A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Anatomia do Sistema Vascular

Pré-visualização | Página 3 de 3

femoral, adutores e isquiotibiais), fêmur e 
ligamentos em torno da articulação do joelho 
• Termina após o hiato dos adutores 
• As pulsações da artéria femoral são 
palpáveis no trígono femoral 
• Artéria femoral profunda – emerge 5 
centímetros após o ligamento inguinal e 
termina no inicio das artérias perfurantes 
 • Artérias perfurantes (3-4) – se enroscam 
em torno da face posterior do fêmur e suprem 
os mm. dos três compartimentos fasciais (m. 
adutor magno, isquiotibiais e vasto lateral) 
 • Artérias circunflexas femorais – irrigação 
da cabeça e colo do fêmur (artéria medial) e 
dos mm. da face lateral da coxa (artéria 
lateral) 
 
Artéria poplítea 
• É a continuação da artéria femoral 
• Emerge no hiato dos adutores e termina na 
margem inferior do m. poplíteo, onde se 
divide em artérias tibiais anterior e posterior 
• 5 ramos geniculares da artéria poplítea 
suprem a cápsula e os ligamentos da 
articulação do joelho – participação da rede 
articular do joelho 
 • Superior lateral 
 • Superior medial 
 • Média 
 • Inferior lateral 
 • Inferior medial 
• Irrigam o mm. Isquiotibiais, gastrocnêmio, 
sóleo e plantar 
 
Artéria tibial anterior 
• É o menor ramo da artéria poplítea e inicia-
se na margem inferior do m. poplíteo e 
termina na articulação talocrual, onde se 
torna a artéria dorsal do pé 
• Irriga o compartilhamento anterior da perna 
• Passam sobre a membrana interóssea e 
descem ao longo do compartilhamento 
anterior da perna 
• No dorso do pé, as artérias dorsais emitem 
um ramo transverso no primeiro osso 
cuneiforme (artérias arqueadas) que se 
ramificam em artérias metatarsais dorsais – 
irrigação do dorso do pé 
 
Artéria tibial posterior 
• Maior ramo da artéria poplítea 
• Emerge da margem distal do m. poplíteo e 
termina na articulação do tornozelo após o 
maléolo medial da tíbia 
• Irriga o compartilhamento posterior da 
perna e do pé 
• É acompanha por nervo e veias tibiais e 
profundamente ao retináculo dos mm. 
flexores divide-se em artérias plantares medial 
e lateral que formam o arco plantar 
• Ramos – nutrícias da tíbia, maleolar medial, 
calcâneo e arcos plantares 
• Perto da sua origem, origina a artéria fíbular 
Yarlla Cruz 
Artéria fibular 
• Maior é mais importante ramo da artéria 
tibial posterior 
• Emerge da margem distal do m. poplíteo e 
termina no nível do tornozelo 
• Emite ramos musculares para o m. poplíteo 
e para outros mm. dos compartilhamentos 
posterior e lateral da perna 
• Ramos – artéria nutrícia da fíbula, ramo 
perfurante, ramo maleolar lateral, ramo do 
calcâneo 
 
Vascularização da cabeça 
• A vascularização encefálica provém das 
artérias carótida interna e vertebral, cujos 
ramos estão situados no espaço 
subaracnóideo 
• Características das artérias vertebrais 
 • Apresentam paredes finas – maior risco de 
hemorragias 
 • A túnica média tem menos fibras 
musculares 
 • A túnica elástica interna é mais espessa 
 • As artérias que penetram no cérebro são 
envolvidas pelo liquor nos espaços 
perivasculares 
Artérias carótidas internas 
• Originam-se no pescoço a partir das artérias 
carótidas comuns 
• Entra na cavidade do crânio através do 
canal carótico na parte petrosa do osso 
temporal 
• Penetra no crânio e é a principal 
responsável pela irrigação do encéfalo e das 
órbitas 
• No início do sulco lateral, divide-se em 2 
ramos terminais: as artérias cerebrais anterior 
e média 
 • As artérias cerebrais anteriores são unidas 
pela artéria comunicante anterior 
 • Perto de seu término, as artérias carótidas 
internas são unidas as artérias cerebrais 
posteriores pelas artérias comunicantes 
posteriores – círculo arterial do cérebro 
• Artéria oftálmica – emerge quando a 
carótida atravessa a dura-máter; irriga o 
bulbo ocular e as formações anexas 
• Artéria comunicante posterior – se 
anastomosa com a artéria cerebral posterior 
• Artéria corioidea anterior – irriga os plexos 
corioides, parte da cápsula interna, os 
núcleos da base e o diencéfalo 
 
Artérias vertebrais 
• Originam-se na raiz do pescoço como os 
primeiros ramos das artérias subclávias 
• Partes transversárias – ascendem através 
dos forames transversários das seis primeiras 
vértebras cervicais 
Yarlla Cruz 
• Partes atlânticas – perfuram a dura-máter e 
a aracnóide e atravessam o forame magno 
• As partes intracranianas das artérias 
vertebrais se unem no sulco bulbo-pontino 
para formar a artéria basilar que termina 
dividindo-se em 2 artérias cerebrais 
posteriores 
• Emitem 2 artérias espinhais posteriores e a 
artéria espinhal anterior – vascularização da 
medula 
• Artéria cerebelar superior – distribui-se ao 
mesencéfalo e a parte superior do cerebelo 
• Artéria cerebelar inferior anterior – distribui-
se a parte inferior da face inferior do cerebelo 
• Artéria do labirinto – irriga estruturas do 
ouvido interno 
• Ramos pontinos 
 
Artérias cerebrais 
• Enviam ramos para as partes mais profundas 
do encéfalo 
• Artéria cerebral anterior – irrigam a maior 
parte das faces medial, superior do encéfalo 
e o polo frontal; ramo da carótida interna 
• Artéria cerebral média – irrigam a face 
lateral e o polo temporal do encéfalo ; ramo 
da carótida interna 
• Artéria cerebral posterior – irrigam a face 
inferior do encéfalo e o polo occipital; ramo 
terminal da artéria basilar 
 • Emite a artéria comunicante posterior 
• Ramos corticais – vascularização do córtex 
e da substância branca 
• Ramos centrais – vascularização do 
diencéfalo, os núcleos da base e a cápsula 
interna 
 
Círculo arterial do cérebro/Polígono de Wills 
• É um arranjo quase pentagonal de vasos na 
face anterior do encéfalo 
• É uma anastomose importante na base do 
encéfalo entre quatro artérias (2 vertebrais e 
2 carótidas internas) 
• Componentes – artéria comunicante 
anterior, artérias cerebrais anteriores, artérias 
carótidas internas, artérias comunicantes 
posteriores e artérias cerebrais posteriores 
 
 
Artéria carótida externa 
• Se origina da artéria carótida comum no 
bulbo carotídeo e termina quando se bifurca 
em maxilar e temporal superficial 
• É responsável pela vascularização das 
estruturas externas da cabeça e da face 
 • Mm da mastigação, glândula tireoide, 
orelha média, couro cabeludo, palato, 
glândulas submandibulares 
• Artéria tireóidea superior 
• Artéria faríngeo ascendente 
• Artéria lingual 
• Artéria facial 
• Artéria occipital 
• Artéria auricular posterior 
• Artéria maxilar 
• Artéria temporal superficial 
 
 
 
 
 
 
Yarlla Cruz

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.