Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
24 pág.
MODULO 3

Pré-visualização | Página 1 de 4

Inserir Título Aqui 
Inserir Título Aqui
Higiene do Trabalho: 
Riscos Químicos
Avaliação Quantitativa de Riscos Químicos
Responsável pelo Conteúdo:
Prof.ª Me. Fernanda Anraki Vieira
Revisão Textual:
Prof. Esp. Claudio Pereira do Nascimento
Nesta unidade, trabalharemos os seguintes tópicos:
• Metodologia de Avaliação;
• Reconhecimento ou Caracterização Básica;
• Avaliação Qualitativa e Priorizações;
• Estratégia de Avaliação Quantitativa;
• Metodologia Analítica;
• Interpretação de Resultados e Análise Estatística;
• Periodicidade dos Monitoramentos –Reavaliações.
Fonte: Getty Im
ages
Objetivo
• Capacitar a realização da avaliação quantitativa de agentes químicos.
Caro Aluno(a)!
Normalmente, com a correria do dia a dia, não nos organizamos e deixamos para o úl-
timo momento o acesso ao estudo, o que implicará o não aprofundamento no material 
trabalhado ou, ainda, a perda dos prazos para o lançamento das atividades solicitadas.
Assim, organize seus estudos de maneira que entrem na sua rotina. Por exemplo, você 
poderá escolher um dia ao longo da semana ou um determinado horário todos ou alguns 
dias e determinar como o seu “momento do estudo”.
No material de cada Unidade, há videoaulas e leituras indicadas, assim como sugestões 
de materiais complementares, elementos didáticos que ampliarão sua interpretação e 
auxiliarão o pleno entendimento dos temas abordados.
Após o contato com o conteúdo proposto, participe dos debates mediados em fóruns de 
discussão, pois estes ajudarão a verificar o quanto você absorveu do conteúdo, além de 
propiciar o contato com seus colegas e tutores, o que se apresenta como rico espaço de 
troca de ideias e aprendizagem.
Bons Estudos!
Avaliação Quantitativa de Riscos Químicos
UNIDADE 
Avaliação Quantitativa de Riscos Químicos
Contextualização
Como você já sabe, a Norma Regulamentadora 15 (NR-15), que trata das atividades e 
operações insalubres, em seus anexos 11, 12 e 13, relaciona os agentes químicos e ati-
vidades e operações envolvendo agentes químicos que podem ocasionar danos à saúde 
dos trabalhadores. Os anexos 11 e 12 são de caráter quantitativo, enquanto o anexo 13 
é qualitativo (BRASIL, 2014).
Para atender aos requisitos de avaliação quantitativa dos agentes relacionados nos 
Anexos 11 e 12 e outros agentes químicos não especificados nas normas nacionais, é 
necessário ter domínio sobre as estratégias de coleta e análise de agentes químicos.
Uma avaliação de agentes químicos bem realizada e registrada adequadamente serve 
como base para a elaboração de diversos documentos de segurança, inclusive, para 
apresentação aos órgãos fiscalizadores e outros aos quais interessar.
De modo contrário, uma avaliação de agentes químicos mal feita pode acarretar di-
versos prejuízos às partes interessadas, resultando em doenças e acidentes envolvendo 
os trabalhadores, comprometimento da imagem e credibilidade da empresa e do profis-
sional responsável pela avaliação, entre outras possibilidades.
Todas as etapas que compõem as estratégias de amostragem e análises são determi-
nantes para que o resultado obtido seja confiável e possa guiar o profissional de seguran-
ça na tomada de medidas de controle mais adequadas ao caso em questão.
6
7
Metodologia de Avaliação
A avaliação quantitativa de riscos químicos contempla o conjunto de ações necessá-
rias para a caracterização de um ambiente de trabalho ou da exposição ocupacional a 
determinado agente químico.
Segundo a Norma Regulamentadora 09 (NR-09), que trata do Programa de Preven-
ção de Riscos Ambientais (PPRA):
A avaliação quantitativa deverá ser realizada sempre que necessária para:
a) comprovar o controle da exposição ou a inexistência de riscos iden-
tificados na etapa de reconhecimento;
b) dimensionar a exposição dos trabalhadores;
c) subsidiar o equacionamento das medidas de controle. (BRASIL, 2014)
São etapas da avaliação quantitativa:
• Reconhecimento ou caracterização básica:
 » Referentes ao processo produtivo e ao local;
 » Referentes aos trabalhadores e aos processos de trabalho;
 » Referentes a avaliações anteriores;
• Avaliação qualitativa e priorizações;
• Estratégia de avaliação quantitativa;
 » Amostra ou coleta pessoal;
 » Amostra ou coleta estacionária;
 » Amostras por duração;
 » Critérios NIOSH e AIHA para grupos de trabalhadores;
 » Avaliação inicial;
 » Distribuição de amostras no tempo;
• Metodologia analítica;
• Interpretação de resultados e análise estatística;
• Periodicidade dos monitoramentos – reavaliações (BRASIL, 2018).
As etapas da avaliação quantitativa devem ser minuciosamente executadas e devida-
mente registradas para que tenha validade legal e possa retratar efetivamente as condi-
ções avaliadas.
7
UNIDADE 
Avaliação Quantitativa de Riscos Químicos
Reconhecimento ou Caracterização Básica
A etapa de reconhecimento ou caracterização básica consiste no levantamento ini-
cial de dados relativos ao que se deseja avaliar. Contempla a visita ao local de trabalho, 
observação dos processos e atividades envolvidas e a participação dos trabalhadores 
(BRASIL, 2018).
Referentes ao local e ao processo produtivo
Com relação ao local avaliado, deve-se buscar:
• Descrição física do local (ambiente aberto, fechado, área, pé direito, ventilação na-
tural ou artificial, existência de equipamentos de proteção coletiva etc.);
• Dados climáticos (temperatura ambiente, umidade relativa do ar, direção e veloci-
dade dos ventos etc.);
• Se existe interferência de áreas vizinhas (BRASIL, 2018).
Com relação ao processo produtivo, deve-se buscar:
• Descrição do processo produtivo;
• Relação dos equipamentos que processam agentes químicos e sua localização 
no processo;
• Relação das possíveis fontes de emissão e geração de agentes químicos;
• Informações relativas aos agentes químicos (propriedades físico-químicas, parâ-
metros relativos à segurança, parâmetros de saúde e higiene ocupacional etc.), 
geralmente obtidas através das Fichas de Informações de Segurança de Produtos 
Químicos – FISPQ;
• Quantidade de agentes químicos processados (matérias-primas, insumos, produtos etc.).
• Parâmetros de operação (temperatura, pressão etc.) (BRASIL, 2018).
Referentes aos trabalhadores e aos processos de trabalho
Com relação aos trabalhadores, deve-se buscar:
• Duração da jornada e regime de trabalho;
• Descrição das funções, procedimentos e atividades que envolvam trabalhadores, 
com respectivos locais, frequências e tempos de execução;
• Levantamento do número de trabalhadores expostos, possíveis grupos homogêne-
os de exposição e trabalhadores com maior risco de exposição, se houver;
• Identificação das zonas de trabalho, posição ou distâncias dos trabalhadores em 
relação às fontes dos agentes químicos;
8
9
• Dados indicativos de possíveis danos à saúde originados pela exposição a agentes 
químicos (BRASIL, 2018).
Referentes a avaliações anteriores
Deve-se reunir os resultados de medições já realizadas, sejam elas amostras pessoais, 
estacionárias, nas fontes de emissão, situações de emergência ou o que houver de inte-
resse para a análise (BRASIL, 2018).
Avaliação Qualitativa e Priorizações
A avaliação qualitativa precede a quantitativa e busca constituir e priorizar a seleção das 
medidas de controle para as situações identificadas como de risco para a saúde, em espe-
cial as de risco grave e iminente. Ainda, serve para auxiliar na determinação dos agentes 
químicos e situações que serão submetidos à avaliação quantitativa (BRASIL, 2018).
Estratégia de Avaliação Quantitativa
A estratégia de avaliação quantitativa é o planejamento das amostragens e das medições. 
Nela se definem os métodos de coleta e medições, a duração da amostragem e medição, 
o número mínimo de medições, a escolha dos períodos e momentos para a realização das 
coletas e das medições e a realização do diagnóstico inicial (BRASIL, 2018).
A estratégia a ser adotada deve considerar:
• A capacidade de coleta do dispositivo coletor (volume máximo
Página1234