APOSTILA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS
79 pág.

APOSTILA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS


DisciplinaInstalações Elétricas Prediais618 materiais8.736 seguidores
Pré-visualização7 páginas
.................................................................................... 61 
7.1.1.4 Consumo de energia .................................................................................... 61 
7.1.1.5 Tarifa de energia .......................................................................................... 62 
7.1.1.6 Eficiência energética ou eficiência luminosa ................................................ 62 
7.2 PPoossiicciioonnaammeennttoo ddooss ppoonnttooss ddee iilluummiinnaaççããoo ee ttoommaaddaass ((TTUUGG ee TTUUEE)) .................................. 6644 
7.3 O uso dos dispositivos DR ................................................................................. 68 
7.4 Disjuntor termomagnético ................................................................................... 70 
7.4.1 Características técnicas \u2013 disjuntor ................................................................. 72 
7.4.1.1 Corrente nominal (In) .................................................................................... 72 
7.4.1.2 Corrente convencional de não atuação (Int) ................................................. 73 
7.4.1.3 Corrente convencional de atuação (It)(I2) .................................................... 73 
7.4.1.4 Tempo convencional .................................................................................... 73 
7.4.1.5 Temperatura de calibração ........................................................................... 73 
7.4.1.6 Curvas de disparo ........................................................................................ 73 
7.4.1.7 Capacidade de interrupção (Icn) .................................................................. 74 
7.4.1.8 Normas técnicas ........................................................................................... 74 
7.4.1.9 Especificação ............................................................................................... 74 
7.5 Definições ........................................................................................................... 75 
7.5.1 Corrente nominal ............................................................................................. 75 
7.5.1.1 Sobrecorrente ............................................................................................... 75 
 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ........................................................................ 79 
 
 
 5 
1 INTRODUÇÂO A ELETRICIDADE 
 
 
De acordo com o dicionário Michaelis, eletricidade é uma forma de 
energia natural, ligada aos elétrons que se manifesta por atrações e repulsões, e 
fenômenos luminosos, químicos e mecânicos. Existe em estado potencial 
(eletricidade estática) como carga (tensão), ou em forma cinética (eletricidade 
dinâmica) como corrente. 
Vamos falar um pouco a respeito da eletricidade: 
 
 
Figura 01 \u2013 Utilização da energia elétrica 1 
 
Você já parou para pensar que está cercado de eletricidade por todos os 
lados? 
 
 6 
 
Figura 02 \u2013 Utilização da energia elétrica 2 
 
 
Figura 03 \u2013 Utilização da energia elétrica 3 
 
Pois é! Estamos tão acostumados com a energia elétrica que nem 
percebemos que ela existe. 
 
 7 
 
 
Figura 04 \u2013 Utilização da energia elétrica 4 
 
Na realidade a eletricidade é invisível, o que percebemos são seus 
efeitos, como: 
 
 
Figura 05 \u2013 Transformação da eletricidade 
 
 
 
 8 
1.1 Fontes de energia 
 
 
A energia elétrica é uma forma secundária de energia, apresentando 
poucas possibilidades de aplicação direta. Porém, ela é uma forma intermediária 
muito importante devido a sua facilidade de transporte, bem como suas 
possibilidades de conversão. 
Entre todas as possibilidades de transformação, a forma eletromecânica 
desempenha um papel de grande importância. Ver figura 06 abaixo. Mais de 99% da 
produção de energia elétrica resulta da conversão energia mecânica em elétrica. 
A conversão eletromecânica desempenha um importante papel em nossa 
vida: tração ferroviária ou urbana, máquinas ferramentas, aparelhos domésticos, etc. 
Os atributos de rendimento de conversão, \u201cmaleabilidade\u201d e ausência de 
poluição são os elementos que fazem da energia elétrica um produto muito 
difundido. 
 
 
Figura 06 \u2013 Formas de conversão de energia 
 
 
1.2 O átomo 
 
 
É a menor porção de um elemento. Nos primórdios da física, realmente 
pensou-se que o átomo não fosse divisível, mas a física moderna mostrou que o ele 
é formado por um número enorme de partículas. Dentre as quais podemos destacar: 
 9 
 
 elétron \u2013 parte do átomo que se convencionou possuir carga elétrica 
negativa (-); 
 próton \u2013 parte do átomo que se convencionou possuir carga elétrica 
positiva (+); 
 nêutron \u2013 parte do átomo que se convencionou não possuir carga 
elétrica (carga total neutra). 
 
Essas partículas ou cargas estão dispostas da seguinte forma: 
 
 prótons e nêutrons \u2013 no núcleo; 
 elétrons \u2013 movimento de rotação ao redor do núcleo, em órbitas 
concêntricas. Ao redor do núcleo é translação, ao redor de si mesmo é 
rotação (spin). 
 
 
Figura 07 - Figura atômica de um elemento 
 
Um átomo sem carga elétrica é chamado de átomo balanceado (carga 
total neutra). Caso contrário, numa situação instável, ele é chamado de átomo 
desbalanceado ou íon: 
 
 íon positivo \u2013 átomo que perdeu elétrons, logo há mais cargas 
positivas (p); 
 íon negativo \u2013 átomo que ganhou elétrons, logo há mais cargas 
negativas (e). 
 
 10 
1.3 Cargas elétricas 
 
 
Lei das cargas: cargas de mesmo nome (sinal) se repelem, cargas de 
nomes (sinais) contrários se atraem. 
De acordo com a Lei das Cargas, qualquer carga tem energia potencial 
para realizar o trabalho de mover outra carga, seja por atração, seja por repulsão. 
 
 
Figura 08 \u2013 Princípio da atração e repulsão. 
 
Como unidade de carga, utilizaremos o Coulomb [C]. Um Coulomb é a 
carga devida à aproximadamente 628x1016 elétrons. 
 
2
21
d
.qq
kF
 (1.1) 
 
A equação (1.1) representa o módulo da força elétrica (Lei de Coulomb) 
em Newton [N], onde k é a constante que depende do meio e d é a distância entre 
as cargas em metros [m]. Os sentidos das forças de atração e repulsão estão 
representados na figura 08. 
 
 
1.4 Circuito elétrico 
 
1.4.1 Circuito 
 
 
É todo percurso que representa um caminho fechado. Vamos 
acompanhar o percurso da corrente elétrica ao ligar um aparelho? 
 11 
Para facilitar, vamos observar um \u201crádio de pilha\u201d aberto, para você ver o 
caminho por onde passa a corrente. 
 
 
 
AAggoorraa ssee oobbsseerrvvaa oo ppeerrccuurrssoo ddaa ccoorrrreennttee eemm uummaa llaanntteerrnnaa:: 
 
 
Note que a corrente tem que percorrer o mesmo caminho, continuamente. 
É um caminho fechado; é um circuito elétrico. 
 
 
1.4.2 Circuito elétrico 
 
 
É um caminho fechado por condutores elétricos ligando uma carga 
elétrica a uma fonte geradora (pilhas). 
No exemplo da lanterna, você pode observar os diversos componentes do 
circuito elétrico: 
 
1 - fonte geradora de eletricidade, pilha; 
2 - aparelho consumidor de energia (carga elétrica), lâmpada; 
 12 
3 - condutores, tira de latão. 
 
 
1.4.3 Elementos dos circuitos elétricos 
 
1.4.3.1 Fonte geradora de energia elétrica 
 
 
É a que gera ou produz Energia Elétrica, a partir de outro tipo de energia. 
A pilha da lanterna, a bateria do automóvel, um gerador ou uma usina hidrelétrica 
são fontes geradoras de energia. 
 
 
 
 Pilha Bateria Gerador 
 
 
1.4.3.2 Aparelho consumidor (carga elétrica) 
 
 
Aparelho consumidor é o elemento do circuito que emprega a energia 
elétrica para realizar trabalho. A função do aparelho consumidor no circuito é 
transformar a energia elétrica em outro tipo de energia. 
Estamos nos referindo a alguns tipos de Consumidores Elétricos.