1-aula-apresentao-da-disciplina-introduo-engenharia-de-produo-1219770391910894-9
41 pág.

1-aula-apresentao-da-disciplina-introduo-engenharia-de-produo-1219770391910894-9


DisciplinaIntrodução à Engenharia de Produção1.621 materiais22.147 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Universidade Federal do Vale do São Francisc
Campus de Juazeiro
Colegiado de Engenharia de Produção
Apresentação da disciplina
Disciplina: Introdução à Engenharia de Produção
Professor: Marcel de Gois Pinto
Conteúdo
ƒ Programa da disciplina
ƒ Apresentação do curso
ƒ Sistema de avaliação da aprendizagem
ƒ Sistemas de produção pré e pós revolução industrial
Ementa
ƒ Origem e importância da Engenharia
ƒ A engenharia como ciência e como arte
ƒ O método científico
ƒ Estágios de evolução das ciências e da tecnologia
ƒ As funções do engenheiro
ƒ O engenheiro e o técnico
ƒ Código de ética do engenheiro
ƒ Áreas de atuação do engenheiro
ƒ CREA e ABEPRO
Objetivo da disciplina
ƒ Pretende-se que, ao final da disciplina, os alunos 
compreendam o conceito de engenharia de produção, 
identificando as principais áreas de atuação do 
engenheiro de produção, o papel deste profissional na 
sociedade, nas organizações (pública ou privada), nos 
institutos de ensino e nas universidades. Espera-se, 
ainda, que conheçam o papel do conselho regional de 
engenharia e arquitetura (CREA) e da associação 
brasileira de engenharia de produção (ABEPRO).
Meios de ensino e aprendizagem
ƒ Aulas Expositivas e Práticas;
ƒ Visitas técnicas;
ƒ Discussão de Textos;
ƒ Seminários
Conteúdo programático
ƒ Sistemas de produção pré e pós-revolução industrial
ƒ Engenharias, administração, economia e a engenharia de 
produção
ƒ Tipos de cursos de engenharia de produção
ƒ Gestão da produção 
ƒ Gestão da qualidade
ƒ Gestão econômica 
ƒ Higiene e segurança do trabalho
Conteúdo programático
ƒ Engenharia do produto
ƒ Pesquisa operacional
ƒ Estratégia
ƒ Gestão ambiental
ƒ Sistemas de informação 
ƒ Gestão da tecnologia
ƒ CREA
ƒ ABEPRO
Sistema de Avaliação
Instrumento Peso
Nota 1 \u2013 Trabalho 5
Nota 2 \u2013 Seminário 5
Universidade Federal do Vale do São Francisc
Campus de Juazeiro
Colegiado de Engenharia de Produção
Sistemas de produção 
Pré e Pós-revolução industrial
Disciplina: Introdução à Engenharia de Produção
Professor: Marcel de Gois Pinto
Reflexão
ƒ Quais são os motivos que o fizeram escolher o curso de 
engenharia de produção?
ƒ Qual o entendimento que você tem do que significa 
engenharia de produção?
ƒ Na sua opinião, qual a diferença entre ser um 
administrador de empresas e ser um engenheiro de 
produção?
Reflexão
ƒ Cada profissão tem seu objetivo na sociedade, seu papel 
a cumprir
ƒ Cada profissional atua, dentro do seu campo (objeto), com 
um objetivo específico.
ƒ Qual o objeto e o objetivo dos seguintes profissionais?
Médico
Fisioterapeuta
Arquiteto Engenheiro Mecânico
Professor Empresário
Artista
Geneticista
Reflexão
ƒ A partir da discussão anterior, qual é o objeto e o objetivo 
da engenharia de produção?
TODO PROFISSIONAL VISA ATENDER ALGUMA
NECESSIDADE HUMANA
VAMOS ENTENDER QUAL NECESSIDADE É
ATENDIDA PELO ENGENHEIRO DE PRODUÇÃO
Reflexão
ƒ Vamos começar o entendimento a partir do significado do 
termo produção
ƒ Como se pode \u201cengenheirar\u201d a produção?
ƒ Para entender como isso funciona, vamos entender a 
evolução nas formas de produzir
PRODUÇÃO
=
BENS E SERVIÇOS OFERTADOS AO CONSUMO
Sistemas de Produção: evolução
Pré-história
ƒ Quando ainda vivíamos nas cavernas, os produtos e 
serviços utilizados referia-se a caça e coleta
ƒ Os instrumentos eram rudimentares e confeccionados 
manualmente
Pré-história
ƒ A sociedade era dividida apenas com relação ao sexo
ƒ As classes sociais relacionavam-se apenas à liderança
ƒ Não havia ainda domínio sobre as formas de produzir, na 
escassez, deslocamentos
Pré-história
ƒ A grande revolução nas formas de produzir aquilo de que 
se necessitava foi o desenvolvimento da pedra lascada, 
polida e, posteriormente, da utilização dos metais.
Sistemas de Produção: evolução
Idade antiga
ƒ O domínio sobre a AGRICULTURA foi a grande revolução 
tecnológica deste período
ƒ O homem se fixa em um local
ƒ Surge o excedente e com ele a acumulação
ƒ As trocas comerciais vão deixando de acontecer a partir 
do escambo e passar a ocorrer com base \u201cmoeda\u201d
ƒ Assim cresce a importância dos metais e pedras preciosas
ƒ Surge o período das conquistas
Sistemas de Produção: evolução
Idade média
ƒ As monarquias ainda não estão estabelecidas
ƒ Os feudos têm papel central na vida das pessoas e na 
produção
ƒ O senhor feudal possui papel fundamental na organização 
daquela sociedade
ƒ A posse da terra e não a posse das pessoas
ƒ O sistema era de servidão com base em arrendamentos
ƒ A SOCIEDADE CONTINUA AGRÍCOLA
Sistemas de Produção: evolução
Idade moderna
ƒ Inspirada pela iluminismo e pelo materialismo surge a 
idade moderna
ƒ Surge também o mercantilismo
ƒ A partir das navegações e do comércio, as fronteiras são 
estreitadas
ƒ Ganha força outro papel na produção: a distribuição
ƒ Importância comercial têm as especiarias, pedras 
preciosas e ouro, tecidos e outras riquezas naturais
Sistemas de Produção: evolução
Idade contemporânea
ƒ Nascimento da era industrial
ƒ Estabelecimento da exploração do homem pelo homem
ƒ A sociedade muda o foco agrícola para o foco industrial
ƒ Aparece a divisão do trabalho
ƒ Diversos fatores foram responsáveis pelo seu 
aparecimento, cujo núcleo fora a Inglaterra:
ƒ Fatores tecnológicos
ƒ Fatores econômicos
ƒ Fatores sociais
Idade contemporânea
ƒ A mais importante: motor movido a vapor
TECNOLÓGICOS
Idade contemporânea
ƒ Com a máquina a vapor, a força motriz deixou de ser 
animal ou humana
ƒ Na técnica produtiva, diversas foram as invenções:
ƒ Máquina de fiar rotativa 
ƒ Teares automáticos (inclusive movidos a vapor)
ƒ Cadinho para fabricação de aço
ƒ Uso do carvão mineral na metalurgia
ƒ Condensador de Watt para a máquina de vapor
TECNOLÓGICOS
Idade contemporânea
ƒ Com a máquina a vapor, a força motriz deixou de ser 
animal ou humana
ƒ Outras inovações:
ƒ Transportes para o escoamento da produção (locomotiva movida 
a vapor, primeira via aquática artificial - Bridgewater, ponte em 
ferro fundido)
ƒ Comunicações (telégrafo, telefone, fonógrafo, radiotelegrafia) 
TECNOLÓGICOS
Idade contemporânea
ƒ Somente as inovações tecnológicas não teriam 
conseguido gerar uma revolução industrial
ƒ Na Inglaterra foram diversos os fatores que a tornaram o 
berço desta nova era:
ƒ Sociedade Liberal e queda do absolutismo e do feudalismo
ƒ Domínio sobre as rotas marítimas e comerciais (mercantilismo)
ƒ Capital acumulado
ƒ Segurança das instituições (patentes, parlamento)
SOCIAIS E ECONÔMICOS
Idade contemporânea
ƒ Conseqüências no modo de produzir
ƒ Divisão do trabalho
ƒ Aumento da produção e da produtividade
ƒ Perda do domínio do conhecimento total do trabalho pelos 
operários
ƒ Aumento da oferta de produtos e redução dos preços
Idade contemporânea
ƒ Diante da industrialização, alguns economistas buscaram 
explicar as razões dos seus benefícios
ƒ Adam Smith buscou explicar \u201cA riqueza das nações\u201d e o 
aumento da produtividade através de 3 razões:
ƒ Especialização do trabalho
ƒ Menor deslocamento dos trabalhadores na fábrica
ƒ Facilitação do trabalho a partir das máquinas
NESTE CONTEXTO SURGE A
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO
Surgimento da Eng. Produção
ƒ Algumas pessoas buscaram sistematizar aquilo que Adam 
Smith escreveu em recomendações para a organização 
do trabalho:
- Frederick H. Taylor \u2013 estudo de tempos
- Frank e Lillian Gilbreth \u2013 estudo de movimentos
- Henry Ford \u2013 criação das linhas de montagem
Surgimento da Eng. Produção
ƒ Iniciou os estudos relativos ao trabalho 
em 1881 (Midvale Steel Company)
ƒ Formação em engenharia mecânica
ƒ Considerado o pai da administração 
científica e da engenharia de produção
ƒ É uma das figuras mais controversas 
da história da industrialização
TAYLOR
Surgimento da Eng. Produção
ƒ Contribuições: aço rápido, estudo da 
usinagem de metais, estudo de 
tempos, utilização de um método 
científico para a organização do 
trabalho, descanso no trabalho
ƒ Estudo clássico: investigações sobre 
o uso da pá
TAYLOR
Surgimento