A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Anatomia do Sistema Vascular

Pré-visualização | Página 1 de 3

Anatomia do sistema vascular 
• O sistema circulatório contribui para a 
homeostasia de outros sistemas por meio do 
transporte e distribuição de sangue por todo 
o corpo para fornecer oxigênio, nutrientes e 
hormônios e remover escorias metabólicas 
• Artérias – transportam o sangue do coração 
para os outros órgãos 
 • Elásticas (grandes) – tem o maior diâmetro 
entre as artérias, mas suas paredes são 
relativamente finas 
 • Musculares (médio porte) – sua túnica 
média apresenta mais músculo liso e menos 
fibras elásticas 
 • Arteríolas (pequeno porte) – são 
abundantes vasos microscópicos que 
regulam o fluxo sanguíneo para as redes 
capilares dos tecidos do corpo 
• Veias – conduzem o sangue dos tecidos de 
volta para o coração, suas paredes são mais 
finas que as artéria e seu lúmen é maior do 
que o das artérias 
 • Aparecem colabadas (achadas) quando 
são seccionadas 
 • A pressão sanguínea média é mais baixa 
do que nas artérias 
 • Superficiais – em maior proximidade com 
a pele 
 • Profundas – em maior proximidade com os 
músculos 
• Pressão arterial – é a pressão hidrostática 
exercida pelo sangue nas paredes de um 
vaso sanguíneo 
 • É produzida pela contração dos 
ventrículos 
 • A PA é maior alta na aorta e nas grandes 
artérias sistêmicas e diminui ao longo da 
circulação sistêmica à medida que a 
distância do ventrículo esquerdo aumenta 
 • Alcança O mmHg quando o sangue flui 
para o ventrículo direito 
 • É proporcional ao volume total de sangue 
que circula 
 
Aorta e seus ramos 
• É a maior artéria do corpo, com diâmetro 
de 2 a 3 cm 
• 4 divisões – parte ascendente, arco da 
aorta, parte torácica e parte abdominal 
Parte ascendente da aorta 
• Tem cerca de 5 cm de comprimento 
• Emerge do ventrículo esquerdo, posterior ao 
tronco pulmonar e a aurícula direita 
• É dirigida superiormente, discretamente 
anterior e para a direita 
• Termina no nível do ângulo do esterno 
• Em sua origem, apresenta 3 dilatações que 
são os seios da aorta, na qual os seios direito 
e esquerdo dão origem as artérias coronárias 
direita e esquerda 
• As artérias coronárias formam um anel em 
torno do coração, emitindo ramos para o 
miocárdio atrial e ventricular 
• Artéria coronária direita 
 • Ramo interventricular posterior – irriga 
ambos os ventrículos 
 • Ramo marginal – irriga o ventrículo direito 
• Artéria coronária esquerda 
 • Ramo interventricular anterior – irriga 
ambos os ventrículos 
 • Ramo circunflexo – irriga o átrio e o 
ventrículo esquerdos 
Arco da aorta 
• Tem 4 a 5 cm de comprimento e é a 
continuação da parte ascendente da aorta 
• Emerge do pericárdio posterior ao esterno, 
no nível do ângulo do esterno 
• Dirige-se superior e posteriormente para a 
esquerda e então inferiormente 
• Termina no disco intervertebral entre as 
vértebras T IV e T V 
Yarlla Cruz 
• Primeiro ramo – tronco braquiocefálico 
(divide-se na altura da articulação 
esternoclavicular); irriga cabeça, pescoço, 
membros superiores e parede torácica 
 • Origina-se posteriormente ao manúbrio do 
esterno 
 • Artéria subclávia direita – se estende até a 
margem inferior da primeira costela e origina 
várias ramificações na base do pescoço; 
irriga encéfalo, medula espinal, pescoço, 
ombro, músculos da parede torácica e 
músculos escapulares 
 • Artéria carótida comum direita 
• Segundo ramo – artéria carótida comum 
esquerda 
• Terceiro ramo – artéria subclávia esquerda 
 • Distribui sangue para a artéria vertebral e 
vasos do membro superior esquerdo 
 
Parte torácica da aorta 
• Mede cerca de 20 cm e é uma 
continuação do arco aórtico 
• Começa no nível do disco intervertebral 
entre as vértebras T IV a T V 
• A medida que desce, se move para mais 
perto da linha central e atravessa uma 
abertura no diafragma (hiato aórtico), 
entrando no abdome 
• Ao longo de seu curso, emite pequenas 
artérias 
 • Ramos viscerais – irrigação das vísceras 
 • Ramos pericárdicos – 2 a 3 artérias 
emergem de níveis variáveis da parte 
torácica e avançam para o saco pericárdico 
(irrigação) que envolve o coração 
 • Ramos bronquiais – o ramo brônquico 
direito emerge do terço posterior da artéria 
intercostal e os dois ramos esquerdos se 
originam da extremidade superior da aorta 
torácica; irrigam os tecidos da árvore 
brônquica e o tecido pulmonar circulante até 
o nível dos ductos alveolares 
 • Ramos esofágicos – 4 a 5 ramos que 
irrigam todos os tecidos do esôfago 
 • Ramos mediastinais – emergem de 
vários pontos da aorta torácica; irrigam 
tecidos variados no mediastino 
 • Ramos parietais – irrigação das estruturas 
da parede do corpo 
 • Artérias intercostais posteriores – nove 
pares de artérias que emergem da face 
posterolateral da parede torácica da aorta e 
se anastomosam com os ramos anteriores das 
artérias torácicas internas; irrigam pele, 
músculos e costelas da parede torácica 
 • Artérias subcostais – ramos segmentares 
mais inferiores e passam para a parede 
torácica inferiormente a costela XII; irrigam 
pele, músculos e costelas da parede torácica 
 • Artérias frênicas superiores – passam 
sobre a face superior do diafragma; irrigam o 
diafragma e a pleura que recobre o 
diafragma 
Artérias subclávias 
• A subclávia direita se origina no tronco 
braquiocefálico e a subclávia esquerda no 
arco da aorta 
• Terminam na borda lateral da origem 
costela, onde se ramificam 
 • Artéria vertebral – ascende pelo pescoço, 
atravessa o forame transverso das vértebras 
cervicais e entra no crânio através do forame 
magno para alcançar a face inferior do 
encéfalo, onde une-se com a artéria 
Yarlla Cruz 
vertebral esquerda para formar a artéria 
basilar; irriga a parte posterior do encéfalo, do 
cerebelo, da ponte e da orelha interna 
 • Artéria torácica interna/mamária – 
emerge da primeira parte da subclávia e 
desce posteriormente às cartilagens costais 
das 6 costelas superiores, terminando no sexto 
espaço intercostal, se dividindo em 
epigástrica superior, músculo-frênica e 
pericardiofrênica e enviando ramos para os 
espaços intercostais; irrigam a parede 
torácica anterior 
 • Revascularização com ponte de safena 
 • Tronco tireocervical – emite os ramos: 
artéria tireóidea inferior, cervical ascendente, 
cervical transversa e artéria supraescapular 
 • Tronco costocervical – emite os ramos: 
intercostal suprema (irriga o primeiro e o 
segundo espaços intercostais) e cervical 
profunda (músculos do pescoço) 
 • Artéria dorsal da escápula – sua parte 
distal segue profundamente aos músculos 
levantador da escápula e romboides, 
irrigando-os 
Vascularização do membro superior 
Artéria axilar 
• É a continuação da artéria subclávia na 
axila, começando na margem lateral da 
primeira costela e terminando na margem 
inferior do músculo redondo maior 
• É dividida em 3 partes pelo m. peitoral 
menor 
 • Primeira parte – situada entre a margem 
lateral da primeira costela e a margem 
medial do m. peitoral menor 
 • Artéria torácica superior – vaso 
pequeno e variável que irriga o m. subclávio, 
mm. do primeiro e segundo espaços 
intercostais, as alças superiores do m. serrátil 
anterior e os mm. peitorais sobrejacentes 
 • Segunda parte – situa-se posteriormente 
ao m. peitoral menor 
 • Artéria toracoacromial – tronco largo e 
curto que perfura a membrana 
costocoracoide, dividindo-se em quatro 
ramos (acromial, deltóideo, peitoral e 
clavicular) 
 • Artéria torácica lateral – origem variável 
(axilar, toracoacromial, supraescapular ou 
subescapular) e irriga os mm. peitoral, serrátil 
anterior e intercostal, os linfonodos axilares e 
a face lateral da mama 
 • Terceira parte – estende-se da margem 
lateral do m. peitoral menor até a margem 
inferior do m. redondo maior 
 • Artéria subescapular – ramo de maior 
diâmetro; desce ao longo da margem lateral 
do m. subescapular, dividindo-se em artéria

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.