18_113
83 pág.

18_113


DisciplinaMicrocontroladores e Sistemas Embarcados78 materiais687 seguidores
Pré-visualização37 páginas
para endereços IP. Primeiramente, os nomes e 
endereços eram armazenados automaticamente no seu 
computador local e por meio de arquivo texto. Tão logo uma 
rede ultrapassa alguns computadores, começam a surgir os 
problemas referentes a manter todos os endereços em todos 
os computadores. Faz sentido automatizar a manutenção da 
lista. Para resolver este problema foi criado o DNS que 
baseia-se em um computador que gerencia a lista e faz que 
os outros computadores o consultem para procurar 
endereços. 
2 . Camada de Transporte
APOSTILA DE INFORMÁTICA 
42
TCP (TRANSFER CONTROL PROTOCOL) \u2013 o
Protocolo de Controle de Transmissão tem como objetivo 
controlar os dados quando estão em trafego, de forma que 
todos dados enviados de uma máquina deve ser divididos em 
pacotes pelo emissor, podendo trafegar por caminhos 
distintos e, finalmente, serem remontados corretamente pelo 
receptor. O protocolo também cuida da perda de pacotes no 
trajeto entre um ponto e outro, solicitando a retransmissão do 
pacote ao remetente. Toda vez que um pacote é enviado na 
rede, o protocolo TCP cuida das confirmações de 
recebimento. Portanto, é dito que o protocolo TCP constrói 
um serviço confiável. Outra característica importante do 
TCP é o controle de fluxo. Ao enviar dados na rede, a parte 
receptora indica à parte transmissora a quantidade de bytes 
que podem ser recebidos após os últimos dados recebidos, 
assim evita-se ultrapassar o limite da capacidade do buffer da 
máquina receptora. 
UDP (USER DATAGRAM PROTOCOL) \u2013 protocolo de 
transporte mais simples, que não é orientado à conexão e 
não-confiável. É uma simples extensão do protocolo IP e foi 
desenvolvido para aplicações que não geram volume muito 
alto de tráfego na internet. 
3. Camada de Rede ou Internet
IP (INTERNET PROTOCOL) \u2013 o Protocolo Internet é a 
chave de interligação de redes que utilizam tecnologias e 
hardwares diferentes. Uma das características mais 
importantes do protocolo IP é a divisão da informação a ser 
transportada de uma ponto ao outro em fragmentos 
denominados datagramas. Todo datagrama é divido em 
cabeçalho e corpo. No cabeçalho encontram-se informações 
como: origem e destino do pacote, e informações específicas 
do protocolo pertinente a este pacote, já o corpo do 
datagrama é utilizado para armazenar os dados, ou seja, ao 
mandar um e-mail a concatenação do corpo dos datagramas 
no destino formará a mensagem original do e-mail enviada 
pela origem. A principal vantagem do IP reside no fato d 
transformar redes fisicamente separadas, com diferentes 
hardwares em uma rede funcionalmente homogênea. O 
protocolo IP resolve o problema da falta de espaço no buffer
simplesmente descartando os pacotes, por isso diz-se que IP 
é um protocolo não confiável. 
ARP (ADDRESS RESOLUTION PROTOCOL) \u2013 
protocolo que converte Endereço IP(lógico) em endereço 
MAC(físico). 
RARP (REVERSE ADDRESS RESOLUTION 
PROTOCOL) \u2013 protocolo que converte Endereço MAC 
(fisico) em endereço IP (lógico). 
4. Camada de Interface de Rede. 
PPP (PROTOCOL POINT-TO-POINT) \u2013 é um protocolo 
criado na conexão entre dois pontos, tipicamente dois 
modems. Interessante notar que, apesar de ter sido criado 
para transportar datagramas IP, esse protocolo também pode 
ser utilizado por outros protocolos, como o IPX/SPX. 
Outros protocolos utilizados em redes e na internet. 
 O protocolo OSI \u2013 O modelo de referência OSI 
(Open System Interconnection) é conhecido como modelo de 
padronização de tecnologias de redes de computadores. O 
modelo OSI teve como objetivo estabelecer uma regra e 
direcionamento no desenvolvimento de modelos de 
arquiteturas de redes. O modelo OSI nasceu da necessidade 
de criar um protocolo que conseguisse se comunicar entre 
redes diferentes. O protocolo OSI é dividido em sete 
camadas: 
7 Aplicação
6 Apresentação 
5 Sessão
4 Transporte 
3 Rede 
2 Enlace
1 Física
NetBEUI/NetBIOS 
O NetBEUI, NetBIOS Enchanced User Interface, é 
um protocolo proprietário da Microsoft, que acompanha 
todos os seus sistemas operacionais e produtos de redes, 
como o Windows 9x/ME, Windows NT/2000. este protocolo 
é utilizado como base para o NetBIOS (Network Basic 
Input/Output System) para compartilhamento de arquivos e 
impressoras. 
 O NetBEUI é protocolo pequeno e rápido. Porém 
possui duas grandes desvantagens: 
o comunicação por broadicast; o que pode inviabilizar seu 
uso se a quantidade de hosts for muito grande. 
o é um protocolo não roteável. Isso significa que não pode 
ser usado em redes que possuem outras redes 
interconectadas, isto é, que utilizem roteadores para se 
comunicar. 
SPX/IPX 
O Sequenced Packet Exchange/Internet Packet 
Exchange é o protocolo utilizado pela rede Novell. 
Implementa as camadas 3 e 4 do modelo de referência OSI, e 
utiliza, como protocolo de camada 2, exclusivamente o 
Ethernet (é um padrão que define como os dados serão 
transmitidos fisicamente através dos cabos da rede). Por 
muitos anos, Netware e Ethernet foram considerados 
sinônimos. Possuem diversas semelhanças com o TCP/IP. Já 
foram os protocolos mais populares, mas sendo o TCP/IP a 
base da Internet, acabaram caindo em desuso. 
o IPX \u2013 O IPX seria o equivalente ao protocolo de redes. É 
uma implementação muito volumosa e cheia de recursos. 
Tem algumas características vantajosas como a detecção de 
endereços MAC e atribuição automática de endereço IPX, ao 
contrário de outros protocolos como o IP, que fazem com o 
usuário tenha de atribuir manualmente um endereço para 
cada interface ou configurar um serviço externo que 
automatize a tarefa. 
o SPX \u2013 Da mesma forma que IPX, o SPX tem 
correspondência com o protocolo OSI de transporte. Uma 
das características mais importantes dessa implementação é 
que o SPX tem de receber a confirmação dos pacotes 
APOSTILA DE INFORMÁTICA 
43
enviados antes de poder enviar outro, o que traz prejuízos 
para o desempenho da rede. 
APPLE TALK 
 O Appletalk, como o próprio nome sugere, é o 
protocolo proprietário utilizado nas redes de computadores 
Apple. É composto por protocolos de transporte e entrega, o 
ATP (Apple Talk Transport Protocol) é o DDP (Datagram 
Delivery Protocol), equivalentes às camadas 4 3 do modelo 
OSI. 
 PROTOCOLO X.25 
 O protocolo X.25 é um protocolo de acesso a 
WANS que define regras de comunicação entre 
equipamentos DTE (roteadores, terminais) e uma rede 
(DCE) de pacotes que tanto pode ser pública quanto privada. 
O protocolo define regras para o perfeito estabelecimento , 
transmissão, recepção de dados, controle de fluxo e 
desconexão entre equipamentos. O X.25 surgiu com o 
objetivo de evitar que redes públicas geograficamente 
distribuídas desenvolvessem diferentes interfaces de acesso. 
FRAME RELAY 
 O frame relay é um protocolo baseado em redes 
comutadas, assim como o X.25. A grande diferença é que o 
Frame Relay, ao contrário do X.25, não é um protocolo 
orientado à conexão. Portanto, em redes usando o Frame 
Relay, a entrega dos dados não é garantida. 
 A vantagem do Frame Relay em relação ao X.25 é a 
velocidade. Por não possuir nenhum mecanismo para 
verificar se o datagrama chegou ou não ao destino, este 
protocolo consegue ser mais rápido do que o X.25, já que no 
X.25 o receptor precisa enviar uma informação de 
confirmação (acknowledge) ao transmissor a cada pacote 
recebido. 
PROTOCOLO ATM 
ATM (Asynchronous Transfer Mode) é uma 
tecnologia baseada na transmissão de pequenas unidades de 
informação de tamanho fixo denominadas \u201ccélulas\u201d que são 
transmitidas através de circuitos virtuais. Redes ATM 
funcionam com o mesmo princípio do X.25: são redes 
comutadas orientadas à conexão. A grande diferença são as 
altas taxas de transferência obtidas pelo ATM, que variam 
entre 25 e 622 Mbps. 
PROTOCOLO DHCP 
DHCP é um acrônimo para Protocolo de 
Configuração Dinâmica