A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
107 pág.
WL-OO-Apostila-01-Direito Administrativo-05

Pré-visualização | Página 1 de 31

Direito Administrativo
Segundo a doutrina mais especializada, é o conjunto harmônico de princípios jurídicos que regem os órgãos, os agentes e as atividades públicas tendentes a realizar concreta, direta e imediatamente os fins desejados pelo estado. Em outras palavras, é o ramo do Direito Público Interno que estabelece as normas de atuação dos órgãos, agentes e atividades públicas, que buscam atingir o fim do Estado, que é alcançar o bem comum. É, portanto, conjunto de princípios, normas e institutos.
A finalidade do direito administrativo é estabelecer regras, institutos, princípios dos órgãos da atividade pública, visando buscar o bem público.
Trata-se o Direito Administrativo, como um todo, de uma matéria vasta e complexa. 
Porém, para fins de concurso para a carreira de Oficial de Justiça ou Escrevente Técnico Judiciário, a parte necessária revela-se apenas no Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Estado de São Paulo.
Para o estudo dessa matéria, que não é muito extensa, mas há que ser estudada com muita atenção (normalmente há muitas perguntas enganosas em direito administrativo), primeiramente vamos ver o que é um Estatuto.
A palavra estatuto deriva do latim statutum, de statuere (estabelecer, constituir, fundar), sendo que em sentido amplo, entende-se a lei ou regulamento, em que se fixam os princípios institucionais ou orgânicos de uma coletividade ou corporação, pública ou particular.
Em Direito Administrativo, refere-se ao complexo de princípios ou regras que regulam as atividades dos funcionários públicos, assegurando vantagens e direitos sobre o exercício dos respectivos cargos ou funções. É o Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Estado de São Paulo.
Este estatuto é a denominação que se dá à lei especial, decretada com o objetivo de fixar as regras legais, reguladoras da situação do Funcionário Público, nas quais se inserem as condições de provimento dos cargos ou funções públicas, os direitos, deveres, obrigações, penalidades e suas aplicações, vantagens e outras situações inerentes ao cargo ou função pública. 
O Funcionário Público não tem um contrato de trabalho com o Estado, mas apenas um contrato de natureza administrativa. É unilateral porque quem elabora o Estatuto é o próprio Estado (no nosso caso, o Estado de São Paulo). Se fosse o Estatuto dos Funcionários Públicos Civis da União, seria a União que elaboraria o Estatuto, etc. 
Vale a pena lembrar que o Estado tem a finalidade principal de promover o bem comum.
A matéria para concursos de oficial de justiça e para escrevente técnico judiciário no que diz respeito a direito administrativo, se restringe somente ao Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Estado de São Paulo (Lei nº. 10.261, de 28/10/1968), no que diz respeito aos deveres, proibições, responsabilidades, às penalidades, aplicação das penalidades e, mais recentemente, foi incluído o direito de petição.
É importante que no estudo dos artigos do Estatuto tenhamos sempre em mente a literalidade da lei, ou seja, as palavras que estão no texto legal, pois é assim que vai ser questionado no concurso.
Cumpre, por fim, ressaltar que a lei não possui palavras desnecessárias, ou, como outros dizem, ela não possui letra morta. Assim, é fundamental prestar o máximo de atenção aos dizeres da norma legal.
 VOCABULÁRIO INTRODUTÓRIO
Cominação - Palavra derivada do Latim "Cominatio" que significa ação de ameaçar energicamente, em linguagem forense significa "ameaça legal de uma pena" ou de uma prescrição, pelo não cumprimento de uma obrigação contratual ou de uma imposição legal. Traz o mesmo sentido que sanção.
Denegação - Derivado do Latim "Denegatio", de "denegare" (negar com resistência , renegar ) 
Na terminologia forense, é, aplicado para indicar o indeferimento de uma das partes pelo Juiz, ou seja, a recusa em conceder qualquer medida ou ato processual desejado por uma das partes.
Desídia - Derivado do Latim "desidia", de "desidere" (estar ocioso), isto é, tido na terminologia trabalhista, como desleixo, a desatenção, a indolência, com que o empregado executa os serviços que lhe são afetos.
QUESTÕES DE PROVAS DE CONCURSOS JÁ REALIZADOS
FRANCA
1. Por ineficiência nas suas funções, a pena de demissão só será aplicada ao servidor público:
a) não desempenhar com zelo as tarefas atribuídas
b) não cumprir, no prazo, as determinações judiciais
c) ocorrer a impossibilidade de readaptação
d) faltar por mais de 45 dias interpoladamente
2. É dever do funcionário:
a) requerer ou promover a concessão de privilégios
b) residir no local onde exerce o cargo ou onde autorizado
c) promover manifestações e apreço dentro da repartição
d) constituir-se procurador das partes
3. Será aplicada a pena de demissão a bem do serviço público ao funcionário que:
a) for ineficiente no serviço
b) aplicar indevidamente o dinheiro público
c) lesar o patrimônio ou os cofres públicos
d) proceder irregularmente, de forma grave
4. É proibido ao funcionário:
a) deixar de comparecer ao serviço sem justa causa
b) representar, quando receber ordens superiores manifestamente ilegais
c) atender preferencialmente sobre qualquer outro serviço, às requisições feitas pelas autoridades administrativas, para defesa do Estado
d) representar aos seus superiores sobre todas as irregularidades de que tiver conhecimento no exercício de suas funções
Gabarito: 
1 - c
2 - b 
3 - c 
4 - a
OURINHOS
1. A punibilidade da falta sujeita à pena de repreensão prescreve em:
a) um ano
b) dois anos
c) seis meses
d) três anos
e) n.d.a.
2. A pena de suspensão não poderá exceder de:
a) dois anos
b) cento e vinte dias
c) noventa dias
d) cento e oitenta dias
e) n.d.a.
3- Ao Funcionário Público que praticar, em serviço, ofensas físicas contra funcionários ou particulares, salvo se em legítima defesa, será aplicada a pena de:
suspensão
b) repreensão
c) demissão a bem do serviço público
d) n.d.a.
4 - A pena de repreensão será aplicada aos casos de:
a) abandono de cargo
b) procedimento irregular de natureza grave
c) ineficiência no serviço
d) indisciplina ou falta de cumprimento de deveres
e) n.d.a.
5 - A ineficiência no serviço é caso de aplicação de pena:
a) de repreensão
b) de suspensão
c) de demissão
d) de multa
e) n.d.a.
6 - Será aplicada a pena de demissão nos casos de:
a) abandono de cargo
b) procedimento irregular, de natureza grave
c) aplicação indevida de dinheiro público
d) ausência ao serviço, se causa justificável, por mais de quarenta e cinco dias, interpoladamente, durante um ano
e) todas as alternativas estão corretas
7 - Deixando, sem justa causa, de atender à exigência, para cujo cumprimento haja prazo certo, o funcionário, até que a atenda:
a) ficará suspenso
b) sujeitar-se-á ao pagamento de multa diária
c) será reputado ineficiente, sujeitando-se à pena de demissão
d) terá suspenso o pagamento de seu vencimento ou remuneração
e) a nenhuma pena estará sujeito
8 - Não poderão trabalhar sob as ordens imediatas de parentes, funcionários com grau de parentesco.
a) até quarto grau
b) até terceiro grau
c) até segundo grau
d) poderão, pois não há qualquer restrição
e) n.d.a.
Gabarito. 
1. b
2. c
3. c
4. d
5. c
6. e
7. d
8. c
INDAIATUBA
1. Não constitui dever do Funcionário Público:
a) guardar sigilo sobre assuntos da repartição
b) representar aos superiores sobre todas as irregularidades que tiver ciência
c) residir no local onde exerce o cargo, ou onde autorizado
d) n.d.a.
2. Constitui ainda, dever do Funcionário Público :
a) servir de intermediário perante repartição pública para tratar de interesses das partes
b) exercer emprego ou função em empresas, estabelecimentos e instituições que tenha relação com o Governo em matéria que se relacione com a finalidade das repartições ou serviço em que esteja lotado
c) apresentar-se convenientemente trajado em serviço
d) n.d.a.
3. Poderá ser descontado dos vencimentos do funcionário, ou de sua remuneração: