CCJ0007-WL-RA-04-Direito Penal I-Validade e Eficácia da Lei Penal no Tempo e no Espaço _13-08-2012_
9 pág.

CCJ0007-WL-RA-04-Direito Penal I-Validade e Eficácia da Lei Penal no Tempo e no Espaço _13-08-2012_


DisciplinaDireito Penal I81.649 materiais1.389.228 seguidores
Pré-visualização3 páginas
fiscalização, os policiais perceberam que a passageira Rosemery Tilsa 
Evaristo Pio, 37 anos, estava muito nervosa. Foi verificada toda a bagagem da peruana, mas nada foi encontrado. 
Ao informá-la de que ela passaria por uma revista pessoal, os policiais solicitaram que ela retirasse a sandália que 
calçava. Quando o policial pegou a sandália, desconfiou de seu peso e resolveu abrir o calçado, quando encontrou 
a droga. Rosemery disse que pegou a cocaína na Bolívia e que a levaria para a cidade de Campinas (SP), 
recebendo U$S 800. Ela foi conduzida para a delegacia da Polícia Federal. 
Ante o exposto, sendo Rosemary Tilsa peruana, poderá a lei brasileira ser aplicada à sua conduta? 
Responda, justificadamente, com base nos estudos realizados sobre o tema lei penal no espaço. 
 
Resposta: Sim. De acordo com o artigo 4º do Código Penal brasileiro, aplica-se a lei vigente no momento da 
atividade, ou seja, da conduta criminosa, em detrimento dos Princípios do Resultado e da Ubiquidade (Lei Penal 
no Tempo), e de acordo com a Lei Penal no Espaço. A aplicação da Lei Penal Brasileira rege-se pela Ubiquidade; 
assim, qualquer ato tipificado que toque de alguma forma o território brasileiro poderá ser alcançado pela Lei 
Brasileira. O Princípio da Territorialidade determina a aplicação da Lei Brasileira em toda parte do território do 
Estado Brasileiro, seja em seu solo, águas internas e territoriais, ou coluna de ar sobre ambos. 
 
3) JOSÉ foi vítima de um crime de extorsão mediante seqüestro (artigo 159, do C. Penal), de autoria de CLÓVIS. 
O Código Penal, em seu artigo 4.º, com vistas à aplicação da lei penal, considera praticado o crime no momento 
da ação ou omissão,ainda que outro seja o momento do resultado. No curso do crime em questão, antes da 
liberação involuntária do ofendido, foi promulgada e entrou em vigor lei nova, agravando as penas. Assinale a 
opção correta. (Prova de Seleção. 178. Concurso de Ingresso na Magistratura- Tribunal de Justiça do Estado de 
São Paulo/ Vunesp 2006). 
 
a) A lei nova, mais severa, não se aplica ao fato, frente ao princípio geral da irretroatividade da lei. 
b) A lei nova, mais severa, não se aplica ao fato, em obediência à teoria da atividade. 
c) A lei nova, mais severa, é aplicável ao fato, porque sua vigência é anterior à cessação da permanência. 
d) A lei nova, mais severa, não se aplica ao fato, porque o nosso ordenamento penal considera como tempo do 
crime, com vistas à aplicação da lei penal, o momento da ação ou omissão e o momento do resultado, aplicando-
se a sanção da lei anterior, por ser mais branda. 
 
4) Sobre a aplicação da lei penal no tempo e no espaço, o Código Penal Brasileiro adotou, respectivamente, as 
teorias da(do) (Defensor/RN/2006). 
 
a) ubiquidade e resultado. 
b) ubiquidade e ambiguidade. 
c) resultado e ubiquidade. 
d) atividade e ubiquidade. 
 
 
 
Curso de Direito 
Turma A \u2013 Manhã - 2012.1 
Direito Penal I 
Prof.: Ricardo Cícero de Carvalho Rodrigues 
Disciplina: 
CCJ0007 
Aula: 
004 
Assunto: 
Lei Penal no Tempo e Ultratividade da Lei 
Folha: 
7 de 9 
Data: 
13/08/2012 
 
MD/Direito/Estácio/Período-02/CCJ0007/Aula-004/WLAJ/DP 
==XXX== 
 
 
RESUMO DE AULA (WALDECK LEMOS) 
 
4ª AULA \u2013 Lei Penal no Tempo e Ultratividade da Lei 
 
LEI PENAL NO TEMPO 
 
1-TEORIAS 
 
-Da atividade => (Tempo Regit Actum) considera-se praticado o crime no momento da conduta (ação ou 
omissão), mesmo que outro seja o momento do resultado. 
-Do resultado => considera-se praticado o crime no momento do resultado. 
-Mista => Considera-se crime tanto no momento do resultado ou no momento do crime. 
 
Atenção: Com relação à Lei Penal no Tempo o Brasil adota a Teoria da Atividade (Art. 4° do CP/1940). 
 
Tempo do Crime 
 
Art. 4º - Considera-se praticado o crime no momento da ação ou omissão, ainda que outro seja o 
momento do resultado. (Redação dada pela Lei nº 7.209, de 1984) 
 
2-IMPLICAÇÕES PRÁTICAS 
 
-Imputabilidade do Agente 
-Circunstâncias da Vítima 
-Sucessão das Leis: 
 
a) Fato Atípico \uf0f3 Fato Típico 
b) Fato Típico \uf0f3 Aumenta Pena 
c) Fato Típico \uf0f3 Diminui Pena 
d) Fato Típico \uf0f3 Suprime Crime 
 
Obs.: Abolitio Criminis X Coisa Julgada (art. 5°, XXXVI) 
 
Obs.: Abolitio Criminis: Efeitos Penais X Efeitos Civis 
 
Obs.: Abolitio Criminis X Vacatio Legis 
 
Conflitos das Leis Penais no Tempo 
Fonte: (http://pt.wikipedia.org/wiki/Lei_penal) Wikipédia. 
 
"A lei penal não retroagirá, salvo para beneficiar o réu". 
 
Abolitio Criminis: Deixa de incriminar a conduta. Ex: Art. 240 Adultério - Deixou de ser crime. 
Novatio Legis in Mellius: Melhora de algum modo a situação do réu. Portanto retroage. 
Novatio Legis in Pejus: Piora de algum modo a situação do ré. Não retroage. 
Novatio Legis Incriminadora: Incrimina a conduta que não era crime. Não retroage. 
 
Obs.: Possível combinação de Leis? Sim já vem no próximo CP. 
 
 
Curso de Direito 
Turma A \u2013 Manhã - 2012.1 
Direito Penal I 
Prof.: Ricardo Cícero de Carvalho Rodrigues 
Disciplina: 
CCJ0007 
Aula: 
004 
Assunto: 
Lei Penal no Tempo e Ultratividade da Lei 
Folha: 
8 de 9 
Data: 
13/08/2012 
 
MD/Direito/Estácio/Período-02/CCJ0007/Aula-004/WLAJ/DP 
Obs.: Norma Penal em Branco X Abolitio Criminis 
-Complemento é Lei. => Sempre será possível a Retroatividade. 
-Complemento é Portaria => 1) se descriminar sempre vai retroagir. 2) Se a portaria é de atualização, não 
retroagi. 
 
3-ULTRATIVIDADE DA LEI 
 
-Leis Temporárias 
 
Lei A => Lei B => Lei A => 
 
-Leis Excepcionais 
 
Lei A => Lei B => 
 
Conflitos das Leis Penais no Tempo 
Fonte: (http://pt.wikipedia.org/wiki/Lei_penal) Wikipédia. 
 
Lei Temporária: Tem prazo de vigência estabelecido na lei. 
Lei Excepcional: Possui vigência em situações excepcionais. 
Características: 
-Autorrevogáveis: Não precisa de outra lei, quando acaba o período de vigência. 
-Ultrativas: Apesar de ter sido revogada, continua sendo aplicada aos fatos cometidos em sua 
vigência. 
 
De acordo com o artigo 4º do Código Penal Brasileiro, aplica-se a lei vigente no momento da 
atividade, ou seja, da conduta criminosa, em detrimento dos princípios do resultado e da ubiquidade. 
 
P/P/Aula Ler: Lei Penal no Espaço e Validade da Lei Penal 
 
 
==XXX== 
 
 
RESUMO DE AULA (PROFESSOR - AULA MAIS - ESTÁCIO) 
 
4ª AULA \u2013 VER: 
 
Direito Penal I 
Professora Daniela Duque Estrada 
Aula 04 
 
 
 
 
 
==XXX== 
 
 
Curso Direito Penal I \u2013 Aula-04 
Âmbito de Eficácia da Lei Penal \u2013 Parte II 
 
Curso de Direito 
Turma A \u2013 Manhã - 2012.1 
Direito Penal I 
Prof.: Ricardo Cícero de Carvalho Rodrigues 
Disciplina: 
CCJ0007 
Aula: 
004 
Assunto: 
Lei Penal no Tempo e Ultratividade da Lei 
Folha: 
9 de 9 
Data: 
13/08/2012 
 
MD/Direito/Estácio/Período-02/CCJ0007/Aula-004/WLAJ/DP 
(Paulo Eduardo Sabio) 
 
 
 
 
==XXX==