A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Aula 5 - Imunoglobulinas - 29 09 2020

Pré-visualização | Página 1 de 1

Imunoglobulinas 
(Ig) 
Imunologia Básica 
↪São produzidos pelos linfócitos B. Quase todos os 
linfócitos (menos NK) tem antígenos receptores 
específicos. 
↪Anticorpos fazem parte de um grupo de moléculas 
que reconhecem o Ag. 
 
 
 
 
 
 
 
 
↪As imunoglobulinas reconhecem moléculas 
tridimensionais, enquanto os linfócitos reconhecem 
micropeptídeos ligados ao FHC 
 
 
 
 
 
 
 
↪A Fab é a região variável, e é variável pois a 
sequência de aminoácidos desta região difere entre 
os linfócitos que foram produzidas. Isso significa que 
cada linfócito B irá reconhecer um antígeno 
específico. 
Von Behring & Kitasato, 1890 
(Anticorpos) 
 
 
 
 
 
 
 
↪As moléculas e imunoglobulinas foram descobertas 
quase que acidentalmente por von Behring e Kitasato, 
através de um experimento com coelhos. 
↪Ao imunizar um coelho com a bactéria X, algumas 
semanas depois é possível encontrar no soro do 
coelho algo anti-X. Porém, ele não irá reconhecer a 
bactéria Y ou Z. 
 
 
 
A Otogenia dos Linfócitos B 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
↪Cada linfócito carrega uma imunoglobulina que se liga 
a um antígeno diferente. Após um tempo, é possível 
encontrar no soro um anticorpo que se liga ao 
antígeno 2, que foi produzido pelo clone de células que 
foram produzidas pelos linfócitos 2. Após este 
encontro, os linfócitos que reconhecem aquele 
antígeno específico aumentam em número e se 
diferenciam naquelas células plasmocitárias, que 
secretam grande parte dos anticorpos. 
↪Diferente da imunidade inata, pois no primeiro 
encontro com o antígeno, existem poucas células que 
o reconhecem. Após algumas semanas, o número 
destas células irá aumentar. Portanto, a imunidade se 
adaptou, porque ao estabelecer contato novamente 
com um mesmo antígeno haverá uma resposta muito 
maior e mais potente. 
↪Os níveis de anticorpos específicos no soro 
aumentam a administração do antígeno. 
 
 
 
 
 
 
○Memória imunológica - como se o corpo lembrasse 
a última vez que entrou em contato com o antígeno. 
Dá adaptação do SI ao ambiente. Base da vacinação 
↪Possui uma resposta específica para cada antígeno. 
↪O linfócito B enxerga um mundo tridimensional, e o 
linfócito T enxerga um mundo linear, de pequenas 
sequências de aminoácidos que compõem uma 
proteína maior e se ligam ao MCH 
↪IgM é o primeiro isotipo a ser produzido em 
resposta ao Ag e fica restrito no plasma. 
 
 
 
 
 
 
 
↪Este conjunto chamado de IgM são cinco moléculas 
de anticorpos juntas. Este conjunto é produzido nas 
primeiras duas semanas após o contato com o 
antígeno. Logo em seguida é produzida o IgG, que é o 
anticorpo sozinho. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
↪A parte variável do anticorpo liga ao antígeno. Ela vai 
ser a mesma na molécula de IgM e de IgG e cada 
região variável caracteriza um clone de linfócito B. 
↪O linfócito B foi capaz de trocar a região constante 
da molécula de IgM para fazer outra molécula de IgG, 
conservando a parte variável. 
↪O linfócito B pode mudar a região da molécula 
inteira, sem mudar a região que é variável. 
Estrutura Molecular 
 
 
 
 
 
 
 
↪Estrutura básica em forma de Y com uma região 
variável, que se liga ao antígeno. 
↪A região constante pode ser de vários tipos e pode 
ser trocada pelo linfócito B. O linfócito B pode fazer 
uma molécula com a mesma região variável e região 
constantes diferentes. 
↪Estas moléculas reconhecem antígenos. 
↪Antígenos (Ag) apresentam epítopos ou 
determinantes antigênicos 
↪Cada região da proteína exposta é um epítopo, que 
é uma região que pode ser ligada a uma imunoglobulina. 
 
 
 
 
↪Cada imunoglobulina é específica para cada epítopo 
e cada molécula possui vários epítopos. 
↪Os anticorpos reconhecem determinantes 
antigênicos pela porção Fab. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
↪Anticorpos específicos produzidos por diferentes 
células B. 
 
 
 
 
 
 
 
 
↪Na superfície de uma molécula existem vários 
anticorpos antigênicos, por isso haverá vários 
antígenos interagindo com estas moléculas. 
↪A especificidade de um anticorpo é capaz de 
identificar a diferença entre um epítopo e outro. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
↪A região variável descrimina o antígeno. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
↪O acoplamento da mesma região variável a regiões 
constantes diferentes irá diferenciar as moléculas de 
imunoglobulinas. 
↪IgG, IgD e IgE são sempre monômeros. 
↪IgA é sempre um dímero nas secreções, mas pode 
estar como um monômero no soro. 
↪IgM está sempre como um pentâmero. 
↪A região constante faz com que estas moléculas 
tenham diferentes propriedades biológicas. 
↪Anticorpos poliméricos são unidas pela cadeia J. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Subclasses de IgG 
 
 
 
 
 
Algumas propriedades da porção Fc: 
↪A porção Fc é a porção de cadeia pesada que é 
constante. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
↪Algumas Ig podem atravessar a placenta e passam 
da mãe para o filho. Só o IgG faz isso. A que melhor 
passa é IgG1 e igG2. 
Distribuição dos Isotipos de Igs pelo 
Corpo 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
○IgM - intravascular. Não sai a não ser que haja lesão 
no vaso. 
○IgE - associada a mastócitos, consequentemente, às 
mucosas. Processos alérgicos que atingem 
principalmente as mucosas e a pele. 
↪Quando encontramos com um antígeno pela 
primeira vez, fazemos IgM 
↪No caso de um bebê contaminado, se a criança for 
IgM positiva, significa que ela tem contato com o 
antígeno. Ela é produzida pela criança, o que significa 
que ela está infectada e precisa ser tratada. Se a 
criança for IgM negativo e IgG positivo ela só tem o 
anticorpo, que foi passado pela mae, e não está 
infectada. 
↪A IgG e IgA transferida adotivamente protege o 
Recém-nascido. 
 
 
 
 
 
 
↪Assim que o bebê nasce, a IgG transferida pela mãe 
para feto é perdida, e com a amamentação seus 
níveis de imunoglobulinas sobem. 
○IgA é o principal Ac secretório. 
 
 
 
 
 
↪A IgA está presente nas superfícies mucosas e 
fluídos biológicos como a lágrima, saliva e leite materno. 
 
 
 
 
 
 
 
 
↪O receptor de poli-Ig se associa à cadeia jota e 
entra para as secreções. É transportada de dentro 
para fora, para o lúmen. 
→A IgE interagem com receptores para Fc de IgE 
(Fc3RI) expressos em mastócitos e basófilos. 
 
 
 
 
 
 
↪As células mais ricas em IgE são os mastócitos e os 
basófilos. Ela fica ligada nestas células. 
↪A IgE é uma imunoglobulina importante em reações 
alérgicas e infecções por helmintos. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
↪Quando ela entra em contato com um antígeno 
qualquer, a célula recebe um sinal para degranular, 
liberando histaminas e moléculas vasoativas.