resumo  V2 HISTÓRIA DO DIREITO CONFORME PAUTA PROFESSOR
6 pág.

resumo V2 HISTÓRIA DO DIREITO CONFORME PAUTA PROFESSOR


DisciplinaHistória do Direito Brasileiro11.226 materiais278.998 seguidores
Pré-visualização3 páginas
o repouso semanal e as férias anuais remunerados e a indenização por dispensa sem justa causa. Sindicatos e associações profissionais passaram a ser reconhecidos, com o direito de funcionar autonomamente.
1937
Outorgada (concedida) no governo Getúlio Vargas.
Instituiu o regime ditatorial do Estado Novo: a pena de morte, a suspensão de imunidades parlamentares, a prisão e o exílio de opositores.
Suprimiu a liberdade partidária e extinguiu a independência dos poderes e a autonomia federativa. Governadores e prefeitos passaram a ser nomeados pelo presidente, cuja eleição também seria indireta. Vargas, porém, permaneceu no poder, sem aprovação de sua continuidade, até 1945.
ORGANIZAÇÃO DO ESTADO NA CONSTITUIÇÃO DE 1946
1946
Promulgada no governo de Eurico Gaspar Dutra, após o período do Estado Novo, restabeleceu os direitos individuais e extinguiu a censura e a pena de morte.
Instituiu eleições diretas para presidente da República, com mandato de cinco anos.
Restabeleceu o direito de greve e o direito à estabilidade de emprego após 10 anos de serviço.
Retomou a independência dos três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) e a autonomia dos estados e municípios.
Retomou o direito de voto obrigatório e universal, sendo excluídos os menores de 18 anos, os analfabetos, os soldados e os religiosos.
Retomada do pleno estado de direito democrático após o período militar.
Ampliação e fortalecimento das garantias dos direitos individuais e das liberdades públicas.
Retomada do regime representativo, presidencialista e federativo.
Destaque para a defesa do meio ambiente e do patrimônio cultural da nação.
Garantia do direito de voto aos analfabetos e aos maiores de 16 anos (opcional) em eleições livres e diretas, para todos os níveis, com voto universal, secreto e obrigatório.
REPUBLICA FEDERATIVA REPRESENTATIVA E PRESIDENCIALISTA
A ELEIÇÃO PRESIDENCIAL NO ATO INSTITUCIONAL No 2 AI2 \u2013 ELEIÇÃO INDIRETA
A tomada do poder pelos militares através do golpe em 1964 foi seguida por medidas que visavam estabelecer o novo regime. Para isso foi publicado no mesmo ano o Ato Institucional Número Um, mas a situação política mostrou que seriam necessárias novas medidas para barrar a oposição e então foi decretado em 1965 o Ato Institucional Número Dois.
O Ato Institucional Número Um foi a primeira medida dos militares após o golpe para reprimir a oposição. Como o movimento era muito recente, ainda pairava no ar dúvidas sobre quais seriam as consequências de um governo militar. Antes que os opositores se organizassem para refletir e possivelmente para desestabilizar os novos governantes doBrasil, foi publicado o primeiro Ato Institucional. Este suspendia a Constituição da República e os direitos políticos daqueles que pudessem causar alguma ameaça. Além disso, o decreto determinava que as próximas eleições para presidente seriam realizadas de maneira indireta pelo Colégio Eleitoral. Com tais medidas, o governo militar acreditou que a oposição pudesse ser controlada e que o povo consentiria com o movimento, mas para surpresa dos militares o efeito não foi o esperado.
Em 1965 ocorreram as eleições para governadores estaduais, o resultado causou preocupação aos militares. Em cinco dos estados brasileiros os vitoriosos nas urnas, por eleições diretas, foram políticos da oposição, sendo que em Minas Gerais e Rio de Janeiro a representatividade dos eleitos era ainda mais impactante, pois ambos os vencedores eram ligados ao deposto presidente João Goulart. O resultado assustou e mostrou que a direita não estava completamente unida para sustento ao governo militar, gerando a necessidade de novas medidas.
Os militares se reuniram então mais uma vez para elaborar um novo decreto capaz de ampliar o monopólio do poder, o fruto foi a decretação do Ato Institucional Número Dois (AI-2), no dia 27 de outubro de 1965. O novo Ato era mais rígido que o primeiro e reforçava as ações do Executivo, era composto por trinta e três artigos.
Mesmo com as novas regras que o AI-2 estabelecia, o mandato dos vitoriosos nas eleições de 1965 não foi interrompido, para demonstrar alguma forma de democracia. Entretanto a eleição indireta para presidente estava mantida, somando-se agora com outras medidas restritivas politicamente.
Foi o AI-2 que determinou o fim da vasta quantidade de partidos políticos existentes no Brasil, estabelecendo umsistema bipartidário. De um lado formava-se a Aliança Renovadora Nacional (ARENA), que representava o governo, e de outro o Movimento Democrático Brasileiro (MDB), que reunia uma parcela da oposição, mas de forma controlada. Para garantir mais apoio ainda no Congresso, ficou estipulado também o aumento do número de Senadores.
Através do novo Ato, o presidente Castelo Branco teve seus poderes aumentados significativamente. O decreto permitia ao presidente declarar Estado de Sítio, sem a prévia aprovação do Congresso, por até 180 dias. O aumento do número de Senadores garantia ao presidente maiores poderes para implementar suas leis. Os funcionários públicos perdiam seus direitos e poderiam ser demitidos por ordem presidencial, caso seus comportamentos fossem incompatíveis com os ideais da revolução. Os militares e funcionários civis acusados de crimes políticos poderiam ser punidos, de acordo com decreto do presidente.
Além disso, o AI-2 legitimava a intervenção do governo federal em estados e municípios, assim como o fechamento do Congresso Nacional, ambos sem aviso prévio.
Em linhas gerais, o presidente gozava de maiores poderes para aprovar suas leis, os civis passavam a ser julgados de acordo com os interesses militares e ficava determinado o sistema político bipartidário. Esta última medida garantia uma aparência democrática da política brasileira no cenário internacional, tal como fez o AI-1 criando as eleições para presidente através de um Colégio Eleitoral. O AI-2 esteve vigente até 1967 quando foi editada uma nova Constituição e a Lei de Segurança Nacional. Mas suas medidas permaneceram como orientadoras no novo documento responsável por estabelecer as leis do país.
COMPARAÇÃO DA ELEIÇÃO PRESIDENCIAL NA CONSTITUIÇÃO DE 1967 E 1988
1967 - As eleições presidenciais permanecem indiretas, com voto descoberto.
1988 - Com a Constituição de 1988, foram determinada as eleições diretas para a presidente, governador, deputado estadual e federal, senador e vereador. E o direito ao voto facultativo foi dado aos jovens a partir dos 16 anos.
PRICIPAIS CARACTERISTICAS DO ATO INSTITUCIONAL 5
PODER DE FECHAR O CONGRESSO NACIONAL E AS ASSEMBLEIAS ESTADUAIS E MUNICIPAIS.
DIREITO DE CASSAR OS MANDATOS ELEITORAIS DE MEMBROS DOS PODERES LEGISLATIVOS E EXECUTIVO NOS NÍVEIS FEDERAL \u2013 ESTADUAL \u2013E MUNICIPAL.
DIREITO DE DEMITIR \u2013 REMOVER \u2013 POSENTAR \u2013OU POR EM DISPONIBILIDADE FUNCIONÁRIOS DAS BUROCRACIAS FEDERAL \u2013ESTADUAL \u2013E MUNICIPAL.
PODER DE DECRETAR ESTADO DE SITIO SEM QUALQUER DOS IMPEDIMENTOS ESTABELECIDOS NA CONSTITUIÇÃO DE 1967.
DIREITO DE CONFISCAR BENS COMO PUNIÇÃO POR CORRUPÇÃO.
SUSPENSÃO DA GARANTIA DE HÁBEAS CORPUS EM TODOS OS CASOS DE CRIMES CONTRA A SEGURANÇA NACIONAL.
JULGAMENTO DE CRIMES POLÍTICOS POR TRIBUNAIS MILITARES.
DIREITO DE LEGISLAR POR DECRETO E BAIXAR OUTROS ATOS INSTITUCIONAIS OU COMPLEMENTARES.
PROIBIÇÃO DE APRECIAÇÃO PELO JUDICIÁRIO DE RECURSOS IMPETRADOS POR PESSOAS ACUSADAS EM NOME DO ATO INSTITUCIONAL No 5 E OS REUS JULGADOS POR TRIBUNAIS MILITARES NÃO TERIAM DIREITO A RECURSO.POR FIM AS DISPOSIÇÕES DO ATO TERIAM VIGÊNCIA ATÉ QUE FOSSEM REVOGADAS POR DECRETO ESPECÍFICO PRESIDENCIAL.
CENSURA AOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO
PERDA DOS DIREITOS POLITICOS POR TEMPO INDETERMINADO