DIREITO ADMINISTRATIVO III
34 pág.

DIREITO ADMINISTRATIVO III


DisciplinaDireito Administrativo II7.439 materiais35.338 seguidores
Pré-visualização15 páginas
a ocorrência de vaga.
- Quais os REQUISITOS para que o servidor seja obrigado a ACEITAR A READAPTAÇÃO?
1) Que a NOVA FUNÇÃO seja COMPATÍVEL
2) Respeito ao VALOR DO VENCIMENTO (não pode reduzir o vencimento - art. 37, XV, CF)
3) Mesma ESCOLARIDADE
- Se NÃO for possível o cumprimentos dos requisitos acima, o servidor será APOSENTADO POR INVALIDEZ
- Ser aposentado por invalidez não é uma benesse para o servidor porque a aposentadoria, em regra, é proporcional ao tempo de contribuição (a aposentadoria por invalidez só será uma benesse se ocorrer a hipótese prevista no art. 40§1º, I, CF, caso em que a aposentadoria será INTEGRAL).
- Diminuição de atribuições não é readaptação! Para ser readaptação, exige um novo cargo. Ex: Professora com problema de voz é colocada na função de secrétária Isso pode até ser uma prática administrativa mas não é readaptação!
II) REVERSÃO (art. 25, Lei 8112/90)
Art. 25.  Reversão é o retorno à atividade de servidor aposentado: 
        I - por invalidez, quando junta médica oficial declarar insubsistentes os motivos da aposentadoria; ou 
        II - no interesse da administração (...)
INCISO I - SERVIDOR APOSENTADO POR INVALIDEZ
- A AP quer trazer de volta o APOSENTADO POR INVALIDEZ 
- A reversão só ocorre depois que uma junta médica declarar que os motivos que geraram a aposentadoria por invalidez NÃO MAIS EXISTEM.
 Por algum motivo, o servidor ficou são. Quem pode requerer a nova perícia? A AP ou o próprio servidor.
- Atenção!!!
 Só se aplica o inciso I do art. 25 quando OS MOTIVOS DEIXARAM DE EXISTIR
 Se os MOTIVOS NUNCA EXISTIRAM, aplica-se o art. 127, IV, Lei 8112/90 O servidor será CASSADO NA SUA APOSENTADORIA Não é correto afirmar que a AP vai demitir porque demissão é para o servidor vinculado (aquele que está na ativa). Quanto aos efeitos, a CASSAÇÃO DE APOSENTADORIA assemelha-se à DEMISSÃO em razão do caráter punitivo pela má-fé. Nesse caso, o servidor pode até mesmo responder criminalmente.
* OBS. DA PROFª:
	A REVERSÃO é possível quando OS MOTIVOS QUE GERARAM A APOSENTADORIA POR INVALIDEZ DEIXARAM DE EXISTIR - boa-fé (art. 25, I, Lei 8112/90).
	A CASSAÇÃO DA APOSENTADORIA é possível quando OS MOTIVOS PARA A APOSENTADORIA POR INVALIDEZ NUNCA EXISTIRAM, nos termos do art. 127, IV, Lei 8112/90 (assemelha-se à DEMISSÃO quanto ao aspecto punitivo).
INCISO II - SERVIDOR APOSENTADO NO INTERESSE DA ADMINISTRAÇÃO (mérito da Administração)
- O servidor requer a reversão mas a AP analisa a oportunidade e conveniência
- Requisitos para serem preenchidos de forma cumulativa para a AP trazer o servidor de volta (vide alíneas do inciso II do art. 25):
a) O servidor requer a reversão no interesse da AP 
b) A aposentadoria tenha sido voluntária 
- Por que a aposentadoria precisa ser VOLUNTÁRIA?
 Porque se fosse APOSENTADORIA POR INVALIDEZ, aplicaríamos o inciso I
 Porque a APOSENTADORIA COMPULSÓRIA presume uma invalidez por advento da idade
c) Estável quando na atividade
- Na verdade, TODAS AS FORMAS DE REINGRESSO SÃO PARA O ESTÁVEL. 
 Há apenas uma leve discussão sobre a possibilidade de reingresso na INVESTIDURA: alguns levantam que, a partir da investidura, alguns direitos passam a existir para o servidor, dentre eles a readaptação.
 
d) A aposentadoria tenha ocorrido nos cinco anos anteriores à solicitação
- Ex: Servidor já aposentado há 10 anos pede reversão no interesse da AP. Pode? 
 Não, pois não é possível em razão desse requisito de lapso temporal de 5 anos
e) Haja cargo vago 
       
* Obs:
	Em posicionamento isolado, Celso Antonio Bandeira de Mello diz que a reversão é inconstitucional porque se o servidor foi aposentado, já gerou vacância. A AP não pode ficar ao alvedrio do servidor. Tb fala isso para a recondução com vida própria.
III) REINTEGRAÇÃO (art. 28 c/c art. 41 §2º, CF)
Art. 28.  A reintegração é a reinvestidura do servidor estável no cargo anteriormente ocupado, ou no cargo resultante de sua transformação, quando invalidada a sua demissão por decisão administrativa ou judicial, com ressarcimento de todas as vantagens. 
Art. 41. São estáveis após três anos de efetivo exercício os servidores nomeados para cargo de provimento efetivo em virtude de concurso público. 
§ 2º Invalidada por sentença judicial a demissão do servidor estável, será ele reintegrado, e o eventual ocupante da vaga, se estável, reconduzido ao cargo de origem, sem direito a indenização, aproveitado em outro cargo ou posto em disponibilidade com remuneração proporcional ao tempo de serviço. 
   
 Quais as possíveis causas que podem gerar reintegração?
1) VÍCIO DE LEGALIDADE
- Exemplos:
>> O servidor foi demitido por PAD (processo administrativo disciplinar) Servidor interpõe recurso hierárquico Julgado procedente Servidor é reintegrado Nesse caso, a própria AP constatou seu erro ao reexaminar um ato administrativo - princípio da AUTOTUTELA (Súmulas 346 e 473, STF).
>> Servidor foi demitido sem ampla defesa e contraditório Recorre ao Poder J ajuizando ação ordinária visando a anulação do ato demissional O vício de legalidade é constatado por meio de controle externo exercido pelo Judiciário O J anula a demissão (não pode mandar reintegrar, sob pena de ferir o art. 2º, CF)
2) REPERCUSSÃO
- Quando um servidor é demitido após regular PAD e responde também na esfera criminal, ele poderá ou não ser reintegrado, ainda que seja absolvido na esfera criminal Isso porque não é toda sentença absolutória que obriga a reintegração pela AP: 
ATIPICIDADE: Nessa hipótese, o servidor não volta pela reintegração (porque o ato cometido pode configurar infração administrativa) 
AUSÊNCIA DE PROVA PLAUSIVEL PARA CONDENAÇÃO: o servidor não volta pela reintegração
Negativa de autoria e inexistência do fato: O servidor volta pela reintegração (art. 126, Lei 8112/90)
Excludentes de ilicitude (estado de necessidade, legítima defesa, estrito cumprimento do dever legal ou exercício regular de direito): O servidor será reintegrado (arts. 23, 24 e 25, CP) 
Art. 126.  A responsabilidade administrativa do servidor será afastada no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. 
* OBS. DA PROFª: 
REPERCUSSÃO: Quando a esfera administrativa submete-SE à decisão judicial (vício de legalidade - art. 126, Lei 8112/90 e excludentes de ilicitude) EFEITO: REINTEGRAÇÃO
RESÍDUO ADMINISTRATIVO: Quando a esfera administrativa prevalece sobre a esfera judicial (atipicidade e falta de provas)
* Obs:
1) Ver art. 486, III e VI, CPP: falam da sentença absolutória
2) O Judiciário traz tão-somente a sentença absolutória (não pode mandar reintegrar) Cabe ao servidor, por meio de um advogado que o represente, interpor recurso hierárquico.
3) Aquele que será reintegrado, será reintegrado como se nunca tivesse saído Portanto, EFEITOS EX TUNC (recebe as promoções que teria recebido caso estivesse no cargo, etc).
IV) RECONDUÇÃO (art. 29, Lei 8112/90)
Art. 29.  Recondução é o retorno do servidor estável ao cargo anteriormente ocupado e decorrerá de: 
        I - inabilitação em estágio probatório relativo a outro cargo; 
        II - reintegração do anterior ocupante. 
Parágrafo único.  Encontrando-se provido o cargo de origem, o servidor será aproveitado em outro, observado o disposto no art. 30. 
INCISO I - RECONDUÇÃO POR INABILITAÇÃO EM ESTÁGIO PROBATÓRIO (RECONDUÇÃO COM VIDA PRÓPRIA)
- É a recondução que não exige a exoneração do servidor para o cumprimento de outro estágio probatório porque o servidor será licenciado. Se o servidor preferir o novo cargo, pede EXONERAÇÃO; se não gostou, pede RECONDUÇÃO
- AP fica no alvedrio do servidor
- A recondução com vida própria só tem previsão na Lei 8112/90 e na Lei do TJ: O servidor, ao ser aprovado em um novo concurso, não precisa pedir exoneração A AP dá uma licença para o servidor enquanto ele cumpre o estágio probatório Se ele quiser voltar ao cargo de origem, volta pela recondução com vida própria.
- C/C art. 20 §§4º e 5º (esses §§ dizem que quando o servidor pede recondução com vida própria não requer exoneração, requer licença)