2012.05.06 - Material do Laboratório da Mariana Orsini - MEDINDO O CONTÁGIO DA CRISE DO SUBPRIME NOS BRIC_monitoria

2012.05.06 - Material do Laboratório da Mariana Orsini - MEDINDO O CONTÁGIO DA CRISE DO SUBPRIME NOS BRIC_monitoria


DisciplinaEconomia Monetária656 materiais14.439 seguidores
Pré-visualização5 páginas
as variáveis 
em questão. O ponto mais crítico para todos os índices de calor 
destes 4 países deu-se com a concordata do Banco Lehman 
Brothers em setembro de 2008. 
\uf0a2 VAR\u2019s: 
\uf0a7 Para momentos negativos dos EUA, há impacto negativo em todas 
as bolsas de valores dos BRIC, com defasagem. 
\uf0a7 Momentos positivos na bolsa chinesa geram um impacto positivo 
significativo na bolsa brasileira e na indiana e geram impacto 
negativo nas taxas de juros do Brasil, China e Índia. 
 47 
Mariana Orsini Machado de Sousa, Aluna de Mestrado em Economia IPE-USP 
CONCLUSÕES - 
CONTINUAÇÃO 
48 
\uf0a2 VEC\u2019s: 
\uf0a7 Há impactos significativos no longo prazo de momentos bons 
da bolsa norte-americana na bolsa chinesa (positivo), nas 
bolsas do Brasil, Índia e Rússia (negativo) e na taxa de 
câmbio indiana (positivo). 
\uf0a7 Há impacto relevante da economia chinesa no longo prazo 
principalmente momentos negativos para câmbio e bolsas 
dos BRIC. 
\uf0a7 A crise gera alterações significantes na forma como a 
economia Chinesa afeta os BRIC. 
 
Mariana Orsini Machado de Sousa, Aluna de Mestrado em Economia IPE-USP 
CONCLUSÕES 
\uf0a2 Modelos Para Variáveis Reais: 
\uf0a7 Os testes de cointegração em painel e os respectivos modelos de 
correção de erros nos levam a concluir que, tanto para a taxa de 
desemprego como para a produção industrial, quando separamos a 
amostra nos períodos pré-crise (1995 a 2006) e crise + pós-crise 
(2007 a 2010), notamos que há diferenças não desprezíveis para as 
estatísticas dos testes de cointegração e para as variáveis que 
impactam os modelos de correção de erros. 
 
49 
Mariana Orsini Machado de Sousa, Aluna de Mestrado em Economia IPE-USP 
Mariana Orsini Machado de Sousa, Aluna de Mestrado em Economia IPE-USP 
\uf0a2 China começa a ter papel importante para 
impulsionar o crescimento durante e após a crise; 
\uf0a2 BRICs foram no geral menos afetados pela crise 
pois: 
1) A crise originou-se no mundo desenvolvido; 
2) Demanda interna continuou forte (políticas 
anticíclicas); 
3) Acúmulo significativo de reservas 
internacionais; 
4) Mercado consumidor da China e Índia 
mantiveram alta a demanda por commodties. 50 
CONCLUSÕES GERAIS 
Mariana Orsini Machado de Sousa, Aluna de Mestrado em Economia IPE-USP 
Obrigada! 
 
Mariana Orsini Machado de 
Sousa 
 
mariana.orsini.sousa@usp.br 
51 
Mariana Orsini Machado de Sousa, Aluna de Mestrado em Economia IPE-USP 
BIBLIOGRAFIA 
\uf0a2 BAIG, Taimur; GOLDFAJN, Ilan. Financial Market Contagion in the Asian Crisis. International Monetary Fund 
Staff Papers. Vol. 46, n. 2, p.167-195, 1999. 
\uf0a2 BERNANKE, Ben. Alternative Explanations of the Money-Income Correlation, K. Brunner, - A.H. Meltzer, Real 
Business Cycles, Real Exchange Rates - Actual Policies, Carnegie-Rochester Conference Series on 
Public Policy, vol. 25, Amsterdam: North-Holland, p. 49-100, 1986 
\uf0a2 BLANCHARD, Oliver. The Crisis: Basic Mechanisms, and Appropriate Policies. MIT Working Paper Series. n. 
09-01, 2008. 
\uf0a2 INTERNATIONAL MONETARY FUND - IMF. Global Financial Stability Report: Responding to the Financial 
Crisis and Measuring Systemic Risk. Washington DC, 2009. 
\uf0a2 WESTERLUND, Joakim. Testing for Error Correction in Panel Data. Oxford Bulletin of Economics and 
Statistics. Vol. 69, n. 6, pp. 709-748, 2006. 
\uf0a2 SIMS, Cristopher Are forecasting models usable for policy analysis?. Quarterly Review, Federal Reserve Bank 
of Minneapolis, 1986. 
\uf0a2 STOCK, James H.; WATSON, Mark W. Vector Autoregressions, Journal of Economic Perspectives, Vol.15, 
n.4, 2001. 
 
52 
__MACOSX/._MEDINDO O CONTA\u301GIO DA CRISE DO SUBPRIME NOS BRIC_monitoria.pdf