Maquiavel_contexto_histórico_questões_gerais_4_08_2010

Maquiavel_contexto_histórico_questões_gerais_4_08_2010


DisciplinaIntrodução Às Ciências Sociais444 materiais1.707 seguidores
Pré-visualização1 página
*
Maquiavel (1469-1527)
Idéia central: força é inerente ao exercício do poder => política é uma esfera da vida social que tem leis próprias.
Plano da exposição
1.     Contexto histórico
a)    Economia e política no poder no berço da alta finança
b)    o humanismo
c)     Itália: avanço econômico e atraso político
2.     Trajetória pessoal
3.     Aspectos gerais da obra e plano do livro
4.     Virtù e fortuna
5.     A moral do príncipe
6.     Pontos mais importantes
*
Influências posteriores
Marx: poder das classes dominantes.
Weber: idéia de dominação: ética da convicção e ética da responsabilidade.
Antonio Gramsci: hegemonia: legitimidade e força.
North: Violence and social orders
*
1. Maquiavel \u2013 Contexto histórico
1.1. Economia e política no berço da alta finança.
Aurora do capitalismo industrial e comercial.
Estado: oligarquia mercantil capitalista. Na Itália: \u201ccapitalismo político\u201d.
Na Itália: cidades-estados.
Importância da diplomacia.
Início da \u201cglobalização\u201d; relação da aristocracia com o Estado (financiamento da dívida pública).
*
1. Maquiavel \u2013 Contexto histórico
1.2. Humanismo renascentista: fundamental para a relação entre fortuna e virtù.
Contraste entre avanço econômico e atraso político da Itália.
Ainda não é capitalismo propriamente dito: ordem fechada, dificuldade a formar organizações políticas e econômicas.
*
2. Trajetória pessoal
1469: Leonardo da Vinci tinha 17 anos; Cristóvão Colombo, 18. Rafael e Lutero nascerão 14 anos mais tarde.
1494: ocupação da Itália por Carlos VIII da França. Queda dos Médici.
Maquiavel: cargo de primeiro escalão de 1498 a 1512.
Dos 80 mil habitantes de Florença, só uns 1.000 têm participação na política.
*
3. O Príncipe \u2013 Aspectos gerais
Duplo ponto de vista: a) particularidade de uma ética própria à política e ao exercício do poder. Traço geral da modernidade: separação da vida social em esferas institucionais autônomas.
b) Maquiavel e Hobbes: profundo pessimismo. Visão de homem: antropologia. Economia como dismal science.
Posição contrária à da \u201ceconomia civil\u201d: Civil Ecoonomy Efficiency, Equity, Public Hapiness \u2013 Luigino Bruni e Stefano Zamagni. Peter Lang ed.
*
http://books.google.com.br/books?id=cFfKtpgn4fkC&printsec=frontcover&dq=Giovanni+Arrighi&source=bl&ots=DnelRbuQKD&sig=Qy5_txoVlLQqN3tkBxJ6LRXXODk&hl=pt-BR&ei=_UtgTNyUIcL48Abv4vW5DQ&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=15&ved=0CFMQ6AEwDg#v=onepage&q&f=false
*
3. O Príncipe \u2013 Aspectos gerais
Título: De Principatibus.
Objetivo geral: como manter o poder (e não como fazer o bem). o livro não começa com uma digressão sobre a natureza humana, a moral, Deus, o bem ou o mal, mas diretamente com a natureza dos regimes políticos 
=> Autonomia da esfera política da vida social. Separação entre virtude privada e virtude política 
Objeto: o que é a soberania ? Quantas espécies de soberania existem? Como ela é adquirida ? Como ela é conservada ? Como ela é perdida? 
*
3. O Príncipe \u2013 Aspectos gerais
Cinco teses centrais : Maquiavel maquiavélico?
a) não existe poder sem um Estado nacional forte. 
b) o verdadeiro Deus da política não é religioso nem moral: é a correlação de forças.
c) Maquiavel é um autor materialista.
d) A política é uma disciplina positiva e não normativa.
e) Não há qualquer sentido da história.
*
3. O Príncipe \u2013 Plano do livro
·     Capítulo I: classificação dos tipos de Estado
·     Capítulos II a XI: como cada um dos tipos de Estado pode ser adquirido, conservado e eventualmente perdido
·     Capítulos XII a XIV: questão militar: combate às tropas mercenárias
·     Capítulos XV a XXIII: como o Príncipe comporta-se com relação a seus súditos e amigos.
XXIII a XXVI: manifesto pela liberação da Itália 
*
4. Virtù e fortuna
Para Maquiavel, virtù não é igual a conduta justa. As metas adequadas a um príncipe são glória e fama. Para isso é impossível ter um comportamento sempre de acordo com preceitos abstratos de justiça.
virtù do homem político é diferente da virtù do homem comum.
Dante: nobreza deveria ser qualidade pessoal e não patrimônio familiar. 
Santo Agostinho: livro IV da Cidade de Deus: ataque às deusas gêmeas: Virtus e Fortuna.
importância da contingência na história.
*
5. A moral do Príncipe
Não é o \u201cvale-tudo\u201d para conservar o poder.
Métodos criminosos não são exaltados, mas tolerados.
*
6. Pontos mais importantes
A sociedade é necessariamente dividida.
A ordem política está sempre baseada em algum tipo de coerção.
Autonomia da ordem política relativamente à ordem moral e religiosa.
o Estado não é identificado a qualquer tipo de instância \u201cuniversal\u201d.
Não existe utopia social em Maquiavel.
*
6. Pontos mais importantes
Não há determinismo nem leis sociais que decidem o rumo da história.
Não é um autor a-moral 
Importância da unificação italiana.
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*