A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
191 pág.
MARIA DA GLORIA HAZAN

Pré-visualização | Página 2 de 50

To Heschel, religious conscience happens in the event, specifically, in the 
human encounter with the sacred history, which transcends time, overwhelming the 
line that divides past and present, and is updated by the conscience of the ineffable. 
“Religion and religious conscience both happen where God’s question and man’s 
answer meet each other. In the religious conscience, the ways to faith and of faith 
are both opened. The way to God is God’s way. If God does not make the question, 
all our inquiries are vain”. 
We have tried to point to the use of the category of ineffable, legitimating its 
application to the philosophy of religion as an efficient parameter to thinking 
situationally and philosophically about man and his relationship with the other, with 
the world and with God. Based on this presupposition, we may conclude that the only 
possibility of an ethical relationship is where conscience of alterity can be found. This 
conscience of alterity allows love, namely, being really capable of looking at each 
other in all his/her singularity and needs. 
Key-words: Heschel, religious conscience, ineffable. 
Sumário 
 
Introdução ................................................................................................................11 
Capítulo I – Abraham Joshua Heschel – o homem, o autor e sua obra .............18 
Capítulo II – Os fundamentos e as características da consciência religiosa ....40 
 II.1 - Filosofia e Teologia .......................................................................................41 
 II.2 - Pensamento Situacional versus Pensamento Conceitual ............................49 
 II.3 - Uma reflexão hescheliana: autocompreensão radical – Teologia da 
profundidade ..............................................................................................................51
 II.4 - Filosofia Grega versus Pensamento Judaico: Diferenças e Similitudes .......62 
 II.5 - A Filosofia do Judaísmo ................................................................................69 
Capítulo III – A Presença de Deus diante do Homem – Definições ....................76 
 III.1 - O tempo e a eternidade ...............................................................................78 
 III.2 - Os três caminhos .........................................................................................81 
 III.2.1 – Oração .................................................................................................84 
 III.3 - Dificuldades na atualidade ...........................................................................87 
 III.4 - O Sublime e o Maravilhoso ..........................................................................96 
 III.5 - O prodígio ...................................................................................................103 
 III.6 – O senso de mistério ...................................................................................106 
 III.6.1 – Consciência da ignorância humana ...................................................108 
 III.6.2 - O nome inefável ..................................................................................118 
 III.6.3 - Três atitudes: Fatalista, Positivista e Religiosa ...................................121 
 III.7 - Temor ........................................................................................................122 
 III.8 - Glória .........................................................................................................125 
 III.9 - A adoração da natureza ............................................................................129 
Capítulo IV: Em busca do significado da Presença de Deus – Elementos para a 
construção da Consciência Religiosa ................................................................132 
 IV.1 – Um problema que nos diz respeito ...........................................................134 
 IV.1.1 - Além das definições ............................................................................137 
 IV.1.2 - A dimensão do inefável .......................................................................139 
 IV.1.3 - A religião principia com maravilha e mistério ......................................142 
 IV.2 – Uma pressuposição ontológica .................................................................145 
 IV.2.1 - A religião é a resposta ao mistério ......................................................146 
 IV.2.2 - A preocupação fundamental é um ato de adoração ...........................147 
 IV.2.3 - Acerca do significado de Deus ...........................................................149 
 IV. 3 Momentos de insight ...................................................................................154 
 IV.3.1 - Fé é um evento ...................................................................................158 
 IV.3.2 - Uma luz nas trevas .............................................................................159 
 IV.3.3 - O Pathos divino ..................................................................................161 
 IV. 4 - O homem piedoso ....................................................................................164 
 IV.4.1 - O anonimato interior ...........................................................................167 
 IV.4.2 - A fé, a sabedoria e a piedade .............................................................168 
 IV.4.3 - Reverência, gratidão e responsabilidade ............................................169 
 IV.4.4 - O Sentido do Sacrifício .......................................................................172 
Conclusão ..............................................................................................................176 
Bibliografia .............................................................................................................183 
Anexos ....................................................................................................................188 
 11
Introdução 
Um dos principais motivos desta pesquisa origina-se naturalmente na esfera 
da experiência pessoal. Como psicóloga, entendemos a psicologia como um ramo 
da ciência que estuda as manifestações da alma em seus diferentes âmbitos de 
expressão e que oferece instrumentos para lidar de forma eficaz no que concerne ao 
sofrimento existencial humano relacionado às questões fundamentais. Porém, 
notamos que, muitas vezes, estes instrumentos eram insuficientes para 
compreender profundamente o fenômeno psíquico. Neste sentido, ao nos deparar 
com as limitações impostas por esta área, percebemos a importância da religião 
como fonte de conhecimento sobre a condição humana e, assim, recorremos à 
filosofia da religião no intuito de aprofundar mais este conhecimento. 
Outro aspecto de forte motivação para esta pesquisa é buscar compreender 
como o retorno à religião pode se dar para cada pessoa e tentar esclarecer certos 
aspectos da teshuvá (retorno), mobilizados pela busca de sentido existencial. Neste 
percurso, descobrimos na leitura do pensador judeu Abraham Joshua Heschel 
ressonância para essas questões. 
Em sua obra, Heschel descreve os motivos intrínsecos que levam alguém a 
se tornar um religioso, no sentido estrito do termo e o que ajuda essa reflexão para 
quem busca na religião uma definição para a própria vida, pois se trata de um 
processo gradativo de integração no cotidiano. O compromisso religioso exige 
grandes transformações no estilo de vida, na concepção de mundo, nas relações 
afetivas e na prospecção do futuro. Por este motivo, tanto por parte das pessoas que 
se submetem a essa transformação, quanto de nossa parte ao abordar o tema, é 
mister a atenção às condições emocionais em que se dá o fenômeno.