produção estrangeiro, surge uma distinção entre o que é interno e o que é nacional. O interno considera a produção/renda total, incluindo o uso de capital externo. O Nacional considera apenas o que foi produzido ou o que pertence aos residentes do país.
A próxima conta é a Conta de Capital. Como já foi dito, ela demonstra a identidade Investimento \uf0ba\uf020Poupança. O que é a poupança? É a parte da renda que as famílias não consomem (poupança privada líquida), o saldo do governo em transações correntes e o resultado do BP em transações correntes, além da Depreciação (parcela do capital gasto). E o que é investimento? É o que permite o consumo futuro, isto é, a variação de estoques e a formação bruta de capital fixo (ex: máquinas)
	Conta de Capital
	
	Débito
	Crédito
	(D) Variação de Estoques
	(F) Poupança Privada Líquida
	(E) Formação Bruta de Capital Fixo
	(B) Depreciação*
	
	(K) Resultado do BP em transações correntes
	
	(O) Saldo do governo em conta corrente
	Investimento Bruto Total
	Poupança Bruta Total
*Do conceito de depreciação, surgem duas distinções para o produto: Bruto (com a depreciação) e Líquido (sem a depreciação). 
 A partir das três outras contas e de um pouco de raciocínio lógico podemos descobrir as duas outras contas do sistema, a começar pela conta de produção.
Na Conta de Produção, analisaremos as empresas. O que é o crédito das empresas? É o que elas vendem (hoje) para as famílias (consumo pessoal), para o governo (consumo do governo) e exportam (exportação de bens e serviços não fatores) e o que permite o consumo futuro (entenda como um crédito no futuro): a variação de estoques e a formação bruta de capital fixo. E como elas gastam esse crédito? Remunerando os fatores de produção (salários, aluguéis, juros, lucros), \u201cpagando\u201d a depreciação (parcela de capital desgastado que precisa ser reposta), importando bens e serviços não fatores, pagando, por exemplo, o aluguel de uma propriedade do governo (outras receitas correntes líquidas), pagando os impostos diretos ao governo subtraídos das transferências (que é o que elas recebem de volta), pagando a remuneração de fatores de produção estrangeiro menos o que recebe do exterior. Completando a conta, os impostos indiretos subtraídos dos subsídios alteram o preço dos bens e são repassados para o governo. Perceba que no crédito temos a Demanda Total por Bens e Serviços da Economia e achamos a Oferta Total por Bens e Serviços no Crédito.
	Conta de Produção
	
	Débito
	Crédito
	(A) renda 
	(C) Consumo Pessoal
	(a1) salários (a2) lucros (a3) juros (a4) aluguéis. A= a1+a2+a3+a4
	(L) Consumo do Governo
	(B) Depreciação
	(D) Formação Bruta de Capital Fixo
	(J-H) Renda enviada \u2013 Renda recebida do Exterior
	(E) Variação de Estoques
	(p1-m1) Impostos diretos \u2013 transferências das empresas
	(G) Exportação de Bens e Serviços Não Fatores
	(R) Outras receitas correntes líquidas
	
	(I) Importação de Bens e Serviços Não Fatores
	
	(Q-N) Subsídios - Transferências
	
	
	
	Oferta Total de Bens e Serviços
	Demanda Total por Bens e Serviços
PIBpm=Some tudo do lado da Oferta Total menos as importações ou Subtraia as Importações da Demanda Total por Bens e Serviços.
PIBcf = Some tudo de A até R
PNBpm= Some tudo, menos (J-H) e as Importações
Com isso, só resta fazermos a última conta, a de apropriação, que mostrará a renda