Aula_07

Aula_07


DisciplinaMercado Financeiro10.891 materiais77.911 seguidores
Pré-visualização2 páginas
*
*
*
MERCADO FINANCEIRO
CIÊNCIAIS CONTÁBEIS \u2013 RICARDO SILVEIRA
Rio de Janeiro, 01 de Setembro de 2011
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Segundo Assaf,\u201c toda vez que a incerteza associada à verificação de determinado evento possa ser quantificada por meio de uma distribuição de probabilidades dos diversos resultados previstos, diz-se que a decisão está sendo tomada sob uma situação de risco.
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Segundo a resolução 3.464 do Banco Central:
 Risco de mercado é a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes de alterações nos valores de mercado de posições detidas por uma Instituição Financeira. 
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
O risco de mercado pode ser analisado de duas maneiras distintas, as quais são:
Risco de mercado relativo 
Risco de mercado absoluto
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Risco de mercado relativo 
 É a medida da variação da rentabilidade de um determinado portfólio em comparação a um índice utilizado como benchmark. Há diferentes métricas que podem ser utilizadas no cálculo do risco de mercado de um ativo ou de uma carteira.
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Risco de mercado absoluto
É a medida das perdas de uma carteira de investimentos em relação ao seu próprio valor anterior, sem que se façam comparações com índices de mercado.
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Mercado Eficiente
Reflexo do consenso dos investidores com relação ao desempenho esperado do ativo é que definem o seu valor. Na hipótese da eficiência, considera-se que o preço de um ativo qualquer é formado a partir das diversas informações publicamente disponíveis aos investidores, os quais vão tomar suas decisões de compra e de venda com base em suas interpretações dos fatos relevantes. 
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
No mercado considerado eficiente são levadas em consideração toda nova informação considerada relevante pelos participantes que tenham o poder de promover alterações nos preços dos ativos negociados. 
Quando ocorrerem previsões ou estimativas de preços que venham a ser efetuadas com relação a determinado cenário futuro deverão ser incorporadas também novas informações esperadas, e não somente àquelas referentes as informações passadas. 
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Algumas características básicas do mercado eficiente: 
-Aquele no qual os preços refletem as informações disponíveis e apresentam grande sensibilidade a novos dados, ajustando-se rapidamente a outros ambientes. 
-Nenhum participante sozinho tem capacidade de influenciar os preços nas negociações.
-Constituído de investidores racionais.
-Informações disponíveis, gratuitas e instantâneas.
-Inexistência de racionamento de capital.
-Os ativos são divisíveis e negociáveis sem restrições.
-Expectativas dos investidores homogêneas.
-Rapidez na execução das ordens de compra e venda num ambiente organizado.
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Imperfeições:
Estimativas não homogêneas dos investidores
Nem todos os investidores são racionais
O mercado sofre influências de políticas econômicas
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Risco Econômico
	
Também chamado de Risco de Conjuntura por alguns autores. Este tipo de risco é baseado em um conceito mais profundo e está relacionado com o impacto das variações de ordem econômica (inflação, taxa de juros, etc.) sobre as operações de uma corporação como um todo. Desse modo, o risco econômico está freqüentemente interessado nos efeitos indiretos do impacto das oscilações do sistema econômico sobre a empresa.
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Risco Financeiro
Definimos como risco financeiro o impacto no desempenho financeiro de qualquer empresa que se expõe ao risco. A grande maioria das empresas é afetada de algum modo por mudanças em uma ou várias variáveis financeiras. Movimentações nestas variáveis como taxas de câmbio, preços dos commodities, taxas de juros e preço de ações geram uma incerteza em relação ao fluxo de caixa da maioria das instituições.
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Risco Financeiro 
Além das variáveis financeiras acima descritas, toda a estrutura envolvida com o mercado de capitais como sistemas operacionais, sistemas de crédito, modelos de precificação de ativos, liquidez, regulamentações e outros fatores ligados à dinâmica dos mercados financeiros serão todos agrupados nesta categoria de risco.
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Dessa maneira , podemos considerar que o risco total de qualquer ativo é definido pela sua parte sistemática (risco sistemático ou conjuntural) e não sistemática (risco específico ou do próprio ativo).
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Risco sistemático ou conjuntural:
 é inerente ao sistema econômico como um todo. Não é diversificável. É determinado por eventos de natureza política, econômica e social, o que significa que cada ativo comporta-se de forma diferente diante da situação conjuntural estabelecida e que não há como evitá-lo totalmente.
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Risco não sistemático ou diversificável: 
aquele que pode ser total ou parcialmente diluído pela diversificação da carteira. Relacionado com as características do título, não afetando os demais ativos da carteira. Em outras palavras, é um risco intrínseco, próprio de cada investimento realizado. 
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Dessa maneira, o risco total de qualquer ativo é mensurado pela fórmula:
Risco Total = Risco Sistemático + Risco Não Sistemático
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
De que forma a mensuração do risco costuma processar-se?
Geralmente por meio do critério probabilístico, o qual consiste em atribuir probabilidades, as quais podem ser objetivas ou subjetivas com relação aos diferentes estados de natureza esperados e, em conseqüência, aos possíveis resultados de investimento.
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
A probabilidade objetiva pode ser definida através de séries históricas de dados e informações, freqüências relativas observadas e experiência acumulada no passado.
A probabilidade subjetiva, tem como base a intuição, o conhecimento, a experiência do investimento e até mesmo, um certo grau de crença na unidade tomadora de decisão.
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Deste modo, como o risco pode ser interpretado?
O risco pode ser interpretado pelos desvios previsíveis dos fluxos futuros de caixa resultantes de uma decisão de investimento encontrando-se associado a fatos considerados como de natureza incerta. 
O retorno esperado está vinculado aos fluxos incertos de caixa do investimento, sendo determinado pela ponderação entre valores financeiros esperados e suas respectivas probabilidades de ocorrência. 
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Em probabilidade e estatística, o desvio padrão é a medida mais comum da dispersão estatística. O desvio padrão define-se como a raiz quadrada da variância. É definido desta forma de maneira a dar-nos uma medida da dispersão que:
seja um número não-negativo;
use as mesmas unidades de medida que os nossos dados.
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Quanto maior o desvio-padrão, maior é o \u201crisco\u201ddo ativo, estatisticamente, quanto maior o risco, maior tende a ser o retorno esperado do ativo. Deve, porém, ser notado que isso pode significar que o aplicador tanto pode ter grandes ganhos como grandes perdas
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Relação Risco/Retorno e investidor
A teoria da preferência tem por objetivo básico revelar como um investidor se posiciona diante de investimentos que apresentem diferentes combinações de risco e retorno. 
Em decisões que envolvem diferentes combinações de risco e retorno espera-se que o investidor busque maximizar sua utilidade esperada. 
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Levando-se em consideração que todo investidor a partir da comparação racional que pode promover entre as utilidades das alternativas financeiras disponíveis, é capaz de construir uma escala (tabela) de preferências, é estabelecido um conceito essencial de sua decisão em condições de risco.
*
*
*
RISCO, RETORNO E MERCADO
Seguindo