Buscar

Apostila Anatomia Dental

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 20 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 20 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 9, do total de 20 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

UNIVERS IDADE ESTADUAL DE MARINGÁ
AV . COLOMBO , 5790 - JD . UNIVERS ITÁR IO
CEP 87020 -900 - MARINGÁ - PR - BR
 
GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA
ISADORA COLOMBAR I SARDANHA
 
Anatomia
MAR I NGÁ - P R
2 0 2 1 . 2
Dental
3427/01 FUNDAMENTOS PRÉ-CLÍNICOS II - Anatomia Dental 
Carina Gisele Costa Bispo 
 
 
 
NOMENCLATURA 
 
✓ Cavidade bucal 
✓ Palato duro e Palato mole 
✓ Lábios 
 
✓ Gengiva 
✓ Dentes 
✓ Língua 
 
Lados: esquerdo/direito 
Arcadas: superior/inferior 
Quadrantes: - Dentição permanente (1°; 2°; 3°; 4° quadrantes) 
 - Dentição decídua (5°; 6°; 7°; 8 quadrantes) 
 
CLASSIFICAÇÃO 
 
Dentição decídua 
✓ 20 dentes 
✓ Temporária 
✓ Primeira dentição (dentes de leite) 
 
Dentição permanente 
✓ 32 dentes 
✓ Definitiva 
✓ Segunda dentição 
 
GRUPOS DENTAIS- PERMANENTES 
Incisivos- central e lateral 
Caninos 
Pré-molares- 1° pré-molar e 2° pré-molar 
Molares- 1° molar, 2° molar e 3° molar 
 
Representação por algarismos- permanentes 
Primeiro indica-se o número do quadrante 
(1,2,3 ou 4) e após o número do dente (1 à 8) 
Ex: Canino inferior esquerdo- dente 43 
 
Dentes anteriores → Incisivos e caninos 
Dentes posteriores → Pré-molares e molares 
DENTAIS- DECÍDUOS 
Incisivos- central e lateral 
Caninos 
Molares- 1° molar e 2° molar 
 
Representação por algarismos- decíduos 
Primeiro indica-se o número do quadrante 
(5,6,7 ou 8) e após o número do dente (1 à 5) 
Ex: Primeiro molar superior direito- dente 54 
 
 
Dentes anteriores → incisivos e caninos 
Dentes posteriores → molares
 
 
Exercícios de nomenclatura da numeração dentária: 
12- incisivo laterak superior direito permanente 
AULA 01- INTRODUÇÃO À ANATOMIA DENTAL 
 
https://classroom.google.com/c/Mzc2NzMyMjM5NjA5
23- canino superior esquerdo permanente 
35- 2° pré-molar inferior esquerdo permanente 
47- 2° molar inferior direito permanente 
54- 1° molar superior direito decíduo 
62- incisivo lateral superior esquerdo decíduo 
85- 2° molar inferior direito decícuo 
71- incisivo central inferior esquerdo decíduo 
25- 2° pré-molar superior esquerdo permanente 
76- NÃO EXISTE! (decíduos só vão de 1 a 5)
 
 
 
 
 
OSSOS DA FACE 
Arcada superior- localizada no osso maxila 
 
Arcada inferior- localizada no osso mandíbula 
 
 
 
 
DIVISÃO DO ELEMENTO DENTAL 
 
 
✓ COROA- porção superior do dente, 
seu formato determina a função do 
dente. É uma camada dura com função 
de revestimento recoberto por esmalte, 
que protege o dente e pode apresentar 
duas ou mais protuberâncias. 
 
✓ RAÍZ- A raiz do dente é composta 
pela polpa sensorial e a dentina, que são 
cobertas por uma substância chamada 
cemento. Está presa no osso alveolar a 
partir do ligamento periodontal. 
 
 
 
✓ ESMALTE- a camada mais externa da superfície do dente. É o tecido mais duro e mineralizado de todo 
corpo humano, mas pode ser danificado se os dentes não forem higienizados adequadamente. 
✓ DENTINA- camada dentária situada abaixo do esmalte. Se a cárie conseguir atravessar o esmalte, ela 
passa a atacar a dentina, onde há milhões de pequenos túbulos que vão diretamente à polpa do dente. 
✓ SULCO GENGIVAL- fenda ou espaço em torno do dente, limitado de um lado pela superfície dentária 
e do outro pelo epitélio que reveste a margem livre da gengiva. 
✓ GENGIVA- tecido epitelial, ricamente vascularizado, que reveste o osso e serve de sustentação dos 
dentes (alveolar). 
✓ POLPA- tecido mole situado no centro do dente, onde se encontram o nervo e os vasos sanguíneos. 
Quando a cárie atingir essa área, as pessoas geralmente sentem dor. 
✓ LIGAMENTO PERIODONTAL- tecido conjuntivo frouxo interposto entre os dois constituintes 
mineralizados do periodonto de sustentação (cemento e osso alveolar), estabelecendo, desta 
maneira, a articulação entre o dente e seu respectivo alvéolo (Gonfose). 
✓ CEMENTO- camada delgada, de coloração amarela, acelular e avascularizada que cobre a raiz do 
dente. A função do cemento é proteger a raiz e unir a mesma ao osso, através da inserção que se dá 
neste cemento de várias microfibras de tecido que são chamadas de ligamento periodontal. 
✓ FORAME APICAL- Essa abertura essencial fica na ponta da raiz do dente e permite que os nervos e 
vasos sanguíneos formem e nutram a polpa dentária macia. 
 
 
 
AULA 02- NOMENCLATURA E CLASSIFICAÇÃO 
ÓRGÃO DENTAL 
Dente: esmalte; dentina e polpa. 
Periodonto de inserção: cemento; ligamento periodontal e processo/osso alveolar. 
Periodonto de proteção: gengiva 
 
 
FACES DA COROA DENTAL 
 
 
 
 
 
✓ “V”- FACE VESTIBULAR → voltada para os lábios ou bochecha- o vestíbulo. Conhecida como “face 
livre” 
 
✓ “L” OU “P”- FACE LINGUAL → voltada para o palato (dentes superiores- palatina/P) ou para a língua. 
Conhecida como “face livre” 
 
✓ “M”- FACE MESIAL → lado mais próximo do plano sagital mediano, no ponto que ele corta o arco 
dental. Face de contato/proximal 
 
✓ “D”- FACE DISTAL → face que está mais distante do plano mediano. É uma face de contato/proximal 
 
✓ “I”- FACE INCISAL (ANTERIORES)- superfície da coroa que entra em contato com a coroa da arcada 
antagonista durante a oclusão. INCISIVOS E CANINOS 
 
✓ “O”- FACE OCLUSAL (POSTERIORES)- superfície da coroa que entra em contato com a coroa da arcada 
antagonista durante a oclusão. PRÉ-MOLARES E MOLARES 
 
Faces livres: vestibular; lingual/palatina. 
Faces proximais: mesial; distal. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
INCISIVOS 
✓ Situados mais próximos da linha mediana 
✓ Função de cortar os alimentos (incidere) 
✓ Estética, suporte para os lábios e fonética 
✓ Superiores são mais volumosos/ maiores que os inferiores 
✓ Coroa geometricamente comparada a um trapézio com a base 
maior voltada para incisal e a base menos para a cervical 
✓ Unirradiculares (possuem apenas uma raíz) 
 
Em termos de dimensão da coroa: 
Superiores: incisivo central (IC) é MAIOR que o incisivo lateral (IL) 
Inferiores: incisivo central (IC) é MENOR que o incisivo lateral (IL) 
 
Classificação 
ICS- incisivo central superior 
ILS- incisivo lateral superior 
ICI- incisivo central inferior 
ILI- incisivo lateral inferior 
 
 
 CANINOS 
✓ Função de rasgar os alimentos (canis) 
✓ Forma de lança- pentágono 
✓ Face vestibular bastante convexa (arredondada) 
✓ Raíz muito longa 
 
 
PRÉ-MOLARES 
✓ Apenas na dentição permanente 
✓ Trituram os alimentos 
✓ Dentes bicuspidados 
✓ Dentes de transição entre caninos e molares 
✓ Sucedem o local dos molares decíduos, após a perda 
✓ A coroa tem a forma de dois caninos fusionados 
 
AULA 03- GRUPOS DENTÁRIOS 
Figura 2- Dentes superiores e inferiores permanentes do 
lado direito: superfícies labial e bucal 
Figura 1- Dentes superiores e inferiores decíduos do 
lado direito: superfícies labial e bucal. 
Pré-molares superiores 
− 2 cúspides: 1 na face vestibular e 1 na face palatina 
− 1° pré-molar é MAIOR que o 2° pré-molar 
− Face vestibular menor que a do canino 
 
Como diferenciá-los: 
1° PM com 2 raízes, 2° PM com 1 raíz 
2° PM: cúspide P menor que a V, já no 1°PM as cúspides são semelhentes 
 
Pré-molares inferiores 
− 1° PM menor que o 2° PM 
− 1° PM com duas cúspides 
− 2° PM com três cúspides 
 
 
MOLARES 
✓ Moem os alimentos 
✓ Dentes mais volumosos do arco 
✓ 1° M > 2° M > 3°M 
✓ Face vestibular em forma de trapézio, com a base menor voltada 
para gengiva 
 
 
 
Molares superiores 
− 4 cúspides, 3 raízes 
− 1° MS: possui ponte de esmalte unindo as 
cúspides e tubérculo de Carabelli 
 
Molares inferiores 
− 2 raízes 
− 1° MI tem 5 cúspides 
− 2° MI tem 4 cúspides 
 
 
 
 
 
ANATOMIA DAS FACES 
As faces são divididas em terços: com o propósito de descrição de uma 
porção específica do dente ou para localizar nele alguns detalhes 
anatômicos, o dente pode ser dividido em terços por linhas imaginárias nos 
sentidos horizontal e vertical. 
 
TERÇOS DA COROA
Terços-Linhas verticais 
Terço mesial 
Terço médio 
Terço distal 
 
Terços- Linhas horizontais 
Terço cervical 
Terço médio 
Terço oclusal ou incisal 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
TERÇOS DAS RAÍZES 
Superior- 1/3 cervical Médio- 1/3 médio Inferior- 1/3 apical 
 
 
FORMAS DOS DENTES 
✓ Faces vestibulares: convexas no sentido dos 
terços cervical-incisal e mésio-distal 
✓ Faces linguais anteriores: côncavas 
 
 
 
 
ACIDENTES ANATÔMICOS 
 
 
BORDA OU ARESTA: linhas que 
delimitam uma face da coroa. 
Encontro de duas faces, formando 
um ângulo diedro arredondado. 
 
AULA 04- ACIDENTES ANATÔMICOS 
*Essa classificação serve tanto para 
faces livres como para faces proximais 
 
ÂNGULOS: é a região onde ocorre o encontro 
de três faces da coroa, em um ângulo triedro. 
 
BORDA INCISAL: retilínea ou ondulada. Nos 
dentes recém-irrompidos observam-se três 
dentículos (Flor de Lis) que desaparecem com a 
mastigação ao longo do tempo. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
SULCOS DE DESENVOLVIMENTO: Presença de 
dois sulcos cérvico-incisais consequentes da 
fusão dos três lóbulos de desenvolvimento. 
Ocorre dos IC até 2°PM. 
 
LINHA CERVICAL: linha que divide a coroa 
anatômica da raíz. Corresponde ao término do 
esmalte, e apresenta-se insunuosa, ao redor de 
toda a coroa. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CÍNGULO: saliência arredondada no terço cervical da 
face lingual de incisivos e caninos 
FOSSA LINGUAL: área côncava e pouco profunda da 
face L/P de dentes anteriores. 
 
 
 
CRISTAS MARGINAIS (OU REBORDOS): 
Eminência de esmalte situadas nas boras 
mesial e distal da face lingual de incisivos 
e caninos, e nas fazes oclusais de pré-
molares e molares. 
 
 
 
CÚSPIDE: saliência em forma de pirâmide quadrangular, presente nas faces oclusais dos 
dentes posteriores. 
 
 
 
 
 
 
 
SULCO PRINCIPAL/ CENTRAL: depressão que 
separa cúspides umas das outras. Encontro de 
duas vertentes. 
SULCOS SECUNDÁRIOS: sulcos localizados nas 
vertentes das cúspides. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
FOSSA OCLUSAL OU FÓSSULA: concavidade situada na 
face oclusal, delimitada por arestas e/ou cristas. Pode 
ser central, mesial ou distal. 
 
 
 
 
PONTE DE ESMALTE: Eminência linear que une duas cúspides, interrompendo o sulco 
principal. É característico do 1° PMI e 1°MS. 
 
 
ESMALTE 
✓ Tecido mineralizado que reveste a coroa dental 
✓ Acelular, muito resistente e sem vitalidade 
✓ Cristais de hidroxiapatita em forma de prismas de esmalte 
 
DENTINA 
✓ Tecido mineralizado com grande quantidade de canalículos ou túbulos dentinários preenchidos 
por prolongamentos celulares da polpa 
✓ Causa estímulos na polpa 
 
POLPA DENTÁRIA 
✓ Único tecido mole do dente, está protegida no interior das estruturas calcificadas numa 
cavidade denominada cavidade pulpar 
✓ Limitada pela dentina coronária e pela dentina radicular, reproduzindo a morfologia externa do 
dente 
 
 
 
CAMARA PULPAR 
✓ Parte da cavidade pulpar que está localizada na coroa 
✓ Apresenta-se volumosa, acompanha a forma externa da coroa 
✓ Os limites da câmara pulpar recebem as seguintes denominações: 
Teto; Corno pulpar; Assoalho e Paredes. 
 
a. Teto 
− Parte que está voltada para a face oclusal ou borda incisal. 
− Forma côncava, com prolongamentos dirigidos para as pontas de cúspides ou ângulo 
incisal, denominados cornos pulpares. 
 
b. Assoalho ou Soalho 
− Posicionado no nível da linha cervical, forma convexa voltada para oclusal. 
− Limita a câmara e o conduto radicular. 
− Inexistente nos unirradiculares. 
 
 
AULA 05- ANATOMIA INTERNA DOS DENTES 
c. Corno pulpar 
 
d. Paredes 
− Circundam a câmara pulpar. 
− Recebem o nome das faces para as quais estão voltadas. 
− V, L, M e D. 
 
 
e. Canal/conduto radicular 
− O início confunde-se com o término da câmara pulpar nos dentes unirradiculares (no nível 
do colo anatômico do dente). 
− Nos dentes com mais de um canal começa no soalho da câmara pular. 
− Geralmente apresenta o mesmo trajeto da raiz a que pertence, pode ser, portanto, reto, 
curvo e sinuoso. 
 
Variações dos canais radiculares: 
i. Canal principal- é o de maior calibre, 
percorre a raíz em toda a extensão, 
terminando no ápice/forame apical. 
 
ii. Canal bifurcado- acompanha o 
trajeto do principal, mas com menos 
calibre, podendo ou não terminar no 
mesmo forame apical. 
 
iii. Canal fusionado ou recorrente- parte 
do conduto principal, percorre a 
dentina e volta ao principal. 
 
iv. Canal lateral ou adventício- sai do 
conduto principal e termina no 
periodonto lateral, localizado no terço cervical e médio 
 
v. Canal secundário- sai do conduto principal e termina no periodonto lateral, no terço 
apical 
 
vi. Delta apical*- O confuto principal termina no ápice por diversos forames 
 
Forame apical: 
O forame apical corresponde à abertura final do canal radicular. No terço apical o canal 
costuma mudar de direção, mesmo em raízes retilíneas, apresentando o forame localizado 
para-apicalmente. 
Variações do forame apical- forame único ou delta apical* 
 
 
VASCULARIZAÇÃO DAS RAÍZES 
Presença de feixe vásculo-nervoso que penetra as raízes a partir do forame apical. O feixe é “alimentado” 
pelos vasos sanguíneos do crânio. 
Como essa irrigação vem de “trás” para “frente”, as raízes dos dentes tendem a se curvar para distal. 
 
 
 
 
 
 
ANATOMIA INTERNA DOS DENTES POR CLASSE DENTÁRIA 
 
INCISIVOS SUPERIORES 
✓ São dentes unirradiculares com canais cônicos e retos. 
✓ ICS: curvatura de suas raízes para a vestibular. 
✓ ILS: Curvatua das raízes para distal, na maioria dos casos. 
 
 
 
 CANINOS SUPERIORES 
✓ São dentes unirradiculares, com canais cônicos e raíz muito longa 
✓ Caninos: retos, mas podem apresentar curvaturas na raíz 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1° PRÉ-MOLAR SUPERIOR 
✓ 72%: birradiculares: 1 raíz vestibular e 1 lingual 
✓ Normalmente 2 canais (23%): um vestibular e outro lingual, que podem terminar em um único 
forame ou em dois forames distintos. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Figura 2- ICS, incisivo central superior Figura 1- ILS, incisivo lateral superior 
2° PRÉ-MOLAR SUPERIOR 
✓ Apresentam-se com uma única raíz- 90% 
✓ 1 canal (54%) ou 2 canais (46%) 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1° MOLAR SUPERIOR 
✓ Trirradicular: uma raíz palatina e duas vestibulares (M-V e D-V) 
✓ 3 ou 4 condutos radiculares (sendo dois canais na raíz MV) 
✓ Raíz palatina é a mais volumosa e pode ter curvatura para a vestibular 
✓ Raíz MV geralmente é curva 
 
 
 
 
2° MOLAR SUPERIOR 
✓ Birradicular ou Trirradicular 
✓ Na presença de três raízes, a raiz MV pode apresentar também dois 
canais 
✓ Canais mais retos e menos divergentes em relação ao 1° MS 
 
 
 
 
 
INCISIVOS INFERIORES 
✓ Unirradiculares 
✓ IL: pode ter dois canais em sua raíz, um vestibular e o outro lingual. Único forame apical 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CANINOS INFERIORES 
✓ Unirradiculares na sua maioria 
✓ Achatamento MD da raíz 
✓ O canal é mais largo no sentido VL do que no sentido MD 
 
 
 
PRÉ-MOLARES INFERIORES 
✓ Uni ou birradiculares 
✓ Podem apresentar variações a anatomia dos canais radiculares 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
MOLARES INFERIORES 
✓ Birradiculares 
✓ 2 canais na raíz M e 1 canal na raíz D 
✓ Os canais M são encurvados para distal 
✓ O canal distal é mais largo e reto 
 
 
 
 
 
Dentição Decídua (20 dentes): 
Incisivos- central e lateral 
Caninos 
Molares- 1° e 2° molar 
 
✓ Copiam a forma geral dos dentes permanentes, principalmente incisivos e caninos. 
✓ Arcada de forma circular, pois são só apenas 5 dentes em cada quadrante. 
 
COROAS 
Mais largas e mais baixas que os permanentes. Mais volumosas na região cervical. 
 
RAÍZES 
Mais delgadas e mais claras que os permanentes. Mais compridas e finas. Nos molares 
são mais afastadas umas dasoutras, visto que há elemento dentário em formação 
embaixo, o dente permanente. 
 
CAVIDADE PULPAR 
Câmara pulpar volumosa. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Figura 1- GERMES DOS DENTES PERMANENTES 
 
 
AULA 06- ANATOMIA DOS DENTES DECÍDUOS 
RIZÓLISE 
✓ A raíz dos dentes está programada para sofrer processo de reabsorção. 
✓ Podendo ser de dois tipos: fisiológica e patológica. A especialista explica que a reabsorção 
dentária é fundamental no processo de rizólise (reabsorção radicular fisiológica) dos dentes 
decíduos. 
 
DENTIÇÃO MISTA 
A dentição mista começa, geralmente, aos seis anos de idade. Nessa época, os dentes de leite começam 
a cair, e os permanentes começam a nascer. A criança passa, então, a ter os dois tipos de dente na 
boca. O período da dentição mista acontece até os 12 anos, quando os dentes de leite terminam de cair. 
É normal que ocorra uma falta de espaço para que os incisivos permanentes apareçam bem alinhados 
na boca. Em alguns casos, é necessário o uso de aparelhos ortodônticos para correção. Em outros, os 
dentes se alinham espontaneamente com o passar do tempo. 
 
Nessa idade, mesmo durante a dentição mista, as crianças já podem usar aparelho móvel ou fixo. Por 
isso, fazer uma avaliação com o dentista é crucial para prevenir outros problemas dentais, e tornar o 
tempo de tratamento mais curto. 
 
 
 
RELAÇÃO INTERPROXIMAL- PONTO DE CONTATO/CONTATO INTERPROXIMAL 
✓ É o contato entre os dentes de um mesmo arco- ou seja, dentes vizinhos se tocam. 
✓ Ocorre pela proeminência mesial de um dente com a face distal do dente vizinho. 
✓ Por oclusal, os pontos de contato estão situados no terço vestibular. 
✓ Exceção: entre o 1° e 2° MS, que ocorre no terço médio. 
✓ Situam-se próximos à borda incisal ou fase oclusal 
✓ Protegem a papila interdental contra impacção alimentar durante a mastigação 
✓ Mantém os arcos dentais equilibrados 
 
 
 
 
DIASTEMA- FALTA DE PONTO DE CONTATO 
Área de espaço extra entre dois ou mais dentes. É mais frequentemente 
observado nos dois dentes frontais da arcada superior. Muitas crianças 
têm diastema como resultado da queda dos dentes de leite, mas, na maior 
parte dos casos, os espaços se fecham quando os dentes permanentes 
nascem. 
 
AMEIAS 
✓ Por uma vista oclusal, o contato interproximal gera 
dois espaços: as AMEIAS VESTIBULARES e AMEIAS 
LINGUAIS. 
✓ Vestibulares > Linguais 
✓ Espaços onde os dentes não se tocam (em volta do 
ponto de contato. 
 
 
SULCO INTERDENTAL 
Por vestibular ou lingual, a partir do ponto de contato 
há dois espaços: 
✓ O SULCO INTERDENTAL ou INTERPROXIMAL, do 
ponto de contato para o sentido oclusal 
✓ O ESPAÇO INTERDENTAL, do ponto de contato 
para o sentido cervical 
 
 
 
 
 
AULA 07- RELAÇÕES INTERDENTAIS E OCLUSAIS 
RELAÇÕES OCLUSAIS 
1. CURVA DE SPEE 
− Posição dos dentes ântero-posterior (plano sagital). 
− Curva anatômica determinada pelo alinhamento oclusal dos dentes, iniciando com a 
ponta da cúspide do canino e seguindo pelas pontas de cúspides vestibulares dos pré-
molares e molares. 
− Ocasionada pelo posicionamento dos dentes nos alvéolos, com diferentes alturas. 
− Curvatura inexistente na dentição decídua. 
 
2. CURVA DE WILSON 
− Plano frontal 
− Curva transversal, que passa pelos arcos das cúspides dos molares 
− Existe pela inclinação dos dentes nos alvéolos 
− Inexistente na dentição decídua 
 
 
 
 
 
Figura A- Curva de Spee 
Figura B- Curva de Wilson 
 
 
 
 
OCLUSÃO 
✓ Ato de fechar, de ser fechado. 
✓ Contato entre os dentes antagonistas, ao se fazer a elevação da mandíbula através dos 
músculos elevadores. 
 
Oclusão Normal 
− Todos os dentes de um arco devem ocluir com dois dentes do arco 
oposto 
− Exceção dos ICI e 3°MS 
− Os dentes superiores ocluem envolvendo os dentes inferiores, nos 
terços incisais/oclusais 
− Nos dentes posteriores, as cúspides ocluem contra uma fossa oclusal 
 
 
3. MÁXIMA INTERCUSPIDAÇÃO HAPITUAL- MIH 
− Posição de fechamento da mandíbula, onde ocorre o máximo de contato entre os dois 
arcos 
 
 
MOVIMENTOS MANDIBULARES (realizados pela ATM) 
− Protrusão- deslizamento a mandíbula para frente (sentido 
póstero-anterior). 
− Retrusão- recuo/deslizamento da mandíbula para trás. 
 
− Lateralidade direita- levar a mandíbula para direita; toque na ponta de cúspide dos caninos do 
lado direito. 
− Lateralidade esquerda- levar a mandíbula para esquerdada; toque na ponta de cúspide dos 
caninos do lado esquerdo.

Outros materiais