A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
CARD HERPES - DANIELA JUNQUEIRA GOMES TEIXEIRA

Pré-visualização | Página 1 de 1

Daniela Junqueira Gomes Teixeira 
 (herpes vírus) 
HERPES SIMPLES 
DEFINIÇÃO DE HERPES VÍRUS 
Vírus grandes com genoma de DNA de fita dupla envelopados; 
Principal característica: persistência no organisma → caminha pelos axônios neurais + ganha os corpos celulares dos neurônios do gânglio do trigêmio (gânglio de Nasser), onde o seu genoma permanece em estado 
latente incorporado no genoma celular. A qualquer momento, por mecanismos ainda não conhecidos, o vírus pode voltar a se replicar nos neurônios do gânglio e descer pelos nervos periféricos e terminações 
nervosas para novamente atingir a pele e causar lesões. 
Transmissão: contato pessoal, próximo ou íntimo. 
HERPES SIMPLES 1 (HSV - 1) DIAGNÓSTICO 
Predomínio orofacial 
Lesões vesico bolhosas e dolorosas 
GENGIVOESTOMATITE HERPÉTICA (PRIMOINFECÇÃO) 
Comum em crianças 
Período de incubação: 3-10 dias 
Febre alta, dor de garganta, mialgia, adenopatia cervical e aparecimento de lesões vesiculares dolorosas 
múltiplas envolvendo lábios, região perioral e cavidade bucal. 
HERPES OROLABIAL (REATIVAÇÃO HERPÉTICA) 
Comum em adulttos 
Pode ser desencadeada por exposição ao sol, trauma, estresse emocional ou por uma infecção respiratória 
febril. 
Pródromo: dor em queimação ou ardência na região labial ou perilabial ≈ 24h antes do surgimento das 
lesões. 
Vesículas agrupadas, com base eritematosa, acometendo uma pequena área orolabial unilateral 
Não há sinais e sintomas sistêmicos. A 
 dor melhora após as primeiras 24h e as lesões regridem após 5d 
Clínico, caso dúvida Tzanck 
TRATAMENTO 
 
HERPES SIMPLES 2 (HSV - 2) 
Predomínio genital 
Lesões são vesículas com base eritematosa, que evoluem para úlceras e crostas seroemorrágicas 
Episódio único ou recorrência 
Período de incubação: 3-14 dias; Duração dos sinais e sintomas: ≈ 12d para a primoinfecção e 9d para a 
infecção recorrente. 
Homem: lesões ocorrem na glande e prepúcio 
Mulher: lesões nos grandes e pequenos lábios, clitóris e colo uterino. 
Primoinfecção: pode cursar com febre, adenopatia inguinal e queda do estado geral. Disúria e secreção 

uretral no homem e corrimento aquoso na mulher são relatados. 
 
 
Daniela Junqueira Gomes Teixeira 
 (herpes vírus) 
HERPES-ZÓSTER 
Vírus Varicela-Zóster (VZV) causa 2 tipos de doença: (1) varicela; (2) herpes-zóster. 
Varicela: doença febril com exantema vesicular disseminado. 
A varicela é a primoinfecção pelo VZV, enquanto o herpes-zóster é a reativação do vírus. 
VZV: permanece latente nos neurônios ganglionares e qualquer gânglio da medula espinhal e mesmo gânglios dos pares cranianos (trigêmio e geniculado) podem conter o 
vírus. A partir desses gânglios, o vírus desce pelos nervos periféricos ou pares cranianos para novamente acometer a pele, sempre respeitando um determinado dermátomo. 
QUADRO CLÍNICO DIAGNÓSTICO 
Ocorre vários anos depois do episódio de varicela. 
Se manifesta em um dermátomo unilateral. 
Pródromo: dor em queimação na área do dermátomo acometido, por vezes associada à febre. Dias depois 
aparecem as lesões: vesículas agrupadas com base eritematosa, dolorosas; 
Vesículas tornam-se crostas e as lesões tendem a desaparecer em 2-4 semanas, podendo haver infecção 
bacteriana secundária. 
Complicação principal: neuralgia pós herpética: pela persistência (> 30 dias) de dor em queimação e 
disestesia na área afetada após o desaparecimento das lesões. Pode persistir por meses ou anos se não 
tratada e, eventualmente, é bastante limitante. 
 
Clínico ou confirmado pelo método de Tzanck. 
TRATAMENTO 
Tratamento específico: indicado se iniciado até 72h após o início dos sintomas→ reduzir o tempo dos 
sinais e sintomas e o risco de neuralgia pós-herpética. 
Aciclovir VO 800 mg 5x/dia por 7-10 dias; 
Fanciclovir VO 500 mg 3x/dia por 7 dias; 
Valaciclovir VO 1.000 mg 3x/dia por 7 dias. 
Associar corticoide: Prednisona 30 mg 2x/dia até o 7º dia + 15 mg 2x/dia até o 14º dia + 7,5 mg 2x/dia 
até completar 21 dias → prevenção da neuralgia pós-herpética 
A neuralgia pós-herpética é tratada com anticonvulsivantes (carbamazepina 200 mg 2x/dia) e aplicação 
tópica de creme de capsaicina 0,025-0,075%.