11) Estudos transversais
43 pág.

11) Estudos transversais


DisciplinaEpidemiologia5.010 materiais27.868 seguidores
Pré-visualização2 páginas
determinar quem 
antecedeu o que neste tipo de estudo
RELAÇÃO TEMPORAL?
VANTAGENS
\ufffd Simplicidade, baixo custo
\ufffd Rapidez na coleta de dados
\ufffd Processo amostral fácil, com 
representatividade
\ufffd Objetividade na coleta de dados
\ufffd Não há seguimento
\ufffd Detecção de características da população (e 
em subgrupos)
\ufffd Identificação de casos
LIMITAÇÕES
\ufffd Condições de baixa prevalência
\ufffd Tamanho amostral grande
\ufffd Possibilidade Erros de classificação (doença 
e exposição)
\ufffd Dificuldades operacionais
\ufffd Viés de prevalência
\ufffd Viés de confundimento
\ufffd Relação temporal
\ufffd Qualidade de dados retrospectivo
\ufffd Mede freqüência do fenômeno em 
determinado ponto do tempo
\ufffdNão há espera para observar o 
EFEITO
\ufffdNem informação anterior sobre o 
EFEITO
CONCLUSÕES
\u2022 São estudos exploratórios que permitam 
ao pesquisador planejar novos estudos 
com metodologias apropriadas para 
investigar as hipóteses que expliquem 
inter-relações de fenômenos pouco 
conhecidos
\u2022 Permitem testar a existência de 
associações de freqüência, ou 
estatísticas entre pelo menos dois 
eventos classificados como doença 
(agravo) e exposição (suposta causa), na 
amostra de indivíduos examinados
\ufffd Útil no planejamento de saúde e levantamento 
de questões; mas não estabelece relação 
causal (não esclarece relação de causa e 
efeito entre os eventos), faz apenas um 
exame pontual da relação exposição-doença 
na trajetória temporal.